oops, I did it again


Há uma sorte madrasta que me faz invariavelmente apaixonar pelo produto mais caro da loja, antes mesmo de lhe vislumbrar o preço. É vê-lo, é passar a mão por ele, e quando chegas à etiqueta zás, é heartbreak garantido. Desta vez os culpados são os senhores da Massimo Dutti, que fizeram o favor de me colocar no caminho este casaco da colecção New York Limited que além de lindo, confortável e de corte perfeito, é em malha de alpaca. Quer isto dizer, para quem não conhece o bicho, que é incrivelmente leve, leve como as asas de um anjo. Já o preço, porém, é um pecado mortal. 

E não há um descontinho para a a Fashion's Night Out? Não. Há uma velinha de oferta. Vou só ali para o canto chorar um bocadinho.

a long time ago, in a galaxy far, far away...

Os meus dois amores de sempre, a moda e a fantasia, juntaram-se e tiveram um bebé, a colecção Outono / Inverno 2014 da Rodarte. As manas Kate e Laura Mulleavy apresentaram-nos vestidos impressos com fotogramas icónicos da saga Star Wars (devidamente licenciados pela Lucasfilm / Disney), com resultados surpreendentes. 

Agora a colecção protagonizou uma produção para a revista PAPER fotografada no Skywalker Ranch, lar criativo de George Lucas e local mítico para todos os fãs da saga. E fiquei ainda mais apaixonada: a justaposição dos padrões com diferentes cenários resulta, a meu ver, brilhante. Há quem sonhe com vestidos de noiva; eu sonho com vestidos impressos com o Luke Skywalker e banda sonora de John Williams a acompanhar.




I am the Swan Queen

A única máscara que tive da Lancôme foi uma Fatale azul marinho comprada nos saldos há um par de anos. Por incrível que pareça, nunca experimentei a afamada Hypnôse e no segmento mais caro sempre fui fiel à Chanel (a bela e fiável Inimitable) e à Dior (a Diorshow Extase continua a ser a minha máscara de sonho). Mas sucede que a Lancôme acaba de lançar...


A embalagem não está torta. É mesmo assim. Eis a nova Hypnôse Grandiôse da Lancôme, com uma escova curva patenteada baptizada de Swan Neck©, ou seja, pescoço de cisne. Já está à venda na Feelunique e em breve deve aparecer por cá. A ideia é que a curva no aplicador ajuda a chegar aos cantos e permite manobrar melhor a escova e distribuir melhor o produto pelas pestanas. Eu só sei que quando me falam em cisnes, eu penso logo nisto:


A ver se a Lancôme faz de mim uma Swan Queen (menos a parte do surto psicótico).

sim, mais um blusão de cabedal

Quem já me lê há uns tempos é capaz de ter reparado que eu tenho uma certa obsessão por casacos de cabedal. É uma obsessão infelizmente cara, porque o preço médio de um casaquito nas Zaras, Massimo Duttis, Mangos e outras que tais já anda nos € 150 a € 200. Longe vão os primeiros anos da Bershka (como é lindo um casaco de camurça com um estampado floral que comprei há anos por cerca de € 50) e da Blanco (que nos seus primeiros anos tinha cabedais lindíssimos a preços muito bons); e os nossos amigos da Massimo Dutti não têm problema nenhum em vender blusões de cabedal a € 300 ou mais, que eu visito regularmente para acariciar mas nem nos saldos os compro (que também voam do cabide, os malditos).

Posto isto, tenho a dizer que não entrava numa Stradivarius há anos (e já vão perceber o que tem uma coisa a ver com a outra). Achava a loja um bocado confusa em termos de arrumação, muito escura e frequentemente com música aos berros que me feria os ouvidos (o mesmo vale para a Bershka). Ora sucede que as lojas Inditex do Vasco da Gama andaram numa espécie de "dança das cadeiras" e a Stradivarius mudou de sítio (creio que para onde antigamente ficava a Quebramar) e tem uma decoração nova toda em branco cru, muito arejada e boho chic. Gostei. Visitei-a há um par de meses e fiquei meio encantada por uma carteira cesta (que acabei por não comprar pois já possuía um modelo parecido), e ontem passei por lá para ir à Sephora e acabei por entrar na loja, onde encontrei:


O blusão de cabedal oxblood / bordeaux / vermelho escuro / chamem-lhe o que quiserem dos meus sonhos, macio, macio, lindo. A uns míseros € 89,95. A sério. Há mais cores, olhem para o pormenor das costas que eu achei especialmente delicioso:


E a qualidade não fica assim atrás dos casacos de € 300 da Massimo Dutti, leitores. Ah, não. Claro que agora tem de ir a arranjar para cortar quase um palmo às mangas, que eu tenho proporções de hobbit; mas também dificilmente o usaria antes de Setembro... Foi uma surpresa muito agradável e económica encontrar este blusão, e estou a ver que terei de visitar a Stradivarius mais vezes nos próximos tempos...

SHUT UP AND TAKE MY MONEY!


Andava eu a espreitar os segundos e terceiros saldos da Purificacion Garcia, sem que nada me enchesse o olho, quando já à saída da loja dei com uma carteira (ah, porquê uma carteira, que elas não entram em saldo!) que era a minha cara. Modelo shopping bag simples, pêlo com impressão padrão tigre com base preta, alças finas. Olhei-a de relance e nem lhe vi o preço, que isto as tentações evitam-se, não se alimentam (pensava eu ingenuamente).


Entretanto cheguei ao escritório e fui à loja online procurar uma imagem para guardar no meu Pinterest (onde o board de carteiras é claramente o mais recheado...) e qual não é o meu espanto ao verificar que na internet a carteira só aparece em leopardo. Tigre, nem vê-lo.

Será que alucinei?

Passei lá no dia seguinte e confirmava-se, a carteira era padrão tigre e eu (ainda) não estava (totalmente) louca. Mas quando percebi que aquele padrão específico podia ser difícil de encontrar (e que ainda por cima a carteira até tinha um preço razoável, tendo em conta a média da marca), instalou-se em mim um estado de ansiedade.  Camões podia tê-lo definido (falando de outras coisas, eu sei) como um não sei quê, que nasce não sei onde; vem não sei como; e dói não sei porquê (dói na carteira, mas isso é depois...) Mas eu sou uma moça do século XXI e o que define melhor este estado é mesmo um meme do Futurama:


Shut up and take my money! Aquele desejo compulsivo, incontrolado, de comprar um determinado objecto. A carteira. O batom. A caixa de DVD edição limitada com brinde da tua série favorita. O novo volume acabadinho de sair d'A Guerra dos Tronos onde se finalmente vai revelar o mistério do... OK, já perceberam.

Eu ainda resisti uns dias. Aliás isto ainda teve direito a um episódio caricato no stand da marca no El Corte Inglès, com eu a pedir o tigre, a menina a trazer-me o leopardo, e quando eu expliquei melhor ela disse "ah mas isso é zebra" e traz-me do armazém uma carteira que eu tive cinco minutos no braço, mas embirrei que o padrão estava mal impresso no pêlo e ganhei coragem para a deixar lá. Claro que isto me deixou ainda mais ansiosa de comprar aquela carteira que estava em exposição na loja com um padrão perfeito, perfeito, e bem, não preciso de dizer como é que isto acabou, pois não?


Só fiquei cismada com a história da zebra, porque para mim isto só é zebra se a criatura andou a aplicar autobronzeador. Ou será sugestão psicológica, por simpatizar mais com gatos predadores que com pacatos herbívoros? Digam de vossa justiça...

COS @ Lisboa


Rejubilai! O dia chegou. A COS, templo de minimalismo nórdico do grupo H&M, abriu em Lisboa no número 67C da Avenida da Liberdade (perto da esquina da Praça da Alegria) e claro que eu não podia deixar passar um dia sequer sem fazer a devida inspecção!

Até hoje, raras eram as deslocações ao estrangeiro que não incluíam visita a uma loja desta cadeia. Com efeito, a loja online da COS envia para Portugal, com portes de €9 que são grátis a partir dos €150 em compras. No entanto eu nunca consegui fazer compras na loja online. As roupas da COS, pela sua simplicidade, têm de ser vistas, tocadas e experimentadas ao vivo para revelarem a sua qualidade. E depois há o corte, que nem sempre assenta bem no meu corpinho mediterrâneo.

O que há a dizer? Que esta loja é uma COS tal e qual podem encontrar em Londres ou Paris. Arejada e iluminada, três pisos (dois de senhora e um de homem) de chic escandinavo traduzido em peças intemporais fabricadas com materiais de qualidade. O oposto da fast fashion. O senão? A qualidade e o design pagam-se, e portanto preparem-se para uns preços meio salgaditos (ao nível de uma Uterque ou daquelas peças mais escandalosamente caras da Zara).

COS Flecked Orb Necklace, € 17

Eu não estava a planear comprar nada. A sério. Mas apaixonei-me por este pendente esférico, metalizado numa metade, aveludado azul marinho na outra. Apesar da modesta compra, tive direito a um simpático saco de pano a comemorar a abertura da loja:


Outras visitas se perspectivam, que isto é só atravessar a rua e já tenho uma ou duas peças debaixo de olho. Mas hoje tive uma manhã complicada e quis evitar o stress buying, portanto ainda estamos para ver se estes tops (e mais umas calças pretas) virão morar comigo:

COS Draped Collar Top €59

Apesar de gostar bastante deste, estou indecisa entre o vermelho morango e o azul marinho. E para mais estou indecisa entre o top e esta camisola que na foto parece normalíssima, mas ao vivo se revela de um chic incontornável (eu bem digo): é malha de lã fina com mangas 3/4 em seda, e abotoa na parte detrás.

É que estou a escrever isto e já tenho vontade de voltar à loja. Abóboras.

COS Silk Sleeve Jumper €69

eu e os saldos

Tendo em conta que as colecções deste ano não me impressionaram muito, não estava propriamente à espera de sair das lojas cheia de sacos (e ainda bem). Com a Zara houve toda uma comédia de enganos com casacos: o cor-de-rosa que desapareceu antes de o comprar, o rosa-morango que afinal me assentou que nem uma luva, o estampado gráfico que me assentava horrivelmente mal nos ombros, o lookalike Chanel verde menta que eu comprei imediatamente num assomo de paixão, enfim. E depois algures a meio de Maio o vestido verde, lindo, que eu fui experimentar imediatamente constatando que o S me ficava pequeno e o M me ficava grande, por isso arrisquei esperar pelos saldos porque o vestido custava € 49,95 e ainda teria de ir para arranjar.


E depois de três Zaras o sucesso: encontrei-o no Colombo, claro, provavelmente o último M da cidade de Lisboa, e veio a € 25,99. Com ele vieram estas sabrinas, uma compra inesperada mas maravilhosa, descontadas de € 39,99 para € 19,99. São lindas, cintilantes, e têm uma sola ligeiramente almofadada que é o supra-sumo do conforto. 


Ainda no sector do calçado, consegui apanhar na loja online da Mango estes sapatos de salto médio em cabedal, descontados de € 49,99 para € 34,99. Gosto muito de usar sandálias e sapatos de tons beges no Verão: dão com tudo e alongam a silhueta das pernas. Já tinha vários pares de salto alto, mas um salto médio dá sempre jeito para o dia-a-dia.


Da Massimo Dutti a única coisa que veio foi uma blusa em seda, descontada de € 49,95 para € 24,95. Também tem de ir a arranjar para subir as mangas, isto é o que dá ter tamanho de hobbit.


Da loja online Space NK vem a caminho uma compra à qual eu tentei honrosamente resistir, mas falhei. A Luxe Colour Wardrobe Dual Decker Colour for Eyes and Cheeks da Laura Mercier foi alvo de grandes elogios da Coisas & Cenas quando saiu em Novembro de 2013 ao preço original de £ 65, portanto quando surgiu nos saldos de Verão a £ 39 a tentação era muita. Mas eu resisti. E resisti. Até ao dia em que recebi um email a dizer "further reductions" e tal, fui espreitar, e a paleta continuava lá mas a umas míseras £ 30 (e lá continua em stock, para quem estiver interessado). 

Foi adicioná-la ao shopping cart e fazer a transacção num ápice, antes que a coisa esgotasse ou me desse a tentação de comprar mais umas coisinhas. Com portes ficou em £ 35, que equivalem a € 46,19 por oito sombras, dois blush, um bronzer, três eyeliner em pó, um lápis de olhos e três mini-pincéis. E num estojo todo catita.


Ainda bem que fiz esta comprinha, pois pelo que tenho visto os saldos das perfumarias por cá estão bastante fraquinhos. Admite-se que ainda arrebitem, pois por exemplo a Perfumes & Companhia demora algum tempo a colocar os artigos de saldo em exposição. Aliás hoje passei na loja do Rossio e verifiquei com agrado uma alteração no modo de expor os saldos de maquilhagem. Se antes passávamos horas a abrir caixas-mistério ou a procurar testers inexistentes, o novo método é marcar os próprios testers com etiquetas de saldo. Infinitamente mais prático!


Qual não foi o meu espanto ao encontrar o meu bem-amado Dior Hydra Life BB Eye Cream Defatigant Sublimateur Beaute du Regard SPF 20 PA++ com 50% de desconto! Ora se isto a € 39,50 era caro, a € 19,75 é um achado. Trouxe dois, não porque seja uma lambona açambarcadora, mas porque o meu já está serrado a meio para usar os últimos resquícios, e entretanto a Mommy também já usa isto porque eu a converti às maravilhas deste produto (que aliás, vim a descobrir, a Lisa Eldridge também recomenda para peles maduras). Veio também um verniz Yves Saint Laurent na cor #09 Fuchsia Intemporel por € 10,57 em vez dos usuais € 21,15. Porque gosto dos vernizes desta marca, e não resisto a um bom fuchsia.

Se comprarei mais coisas? Duvido. Em roupa e acessórios "fechei a loja", mas se encontrar algum bom produto de tratamento a um preço simpático... nunca digas desta água não beberei.

Vichy Capital Soleil BB SPF 50


Já o tinha mostrado no Facebook e na semana passada mencionei-o ao falar de protecção solar, mas este creminho é tão bom que merece uma entrada só para ele.

Não sei se já terei aqui mencionado uma ou duas ou duzentas vezes, que a minha pele apesar da sensibilidade e ocasional rosácea, é oleosa. Mista no Inverno, vá, mas no Verão é um derrame de petróleo. E isto coloca um problema adicional, porque se no Inverno conseguimos sobreviver com sérum + hidratante + base ou BB, o Verão pede uma protecção solar a sério mas sérum + hidratante + protector + base ou BB em cima de uma pele que já está a produzir mais oleosidade, é algo problemático.

Felizmente a minha pele tem andado muito bem comportada nos últimos tempos, e a dar-se muito  bem com os produtos mais recentes da minha rotina. Isto reduz a necessidade de cobertura da base, o que no Verão ajuda bastante (excepção feita para uma erupção gigantesca que me surgiu no queixo há duas semanas, mas já sarou). Já tinha experimentado o Vichy Capital Soleil BB SPF 50 em algumas ocasiões sob o sol do Ribatejo, em dias que pediam apenas um tudo-nada de no-makeup makeup, e verifiquei que ele se portava bastante bem ao longo do dia, com um efeito natural e sem "derreter". Entretanto e com a chegada do Verão à cidade (e será que é desta que fica?) tenho experimentado substituir os dois passos protector + base ou BB apenas por este protector com cor e estou a gostar muito.

A indicação para peles mistas a oleosas não está lá por brincadeira. Este produto fixa-se de forma bastante tenaz e dura todo o dia, mas não tem grandes capacidades de hidratação, e realçará quaisquer zonas secas ou a escamar que tenham no rosto. Mesmo para peles oleosas, o hidratante por baixo é fundamental para criar uma base que permita trabalhar o Capital Soleil BB SPF 50 até ele se fundir com o tom de pele de modo uniforme. Ao fim de um minuto ou dois o produto "assenta" e forma o chamado toque seco, que ainda assim não fica completamente mate nem parece reboco; parece pele, pronto. Eu diria que tem cobertura média/baixa, uniformiza o tom de pele mantendo a luminosidade e um ar natural.

O que estes senhores chamam natural tan shade não é mais que o meu tom usual de pele, sendo que a cor única é um senão - acerta comigo, mas haverá certamente muita gente para quem é demasiado escuro ou demasiado claro. O efeito natural e a duração do Capital Soleil BB SPF 50 fazem dele um produto feito à medida para mim, que certamente terá muito uso este Verão.

desaparecidos em combate #15 (à dúzia é mais barato)

Nem eu sei explicar muito bem o que se passou aqui, mas a verdade é que os meses de Maio e Junho foram um ver se te avias de produtos acabados. Isto é como o cair da folha, quando começa não há volta a dar. E se terminar um produto dá alguma pena, por outro lado há uma maravilhosa sensação de dever cumprido - e a perspectiva de estrear um produto novo a seguir!


Terminei vários produtos da Pai Skincare dos quais já tinha falado por aqui. Desde logo a minha segunda embalagem do Echium & Argan Gentle Eye Cream, que entretanto substituí pelo Time Filler Eyes da Filorga. Gostei do Echium & Argan, mas nos últimos tempos andava a cismar que me provocava milia por isso resolvi variar um bocadinho (ademais o Time Filler Eyes era muito promissor e posso dizer desde já que se revelou à altura). Terminei igualmente o Fragonia & Sea Buckthorn Hand Cream e a Kukui & Kaolin Clarifying Face Mask.

Finalmente, terminei o Cicalfate da Avène, fiel companheiro para aqueles momentos em que a nossa pele parece que não vai com nada.


No sector de produtos de corpo temos igualmente razoável desfalque no stock. Desde logo o Crème Bustier Satin da Sampar, que veio comigo por € 10 quando a Sephora descontinuou esta marca algures em Março. E só por isso, porque eu nunca daria o preço original de € 68 por uns míseros 50ml de produto! Não posso dizer que tenha feito alguma coisa de especial - hidrata, é confortável, e por aí ficamos. O mesmo digo do Morpho-Slim Ventre & Taille da Lierac, comprei duas embalagens pelo preço de uma nuns saldos da Well's em Agosto passado. Usei uma embalagem na altura, outra embalagem agora... e fiquei na mesma. Está visto que se mantém o meu cepticismo declarado sobre este género de produtos...

Muito melhor impressão deixaram a Truly Terrific Body Butter da Yes to Tomatoes e o Spa Wisdom Polynesia Monoi Miracle Oil da Body Shop. A Truly Terrific comprei-a nos saldos da Sephora e é uma body butter até melhor que a maioria das que faz a Body Shop: mais fácil de espalhar e sem qualquer aroma forte. Mas não se pense que eu desdenho a Body Shop: a linha Spa Wisdom Polynesia é de verter lágrimas de tão maravilhoso é o aroma a monoi dos seus produtos. O óleo de banho multiusos é bom, mas a body butter então é divinal. Não consigo resistir a comprar sempre que a vejo em saldos - devo ter umas três embalagens em casa e estou mesmo agora a terminar uma.


Nos produtos de cabelo, terminei o meu champô e condicionador da linha Bonacure Color Freeze. Gostei muito destes produtos e voltaria a comprá-los de bom grado. O único reparo que tenho a fazer é que ao chegar ao fim do champô me aconteceu uma coisa curiosa: o champô começou a sair a modos que aguado. Como era um frasco de pump, percebi que o champô deveria ter sido agitado de vez em quando, e como não o fiz, gastei a parte de baixo mais espessa primeiro, e depois a parte de cima mais líquida. Terminei ainda, meio à força, um Rice & Wheat Volumizing Conditioning Rinse da Kiehl's. Não gostei e não tenho nada de especial a dizer...

O desodorizante anti-transpirante Sensibio Deo da Bioderma pareceu-me bastante bom e suave, faz o que lhe compete sem manchar nem ter aqueles aromas fortes. Para quem sofre de pele irritada poderá ser uma boa alternativa. Mas no Verão prefiro usar os Keóps da Roc.


Finalmente os produtos de cosmética. Das cápsulas Vitamin C+ Brigthen Overnight Repair Radiance Capsules já vos falei, gostei imenso delas e desejava que a embalagem trouxesse 280 e não apenas 28... terminei ainda o Sérum Éclat Anti-Taches da Caudalie que usava de manhã, gostei muito deste sérum e nunca me provocou qualquer problema na pele sensível. Notei a diferença, porque as marcas ocasionais (a minha pele pigmenta depois de qualquer irritação ou borbulha) desapareciam muito mais depressa.

O creme de pescoço Progressif Lift Fermeté da Carita foi comprado também nos saldos de Janeiro da Sephora, sobre ele não sei dizer muito: liguem-me daqui a vinte anos para ver se tenho rugas no pescoço... mais vale prevenir que remediar e achei que estava em boa altura para estender os cuidados a esta área muitas vezes negligenciada.

Finou-se ainda uma das melhores e mais baratas máscaras de argila que já usei: a Ionic Clay Mask da Boots Botanics, que por uns míseros £ 6,99 bate aos pontos muitas máscaras que custam o dobro ou o triplo.


As cápsulas Omega 3-6-9 entram aqui porque foi preciso terminar uma embalagem para ver a diferença que isto faz. Eu tomo este género de suplemento com alguma regularidade porque sou algo esquisita a comer peixe, e os óleos essenciais destes suplementos são importantes para o cérebro, coração e pele. Ora eu tinha comprado uma embalagem no iHerb.com e achei que não fazia mal fazer um intervalo enquanto essa embalagem não chegava (e ainda não chegou, porque apesar de não ter valor suficiente para pagar taxas já sei que pelo peso os senhores da Alfândega vão pará-la de certeza). Resultado: este mês tive um acesso brutal de acne no queixo. Mas brutal. E duas semanas antes de um casamento. Ah vida madrasta.

Terminamos com o canto do cisne daquela que é a minha máscara de pestanas favorita de todos os tempos: a Diorshow Extase ainda aguentou muito mais do que uma máscara deveria aguentar, mas finalmente deixou de sair produto na escova. Voltarei a comprar, mas primeiro tenho de gastar mais uma ou duas máscaras do stock.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...