COS @ Lisboa


Rejubilai! O dia chegou. A COS, templo de minimalismo nórdico do grupo H&M, abriu em Lisboa no número 67C da Avenida da Liberdade (perto da esquina da Praça da Alegria) e claro que eu não podia deixar passar um dia sequer sem fazer a devida inspecção!

Até hoje, raras eram as deslocações ao estrangeiro que não incluíam visita a uma loja desta cadeia. Com efeito, a loja online da COS envia para Portugal, com portes de €9 que são grátis a partir dos €150 em compras. No entanto eu nunca consegui fazer compras na loja online. As roupas da COS, pela sua simplicidade, têm de ser vistas, tocadas e experimentadas ao vivo para revelarem a sua qualidade. E depois há o corte, que nem sempre assenta bem no meu corpinho mediterrâneo.

O que há a dizer? Que esta loja é uma COS tal e qual podem encontrar em Londres ou Paris. Arejada e iluminada, três pisos (dois de senhora e um de homem) de chic escandinavo traduzido em peças intemporais fabricadas com materiais de qualidade. O oposto da fast fashion. O senão? A qualidade e o design pagam-se, e portanto preparem-se para uns preços meio salgaditos (ao nível de uma Uterque ou daquelas peças mais escandalosamente caras da Zara).

COS Flecked Orb Necklace, € 17

Eu não estava a planear comprar nada. A sério. Mas apaixonei-me por este pendente esférico, metalizado numa metade, aveludado azul marinho na outra. Apesar da modesta compra, tive direito a um simpático saco de pano a comemorar a abertura da loja:


Outras visitas se perspectivam, que isto é só atravessar a rua e já tenho uma ou duas peças debaixo de olho. Mas hoje tive uma manhã complicada e quis evitar o stress buying, portanto ainda estamos para ver se estes tops (e mais umas calças pretas) virão morar comigo:

COS Draped Collar Top €59

Apesar de gostar bastante deste, estou indecisa entre o vermelho morango e o azul marinho. E para mais estou indecisa entre o top e esta camisola que na foto parece normalíssima, mas ao vivo se revela de um chic incontornável (eu bem digo): é malha de lã fina com mangas 3/4 em seda, e abotoa na parte detrás.

É que estou a escrever isto e já tenho vontade de voltar à loja. Abóboras.

COS Silk Sleeve Jumper €69

eu e os saldos

Tendo em conta que as colecções deste ano não me impressionaram muito, não estava propriamente à espera de sair das lojas cheia de sacos (e ainda bem). Com a Zara houve toda uma comédia de enganos com casacos: o cor-de-rosa que desapareceu antes de o comprar, o rosa-morango que afinal me assentou que nem uma luva, o estampado gráfico que me assentava horrivelmente mal nos ombros, o lookalike Chanel verde menta que eu comprei imediatamente num assomo de paixão, enfim. E depois algures a meio de Maio o vestido verde, lindo, que eu fui experimentar imediatamente constatando que o S me ficava pequeno e o M me ficava grande, por isso arrisquei esperar pelos saldos porque o vestido custava € 49,95 e ainda teria de ir para arranjar.


E depois de três Zaras o sucesso: encontrei-o no Colombo, claro, provavelmente o último M da cidade de Lisboa, e veio a € 25,99. Com ele vieram estas sabrinas, uma compra inesperada mas maravilhosa, descontadas de € 39,99 para € 19,99. São lindas, cintilantes, e têm uma sola ligeiramente almofadada que é o supra-sumo do conforto. 


Ainda no sector do calçado, consegui apanhar na loja online da Mango estes sapatos de salto médio em cabedal, descontados de € 49,99 para € 34,99. Gosto muito de usar sandálias e sapatos de tons beges no Verão: dão com tudo e alongam a silhueta das pernas. Já tinha vários pares de salto alto, mas um salto médio dá sempre jeito para o dia-a-dia.


Da Massimo Dutti a única coisa que veio foi uma blusa em seda, descontada de € 49,95 para € 24,95. Também tem de ir a arranjar para subir as mangas, isto é o que dá ter tamanho de hobbit.


Da loja online Space NK vem a caminho uma compra à qual eu tentei honrosamente resistir, mas falhei. A Luxe Colour Wardrobe Dual Decker Colour for Eyes and Cheeks da Laura Mercier foi alvo de grandes elogios da Coisas & Cenas quando saiu em Novembro de 2013 ao preço original de £ 65, portanto quando surgiu nos saldos de Verão a £ 39 a tentação era muita. Mas eu resisti. E resisti. Até ao dia em que recebi um email a dizer "further reductions" e tal, fui espreitar, e a paleta continuava lá mas a umas míseras £ 30 (e lá continua em stock, para quem estiver interessado). 

Foi adicioná-la ao shopping cart e fazer a transacção num ápice, antes que a coisa esgotasse ou me desse a tentação de comprar mais umas coisinhas. Com portes ficou em £ 35, que equivalem a € 46,19 por oito sombras, dois blush, um bronzer, três eyeliner em pó, um lápis de olhos e três mini-pincéis. E num estojo todo catita.


Ainda bem que fiz esta comprinha, pois pelo que tenho visto os saldos das perfumarias por cá estão bastante fraquinhos. Admite-se que ainda arrebitem, pois por exemplo a Perfumes & Companhia demora algum tempo a colocar os artigos de saldo em exposição. Aliás hoje passei na loja do Rossio e verifiquei com agrado uma alteração no modo de expor os saldos de maquilhagem. Se antes passávamos horas a abrir caixas-mistério ou a procurar testers inexistentes, o novo método é marcar os próprios testers com etiquetas de saldo. Infinitamente mais prático!


Qual não foi o meu espanto ao encontrar o meu bem-amado Dior Hydra Life BB Eye Cream Defatigant Sublimateur Beaute du Regard SPF 20 PA++ com 50% de desconto! Ora se isto a € 39,50 era caro, a € 19,75 é um achado. Trouxe dois, não porque seja uma lambona açambarcadora, mas porque o meu já está serrado a meio para usar os últimos resquícios, e entretanto a Mommy também já usa isto porque eu a converti às maravilhas deste produto (que aliás, vim a descobrir, a Lisa Eldridge também recomenda para peles maduras). Veio também um verniz Yves Saint Laurent na cor #09 Fuchsia Intemporel por € 10,57 em vez dos usuais € 21,15. Porque gosto dos vernizes desta marca, e não resisto a um bom fuchsia.

Se comprarei mais coisas? Duvido. Em roupa e acessórios "fechei a loja", mas se encontrar algum bom produto de tratamento a um preço simpático... nunca digas desta água não beberei.

Vichy Capital Soleil BB SPF 50


Já o tinha mostrado no Facebook e na semana passada mencionei-o ao falar de protecção solar, mas este creminho é tão bom que merece uma entrada só para ele.

Não sei se já terei aqui mencionado uma ou duas ou duzentas vezes, que a minha pele apesar da sensibilidade e ocasional rosácea, é oleosa. Mista no Inverno, vá, mas no Verão é um derrame de petróleo. E isto coloca um problema adicional, porque se no Inverno conseguimos sobreviver com sérum + hidratante + base ou BB, o Verão pede uma protecção solar a sério mas sérum + hidratante + protector + base ou BB em cima de uma pele que já está a produzir mais oleosidade, é algo problemático.

Felizmente a minha pele tem andado muito bem comportada nos últimos tempos, e a dar-se muito  bem com os produtos mais recentes da minha rotina. Isto reduz a necessidade de cobertura da base, o que no Verão ajuda bastante (excepção feita para uma erupção gigantesca que me surgiu no queixo há duas semanas, mas já sarou). Já tinha experimentado o Vichy Capital Soleil BB SPF 50 em algumas ocasiões sob o sol do Ribatejo, em dias que pediam apenas um tudo-nada de no-makeup makeup, e verifiquei que ele se portava bastante bem ao longo do dia, com um efeito natural e sem "derreter". Entretanto e com a chegada do Verão à cidade (e será que é desta que fica?) tenho experimentado substituir os dois passos protector + base ou BB apenas por este protector com cor e estou a gostar muito.

A indicação para peles mistas a oleosas não está lá por brincadeira. Este produto fixa-se de forma bastante tenaz e dura todo o dia, mas não tem grandes capacidades de hidratação, e realçará quaisquer zonas secas ou a escamar que tenham no rosto. Mesmo para peles oleosas, o hidratante por baixo é fundamental para criar uma base que permita trabalhar o Capital Soleil BB SPF 50 até ele se fundir com o tom de pele de modo uniforme. Ao fim de um minuto ou dois o produto "assenta" e forma o chamado toque seco, que ainda assim não fica completamente mate nem parece reboco; parece pele, pronto. Eu diria que tem cobertura média/baixa, uniformiza o tom de pele mantendo a luminosidade e um ar natural.

O que estes senhores chamam natural tan shade não é mais que o meu tom usual de pele, sendo que a cor única é um senão - acerta comigo, mas haverá certamente muita gente para quem é demasiado escuro ou demasiado claro. O efeito natural e a duração do Capital Soleil BB SPF 50 fazem dele um produto feito à medida para mim, que certamente terá muito uso este Verão.

desaparecidos em combate #15 (à dúzia é mais barato)

Nem eu sei explicar muito bem o que se passou aqui, mas a verdade é que os meses de Maio e Junho foram um ver se te avias de produtos acabados. Isto é como o cair da folha, quando começa não há volta a dar. E se terminar um produto dá alguma pena, por outro lado há uma maravilhosa sensação de dever cumprido - e a perspectiva de estrear um produto novo a seguir!


Terminei vários produtos da Pai Skincare dos quais já tinha falado por aqui. Desde logo a minha segunda embalagem do Echium & Argan Gentle Eye Cream, que entretanto substituí pelo Time Filler Eyes da Filorga. Gostei do Echium & Argan, mas nos últimos tempos andava a cismar que me provocava milia por isso resolvi variar um bocadinho (ademais o Time Filler Eyes era muito promissor e posso dizer desde já que se revelou à altura). Terminei igualmente o Fragonia & Sea Buckthorn Hand Cream e a Kukui & Kaolin Clarifying Face Mask.

Finalmente, terminei o Cicalfate da Avène, fiel companheiro para aqueles momentos em que a nossa pele parece que não vai com nada.


No sector de produtos de corpo temos igualmente razoável desfalque no stock. Desde logo o Crème Bustier Satin da Sampar, que veio comigo por € 10 quando a Sephora descontinuou esta marca algures em Março. E só por isso, porque eu nunca daria o preço original de € 68 por uns míseros 50ml de produto! Não posso dizer que tenha feito alguma coisa de especial - hidrata, é confortável, e por aí ficamos. O mesmo digo do Morpho-Slim Ventre & Taille da Lierac, comprei duas embalagens pelo preço de uma nuns saldos da Well's em Agosto passado. Usei uma embalagem na altura, outra embalagem agora... e fiquei na mesma. Está visto que se mantém o meu cepticismo declarado sobre este género de produtos...

Muito melhor impressão deixaram a Truly Terrific Body Butter da Yes to Tomatoes e o Spa Wisdom Polynesia Monoi Miracle Oil da Body Shop. A Truly Terrific comprei-a nos saldos da Sephora e é uma body butter até melhor que a maioria das que faz a Body Shop: mais fácil de espalhar e sem qualquer aroma forte. Mas não se pense que eu desdenho a Body Shop: a linha Spa Wisdom Polynesia é de verter lágrimas de tão maravilhoso é o aroma a monoi dos seus produtos. O óleo de banho multiusos é bom, mas a body butter então é divinal. Não consigo resistir a comprar sempre que a vejo em saldos - devo ter umas três embalagens em casa e estou mesmo agora a terminar uma.


Nos produtos de cabelo, terminei o meu champô e condicionador da linha Bonacure Color Freeze. Gostei muito destes produtos e voltaria a comprá-los de bom grado. O único reparo que tenho a fazer é que ao chegar ao fim do champô me aconteceu uma coisa curiosa: o champô começou a sair a modos que aguado. Como era um frasco de pump, percebi que o champô deveria ter sido agitado de vez em quando, e como não o fiz, gastei a parte de baixo mais espessa primeiro, e depois a parte de cima mais líquida. Terminei ainda, meio à força, um Rice & Wheat Volumizing Conditioning Rinse da Kiehl's. Não gostei e não tenho nada de especial a dizer...

O desodorizante anti-transpirante Sensibio Deo da Bioderma pareceu-me bastante bom e suave, faz o que lhe compete sem manchar nem ter aqueles aromas fortes. Para quem sofre de pele irritada poderá ser uma boa alternativa. Mas no Verão prefiro usar os Keóps da Roc.


Finalmente os produtos de cosmética. Das cápsulas Vitamin C+ Brigthen Overnight Repair Radiance Capsules já vos falei, gostei imenso delas e desejava que a embalagem trouxesse 280 e não apenas 28... terminei ainda o Sérum Éclat Anti-Taches da Caudalie que usava de manhã, gostei muito deste sérum e nunca me provocou qualquer problema na pele sensível. Notei a diferença, porque as marcas ocasionais (a minha pele pigmenta depois de qualquer irritação ou borbulha) desapareciam muito mais depressa.

O creme de pescoço Progressif Lift Fermeté da Carita foi comprado também nos saldos de Janeiro da Sephora, sobre ele não sei dizer muito: liguem-me daqui a vinte anos para ver se tenho rugas no pescoço... mais vale prevenir que remediar e achei que estava em boa altura para estender os cuidados a esta área muitas vezes negligenciada.

Finou-se ainda uma das melhores e mais baratas máscaras de argila que já usei: a Ionic Clay Mask da Boots Botanics, que por uns míseros £ 6,99 bate aos pontos muitas máscaras que custam o dobro ou o triplo.


As cápsulas Omega 3-6-9 entram aqui porque foi preciso terminar uma embalagem para ver a diferença que isto faz. Eu tomo este género de suplemento com alguma regularidade porque sou algo esquisita a comer peixe, e os óleos essenciais destes suplementos são importantes para o cérebro, coração e pele. Ora eu tinha comprado uma embalagem no iHerb.com e achei que não fazia mal fazer um intervalo enquanto essa embalagem não chegava (e ainda não chegou, porque apesar de não ter valor suficiente para pagar taxas já sei que pelo peso os senhores da Alfândega vão pará-la de certeza). Resultado: este mês tive um acesso brutal de acne no queixo. Mas brutal. E duas semanas antes de um casamento. Ah vida madrasta.

Terminamos com o canto do cisne daquela que é a minha máscara de pestanas favorita de todos os tempos: a Diorshow Extase ainda aguentou muito mais do que uma máscara deveria aguentar, mas finalmente deixou de sair produto na escova. Voltarei a comprar, mas primeiro tenho de gastar mais uma ou duas máscaras do stock.

Inglot | HD Face Sculpting Powder


Recentemente e sem que nada o fizesse esperar, uma visita ao centro comercial Vasco da Gama revelou duas surpresas muito agradáveis. Em primeiro lugar, abriu um corner da marca Inglot neste espaço comercial, mais precisamente em frente à Bershka. Eu fiquei felicíssima: nos tempos que correm é muito raro ir ao Colombo e assim fiquei com a Inglot mesmo ao pé de casa.

A segunda surpresa deve-se também à Inglot, que entre os produtos dispostos de forma apetecível neste novo corner de maquilhagem contava já com o seu novo lançamento, o HD Face Sculpting Powder.

O contouring tem sido uma tendência de relevo no último ano e tal, com o lançamento de vários produtos e até pincéis específicos para esta técnica. Consiste na utilização de tons claros e escuros de base, pó ou creme, para realçar o relevo das maçãs do rosto, afinar o nariz, esculpir o maxilar, etc. Se bem feito, podem realçar de forma subtil o vosso rosto; se mal feito, podem ficar com a cara às manchas tipo zebra. Como em tudo na maquilhagem, a prática e a mão leve fazem maravilhas.

Os HD Face Sculpting Powders são no total de cinco cores, três escuras e duas claras, adequadas a vários tipos de pele. Desde logo me chamaram a atenção porque os tons escuros não são alaranjados (problema sério para quem tenta fazer isto com pós bronzeadores) e ademais porque são todos mates, até os claros. Há vários produtos de contorno em que os pós claros têm brilhos, correndo o risco de ficarmos tipo bola de espelhos (especialmente eu que tenho pele oleosa, e brilhos de sobra thank you very much).


Em conjunção com os pós foram lançadas novas paletas Freedom System, nas quais encaixam tanto estes pós como os blush da marca. Já a idealizar uma paleta de pós de contorno e blush reunidos, comprei uma e mais um pó de contorno escuro para começar (entretanto fui ver, é o #502), ficou logo debaixo de olho o pó claro de subtom amarelo #503 que virá morar comigo numa próxima oportunidade.

As impressões iniciais foram muito positivas. O pó é finíssimo e permite uma aplicação com bastante precisão e um resultado muito natural. Da primeira vez que o utilizei quase que me assustei com o efeito depois de aplicar o pó nos lados do nariz, entretanto apanhei-lhe o jeito e gosto imenso do resultado.

Achei um produto mesmo muito bom, ainda mais tendo em conta o preço. Os HD Face Sculpting Powders têm o preço de € 9 cada, as paletas custa € 6 a de quatro unidades, e € 8 a de uma unidade com espelho e pincel. Isto significa que um duo de contorno claro + escuro custa € 18 e mais a paleta fica um total de € 24 (e ficam com duas vagas na paleta para blush ou outro pó que queiram). Em comparação um Contour Blush da NARS custa € 37 e tem muito menos produto!

#FIA2014

Estava indecisa entre ir ou não à Feira Internacional de Artesanato este ano... é um certame que aprecio muito e geralmente vou todos os anos, ao ponto de já reconhecer os expositores e saber o preço médio de certas mercadorias; mas no ano passado não pude ir por questões de trabalho. Já este ano, não estava muito disposta a gastar dinheiro: já devem ter percebido que coisas bonitas, brilhantes e coloridas me deixam louca, e portanto largar-me à solta na FIA é um convite ao desastre financeiro. São os indianos, paquistaneses e turcos a vender bijutaria / joalharia digna de princesas orientais, os russos a vender fiadas de pérolas, cristais e semipreciosas, os africanos a vender colares de contas rústicas, enfim.

Espólio reunido ao longo de várias edições da FIA...

Entretanto, e fazendo um inventário mental de todas as peças que trouxe da FIA ao longo dos anos, decidi ir com um orçamento de € 50, e achei que à semana a coisa estaria mais folgada. Wrong! Parque da FIL cheio a uma quarta-feira à noite, fui estacionar no Tágides e depois da habitual fila para o Multibanco (eu já devia saber que o inteligente é levar logo dinheiro) comecei a minha inspecção da feira segundo o ritmo habitual, primeiro o pavilhão internacional e depois o português. Ora, entre os meus conhecimentos desta feira, e o facto de ser uma pessoa que regista a informação de forma bastante rápida, resulta que eu gosto de ir à FIA sozinha porque funciono em modo acelerado. Primeiro vejo tudo em ambos os pavilhões e depois decido o que quero comprar (sendo que isto só resulta porque além do mais eu tenho um "sentido de GPS" muito preciso, ou seja, consigo encontrar facilmente o stand onde vi aqueles brincos há meia hora...). Isto evita que eu compre a € 20 um artigo que outro senhor está a vender a € 10 dois corredores à direita. Infelizmente isto também significa que passo algum tempo a irritar-me com pessoas que estão especadas no meio dos corredores feito plantas de estufa ou pior, que acharam boa ideia ir fazer percurso de obstáculos com uma pobre criança num carrinho. Resumindo: se alguma vez estiverem numa feira de artesanato e passar por vós uma criatura semelhante a um hobbit a jacto, provavelmente sou eu.

Como sempre andei a babar-me pela joalharia, mas a peça de que eu gostava mesmo custava € 58 e embora talvez conseguisse regatear um bocadinho, lembrei-me da quantidade de coisas que já tenho e resisti. Nos marroquinos comprei uma garrafinha de óleo de argão (sempre uma boa compra) e mais dois saquinhos de especiarias, caril e mistura ras el hanout. Não imaginam como é maravilhoso e intenso o cheirinho, ao ponto de ontem o meu quarto ter ficado a parecer um souk depois de eu ter deixado lá as coisas enquanto jantava. Isto tudo veio por uns meros € 10.

Entretanto ao passar nos sul-americanos fiquei meio apaixonada pelas camisolas de alpaca que vários vendiam. Em anos anteriores a lã tinha um aspecto um bocado um bocado grosso e não muito o meu género, mas este ano um dos stands tinha umas camisolas numa malha fina com um toque incrivelmente sedoso, tem um aspecto meio felpudo mas esta lã não pica... Depois voltei lá, experimentei a camisola e assentava perfeitamente, pelo que veio comigo para casa pelo preço de € 40 e ficaram encerradas as compras e respeitado o orçamento!


O pavilhão do artesanato português é bastante simpático pois tem muito menos gente e fazem-se lá belas compras de produto nacional, desde as capas em burel às botas de Almeirim. Infelizmente este ano achei-o algo vazio e fiquei um bocadinho desiludida. Mas para o ano há mais!

de uma vez por todas...

Pessoas bonitas que me lêem, vamos falar de forma bem honesta. Há uma ligeira, ligeiríssima diferença entre ficar com uma corzinha de Verão e ficar assim:


Eu sei que já uma vez e outra aqui falei da importância de usar protector solar, mas claramente o assunto merece ser revisitado pelo menos uma vez por ano. Nem falo no risco sobejamente conhecido do cancro na pele. Falo do inevitável, repito, inevitável envelhecimento cutâneo (assim mesmo em negrito, para assustar mais) que a exposição ao sol acarreta. Para que raios andamos nós a gastar dinheiro em cremes e séruns, se depois vamos destruir sob os raios do sol todos os benefícios destes produtos?

Atenção que ninguém vos está a dizer que fujam da luz solar como os vampiros. Afinal o sol é comprovadamente benéfico para a nossa disposição, e essencial na produção da vitamina D que fortalece os ossos. Como em tudo na vida, bom senso e moderação fazem maravilhas. Garanto-vos que nunca deixei de ir à praia por medo do sol, e como eu gosto de ir à praia! Mas protector solar sempre, no rosto e no corpo, e reaplicado frequentemente.



Partilho convosco vários protectores solares de rosto que já usei e uso, na praia e na cidade. Mas começo por um produto que uso desde há vários Verões: as cápsulas Heliocare. Recomendadas por vários dermatologistas, contêm um extracto vegetal do feto polypodium leucotomos, a que a marca chama Fernblock, reforçado com chá verde e licopeno. Estes ingredientes aumentam a capacidade de defesa das células cutâneas contra os radicais livres gerados pela exposição ao sol. Existem em duas variedades, a normal e a Ultra D, que é indicada para pessoas com alergias graves ao sol ou que estão a recuperar de procedimentos cosméticos. A marca também faz cremes solares propriamente ditos, nunca experimentei mas dizem-me que tem boa reputação!

O protector que estou a usar actualmente no dia-a-dia é o Ultra Facial Defense SPF 50 da Skinceuticals, que acho muito bom para cidade. É fluido, espalha-se bem e não fica esbranquiçado, nem implica com a aplicação da maquilhagem por cima.

Uma marca que estou a gostar muito é a Vichy, desde que lançou os seus protectores toque seco no Verão passado. São óptimos para quem, como eu, tem pele bastante oleosa no Verão! Já usei o Creme SPF 50 Toque Seco e o Compacto Solar e gostei bastante, este ano comprei o BB Cream SPF 50 Pele Mista a Oleosa e acho-o óptimo, perfeito para aqueles dias em que precisamos apenas de protecção e um toque de cor. Resiste muito bem ao calor e à oleosidade.

Já o Anthelios XL Fluido Extremo SPF 50 foi o primeiro protector solar que usei diariamente e na altura só tinha um problema terrível: quando aplicado por cima de certos cremes, formava umas partículas brancas muito irritantes. Ouvi dizer que entretanto reformularam o produto, mas não o voltei a experimentar depois disso. A La Roche-Posay lançou também um protector solar toque seco que sem dúvida irei experimentar no futuro.

De notar que os protectores da Skinceuticals, da Vichy e da La Roche-Posay fazem todos parte daquilo a que eu chamo o "clube do Mexoryl". Eu explico: Mexoryl XL e Mexoryl SX são os nomes comerciais de moléculas de absorção dos raios UVA e UVB contidos nestes protectores. As patentes de ambas pertencem à L'Oréal e portanto estes protectores só se encontram em produtos de marcas do grupo L'Oréal. Para além das gamas específicas e de farmácia, podemos encontrar os filtros Mexoryl na gama Ambre Solaire da Garnier.

Entre outros cremes que já usei conto ainda a gama Photoderm da Bioderma, o Fluido Matificante SPF 50 da Eucerin e os solares da Avène. Também já usei o Soleil Divin SPF 50 da Caudalie (veio de brinde num sérum que comprei o ano passado), que infelizmente fica demasiado oleoso na minha pele para ser usado no dia-a-dia, mas na praia se comporta bastante bem.

Resumindo e concluindo: if I could offer you only one tip for the future, sunscreen would be it. Sejam felizes e usem protector solar!

"review": Superfacialist Vitamin C+ Overnight Repair Radiance Capsules


Desde que a Superfacialist by Una Brennan surgiu à venda na Kitchen Makeup que me tenho aventurado nos produtos da marca, guiada pelas opiniões de pessoas que percebem mais disto do que eu. A experiência tem sido positiva e estas Vitamin C+ Brigthen Overnight Repair Radiance Capsules então são um autêntico mimo!

Estas cápsulas são um "tratamento de choque" de vitamina C em doses individuais, destinadas a selar a frescura dos activos de tratamento. Basta torcer a cápsula, abrir, esvaziar e passar no rosto com suaves movimentos. Este sérum é laranja e tem um toque bastante sedoso e "siliconado"; explicou-me a Sara do Make Down que os silicones se destinam a estabilizar a vitamina C e não são mero enchimento.

As cápsulas podem usar-se como reforço de luminosidade ocasional, ou então fazer o tratamento completo de 28 cápsulas, uma por dia à noite. Eu escolhi esta opção para beneficiar do uso continuado do produto, e ao fim de semana e meia comecei a ver resultados: isto até minimizou a rosácea ocasional de que padeço! A pele fica com um ar muito bonito, luminosa e repousada, e a necessitar de pouquíssima maquilhagem.


Gostei tanto disto que era capaz de usar estas cápsulas o ano inteiro, porém gastar uma embalagem por mês não é propriamente barato! Assim voltarei a fazer um tratamento de 28 dias talvez no Outono, quando a pele estiver a necessitar de um reforço de luminosidade. O preço de uma embalagem de 28 cápsulas é € 32; eu comprei as minhas com desconto na Expocosmética. Aproveito para dar conta que na próxima sexta-feira dia 27, a partir das 17:00, a Kitchen Makeup está com 20% de desconto, o que é de aproveitar!

summer desire

Pessoas maravilhosas e interessantes que me aturam seguem esta crónica de cores e desabafos: sim, andei a fazer gazeta, primeiro voluntariamente numa semaninha de férias pelos feriados e depois involuntariamente graças a uma semana de intenso trabalho. São assim as coisas. E depois acontecem outras coisas, nomeadamente nesse país tropical que é o Brasil, mas não vamos agora falar disso que isto é um sítio de alegria e descontracção. Pois, eu sei que se calhar dormiram pouco e mal, e que hoje é segunda-feira e está a chover, mas vamos pensar no Verão com muita força, vamos?

Guerlain Terracotta Le Parfum, € 59,30

A comemorar os 30 anos da linha de pós bronzeantes Terracotta, a Guerlain lançou um perfume chamado Terracotta Le Parfum que parece ser o Verão num frasquinho catita: tem notas de bergamota, tiaré, ylang ylang e baunilha, tudo coisas que eu gosto, sendo que várias opiniões abalizadas se têm pronunciado muito positivas (e gostar de perfumes à séria tem destas coisas, à medida que vais conhecendo as notas, consegues discernir se vais gostar de um perfume mesmo antes de o cheirar). 

O pequeno problema é que não encontro isto em lado nenhum por aqui! O expositor da linha de Verão da Guerlain até tem um sítio específico para o perfume, mas nada de perfume e nem no El Corte Inglès aparece, o que me faz desconfiar que não vai aparecer por cá. OK malta, estava quase a publicar isto quando verifiquei que o perfume já aparece na loja online da Perfumes & Companhia! A esperança é a última a morrer!

Bronze Goddess The Nudes, € 50,40

Apesar do fraco investimento que a Estée Lauder (e a sua "filha" Clinique) faz em Portugal, foi uma agradável surpresa ver chegada aos expositores da marca a nova paleta de sombras sob a égide da linha de Verão Bronze Goddess: a paleta Bronze Goddess The Nudes é a entrada da Estée Lauder na loucura das paletas nude e tenho a dizer que é muito bem apessoada, sim senhor! Inclui cinco sombras nude em tons de castanho e ainda três sombras metálicas, todas com uma maravilhosa textura amanteigada e imensa pigmentação. Até me estremece o cartão multibanco e eu tremo de vergonha porque já tenho sombras nude para maquilhar um desfile de moda inteiro.

"rehab" para unhas [and I said yes, yes, yes]


Já aqui mencionei algumas vezes que nos últimos meses tenho sofrido com unhas enfraquecidas e lascadas. A viagem a Paris era, pois, a oportunidade ideal de pôr as mãos (e pôr nas mãos) o endurecedor de unhas da Herôme, elogiado pela Vic Ceridono e pela Sara do Make Down! Lá veio ele da Citypharma e, pequeno milagre, querem lá ver que isto veio à borla? A menina da caixa esqueceu-se de registá-lo!

A Herôme é uma marca holandesa de cuidados para unhas e tem disponível uma loja online,  que envia para cá embora os portes sejam caritos, cerca de € 6,00. O Nail Hardener Extra Strong custa € 12,70 e é um "tratamento de choque" que deve ser utilizado por duas semanas, um máximo de duas vezes por ano. Estes limites não devem ser excedidos pois este produto contém formol, que pode ser perigoso em doses excessivas. Utiliza-se do seguinte modo: no dia 1 aplica-se uma camada; no dia 2 aplica-se uma segunda camada; no dia 3 retira-se com removedor e aplica-se novamente uma camada; no dia 4 aplica-se outra camada, e assim sucessivamente.

Gosto muito de usar verniz portanto precisei de alguma coragem para andar duas semanas com as unhas nuas. No entanto o produto dá um brilho natural muito bonito, como se fosse verniz transparente, e seca bastante depressa. O único defeito que tenho a apontar é o cheiro, que se nota um bocado se tiverem o frasco mesmo por baixo do vosso nariz...

Ao fim de duas semanas, sinto as unhas mais sólidas, vamos lá a ver o que quero dizer com isto: as minhas unhas estavam lascadas e/ou "pré-lascadas" que é aquele estado em que a ponta da unha parece estar separada em "camadas" e portanto lasca mais facilmente, e por muito cuidado que se tenha esta "separação" vai alastrando à medida que a unha cresce e portanto a ponta está sempre frágil. O que eu notei com o Nail Hardener Extra Strong foi o desaparecimento gradual deste estado, com o consequente reforço da resistência das unhas. Faço uma avaliação muito positiva deste produto e tenciono continuar a utilizá-lo como "cura" a cada seis meses, na medida do necessário.

Ingredientes: Butylacetate, Ethylacetate, Nitrocellulose, Acetyl Tributyl Citrate, Isopropyl Alcohol, Aqua, Isobutyl Acetate, Phthalic Anhydride/Trimellitic Anhydride/Glycols Copolymer, Formaldehyde, Styrene/Acrylates Copolymer, Stearalkonium Hectorite, Methanol, Benzophenone-1, Titaniumdioxide, Citral, Citric Acid, Acetyl Methionine, N-Acetyl-L-Cysteine

Como convidado especial temos ainda o mini verniz Peggy Sage Quick Dry na cor #5204 Pauline, um bonito azul céu que foi eleito para a manicure inaugural pós-tratamento. O preço da loja online são € 3,90, mas na Expocosmética comprei-o por € 2,40. É um verniz que se aplica facilmente, fica opaco em duas camadas, e seca depressa. Nesta foto tem três dias certinhos de uso, sem lascar nem desgastar nas pontas (tem uma camada de Essie Good to Go como top coat).

Aproveito para partilhar uma dica quanto à manutenção da manicure. Já me perguntaram no Facebook o que faço eu às cutículas, sendo que a resposta é: nada, ou quase nada. Tenho a felicidade de ter mãos e unhas bonitas e sempre cuidei de as manter, e como raras vezes faço manicure fora, nunca cortei as cutículas nem nada do género (às vezes corto "sabugos" mas isso é diferente), e raras vezes sequer me dou ao trabalho de as empurrar (nunca cortar ou deixar que cortem as cutículas foi mais um sábio conselho da minha Mãe). Não sei se isto tem alguma influência, mas é o que é. 

No entanto, nunca deixo de hidratar, hidratar, hidratar, e para além do creme de mãos, tenho sempre comigo uma daquelas canetinhas de óleo para cutículas que várias marcas vendem. Já usei as da Sephora, mas da última vez comprei uma Mavapen da Mavala e gosto muito mais desta que das canetas da Sephora, pois distribui melhor o óleo sem deixar as mãos gordurosas. Aplica-se em qualquer lado, até a meio de uma reunião, e dá imediatamente outro aspecto às unhas!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...