yeah, and thanks for nothing (epílogo irónico à saga dos botins vermelhos)

Sim, os tais. Aqueles que eu corri mundos e fundos à procura de uns parecidos, e nadica de nada. Até que acabei por comprá-los em saldo, e apanhei o último par 35.5 que havia no net-a-porter.

Estava-se mesmo a ver que depois disto tudo, no Domingo passado entrei na Bershka do Vasco da Gama... e havia uma prateleira inteira de imitações do modelo.


Honestamente... eu sei que gosto de falar (e de comprar) as grandes marcas, mas nunca fui de snobismos. Aliás há peças de marca que eu nunca compraria, quer por custarem dinheiro a mais, quer por pecarem por gosto a menos (e às vezes pelas duas coisas). E por outro lado, se eu achar que uma peça runway inspired (para usar um eufemismo) tem uma boa relação qualidade / preço, não serei avessa a comprá-la.

Porém, neste caso sinto-me algo vingada. Eu já comprei diversos pares de sapatos na Bershka dos quais não tenho nada a dizer... mas as tais imitações dos Balmain, são dos sapatos mais fraquinhos que já vi nestas lojas! Para começar não são camurça nem cabedal, mas sim tecido; e estão mesmo mal cosidos. Logo eu que tenho uma obsessão por costuras direitinhas. Resultado: não os compraria, mesmo que não tivesse entretanto comprado os meus Balmain. Dito isto, a visita à Bershka rendeu um amoroso cardigan de malha com rosinhas azuis e o tal McQueen inspired vestido / túnica / T-shirt. You win some, you lose some.

2 comentários :

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...