stop! hammer time! (outra entrada sobre... calças)

É em momentos destes que eu verdadeiramente me sinto fascinada com a arte do corte e costura. Não é só coser dois trapitos, meia bola e força. É um métier. E às vezes requer igual esforço encontrar, no meio de resmas de roupa por esses shoppings fora, as peças que nos ficam bem.

Especialmente quando de calças se trata.

A verdade é que a tendência das calças largas ou slouchy, nas suas diversas iterações, deve ser tratada com pinças por quem mede menos de 1,80, que corre o risco de acabar como o proverbial pinto calçudo. E nesta Babilónia que consegue ser a moda dos nossos dias, já nem sabemos bem do que falamos. Por isso fui pesquisar, pesquisei e sistematizei. Falemos então de calças:


Palazzo: modelo cintado que assenta na cintura ou mais acima, a partir da anca alarga (normalmente com pinças à frente ou dos lados), exagerando até em certos casos ser difícil distinguir se é calça ou saia.

Harém: como o nome indica, modelo originário do Médio Oriente onde assume diversas denominações que têm como elemento comum o facto de se tratar de uma calça de perna larga até abaixo, onde prende no tornozelo com elástico. Muito usadas nas danças orientais.

Sarouel: descendem das calças usadas pelos condutores de camelos no Sahara. Têm o gancho muito descido, quase até ao joelho, e a partir daí são bastante justas. O seu formato evoluiu para permitir conforto e funcionalidade: permitem montar o animal e evitam que o tecido das calças se prenda nos estribos.

Jodhpur: semelhantes às Sarouel em função e estilo, mas com um gancho menor, actualmente também designadas por calças à cavaleiro. Recebem o seu nome da cidade de Jodhpur na Índia, onde eram tradicionalmente usadas por cavaleiros e condutores de elefantes. O modelo foi adoptado pelo exército inglês no século XIX, tendo a quantidade de tecido utilizada na calça diminuído à medida que se desenvolveram os tecidos com maior elasticidade.

Pessoalmente acho que todos estes modelos, para ficarem bem em corpos normais, requerem um styling meticuloso que passa pela conjugação com peças ajustadas na parte de cima do corpo. Quanto a sapatos, e dependendo das calças e do que se pretende, ou rasos ou muito altos... mas isto é a minha opinião genérica porque eu no que se prende com sapatos nunca vou para o meio termo!

E depois disto tudo, e de experimentar muita calça por essa Lisboa fora... acabei por comprar estas na Blanco. O tecido parece camurça, é confortável e cai muito bem (tentei tirar uma fotografia hoje de manhã, helás, estava mesmo em dia não). Mas há uma parte de mim que se sente vagamente como o MC Hammer...

3 comentários :

  1. gosto imenso das primeiras, não tão justas na cinta, já estou a pensar este verão fazer umas com tecido de padrão mais fresco.
    isto porque ando quase o ano todo com os dois ultimos modelos ;)


    kiss

    ResponderEliminar
  2. Eu tenho umas no modelo das primeiras que realmente assentam um pouco mais abaixo e são muito confortáveis.

    O problema é que requerem algum cuidado, senão quando te sentas as calças roçam todas no chão!

    ResponderEliminar
  3. Tenho uns 5 pares de calças Saruel. Adoro o estilo.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...