they call it homage now

Ultimamente folhear as revistas de moda lembra-me da minha visita ao Madame Tussaud's. Não uma, mas duas grandes marcas levam a inspiração ao limite da fotocópia nos seus anúncios da estação. Onde acaba a homenagem e começa o pastiche? Onde falha a inspiração e começa a imitação?

Em primeiro lugar, Claudia Schiffer encarna Grace Kelly para a Ferragamo, numa campanha descaradamente baseada no guarda-roupa e cenários do filme Ladrão de Casaca. Só o parzinho é que fica muito abaixo do Cary Grant... e para isso também não há desculpa! Podiam sempre telefonar ao George Clooney... A campanha foi fotografada por Mario Testino em Monte Carlo, claro está.




A Dior não lhe fica atrás e converte Karlie Kloss, de apenas 17 anos, numa sósia de Lauren Bacall. Segundo o criador John Galliano, a campanha fotografada por Steven Meisel pretende um ambiente noir à semelhança do criado para os shorts films Lady Dior com Marion Cotillard. Mas não terão exagerado um bocadinho? Quando vi o anúncio pela primeira vez, pensei seriamente que tinham colado a cara da Lauren Bacall no corpo de uma modelo...



3 comentários :

  1. Muito atenta como sempre. E sim, o George teria ficado lindamente nessa campanha.

    Beijo

    ResponderEliminar
  2. Perdoa-se pelo facto de fornecerem um bom pretexto para incluir uma fotografia da deslumbrante Grace Kelly...
    Quanto à Lauren Bacall, homenagem seria dispensarem 5 minutos durante a cerimónia dos Oscars para lhe entregarem o prémio de carreira, em lugar de a empurrarem para uma cerimónia alternativa (pois, parece que ainda tenho esta atravessada).

    A Amiga D.

    ResponderEliminar
  3. Silvana: O George teria ficado lindamente! Especialmente trocando a Claudia por moi... :-P

    D.: Está atravessada está... mas creio que podemos consolar-nos em saber que a Lauren Bacall é demasiado senhora para se ralar com isso!

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...