kawaii!

E já vos contei que no Sábado fui à Feira da Ladra? Não acredito que passei oito anos em Lisboa sem nunca lá ir... adorei desde as bugigangas e velharias ao artesanato e crafts! Um verdadeiro achado foi a My Crafty Closet, uma loja que fica mesmo no edifício do Mercado de Santa Clara e onde se podem encontrar as marcas de crafts e vintage Amores de Tóquio e Piquenique das Bonecas... contive-me a custo para comprar só este colar, porque as peças são lindas e muito alegres especialmente para a Primavera que se avizinha...

vício de boca

E eu que nem gosto de rebuçados. Não, a sério. Eu era a criança extraterrestre que não comia rebuçados nem doces nem bolos nem chocolates. Só gelados.

Anyway. No Sábado passei pela Rua da Conceição para comprar botões e descobri a papabubble, uma loja de rebuçados artesanais que é um mimo. Tem aquele ar de Lisboa antiga/moderna, e é giríssimo ficar por lá a vê-los amassar e modelar os rebuçados ao balcão.


Comprei uma embalagem de rebuçados de côco e ainda não consegui parar de comê-los.

É mesmo caso para entrar na loja e dizer: I want candy!

like a hole in the head

E já que estamos numa de originais e imitações, não resisto a mostrar-vos o exemplo perfeito de uma peça de marca que peca por excesso de preço e zero de gosto: esta T-shirt Balmain custa uns módicos € 1.028,14... sim, leram bem, duzentos contos de reis por uma T-shirt rasgada.

Isto de andarem a ser levados ao colo pela Vogue Paris está a dar-lhes a volta à cabeça...

yeah, and thanks for nothing (epílogo irónico à saga dos botins vermelhos)

Sim, os tais. Aqueles que eu corri mundos e fundos à procura de uns parecidos, e nadica de nada. Até que acabei por comprá-los em saldo, e apanhei o último par 35.5 que havia no net-a-porter.

Estava-se mesmo a ver que depois disto tudo, no Domingo passado entrei na Bershka do Vasco da Gama... e havia uma prateleira inteira de imitações do modelo.


Honestamente... eu sei que gosto de falar (e de comprar) as grandes marcas, mas nunca fui de snobismos. Aliás há peças de marca que eu nunca compraria, quer por custarem dinheiro a mais, quer por pecarem por gosto a menos (e às vezes pelas duas coisas). E por outro lado, se eu achar que uma peça runway inspired (para usar um eufemismo) tem uma boa relação qualidade / preço, não serei avessa a comprá-la.

Porém, neste caso sinto-me algo vingada. Eu já comprei diversos pares de sapatos na Bershka dos quais não tenho nada a dizer... mas as tais imitações dos Balmain, são dos sapatos mais fraquinhos que já vi nestas lojas! Para começar não são camurça nem cabedal, mas sim tecido; e estão mesmo mal cosidos. Logo eu que tenho uma obsessão por costuras direitinhas. Resultado: não os compraria, mesmo que não tivesse entretanto comprado os meus Balmain. Dito isto, a visita à Bershka rendeu um amoroso cardigan de malha com rosinhas azuis e o tal McQueen inspired vestido / túnica / T-shirt. You win some, you lose some.

nada se perde, nada se cria, tudo se transforma

Se isto continua assim tenho de fazer uma tag só para o Alexander McQueen... Adoraram a colecção Primavera/Verão deste criador? Claro que sim. Darwin e ficção científica num só! Mas é melhor nem falar dos preços destes vestidos, especialmente agora (é mórbido, eu sei...), e de qualquer maneira são obras de arte que uma comum mortal não se atreveria a envergar! A não ser que se seja a Lady Gaga (que não é uma comum mortal).

Mas o círculo gira e gira e gira, e os padrões animalistas apresentados por McQueen já chegaram às lojas Bershka onde este vestido / T-shirt / túnica, há que reconhecê-lo, faz um bom trabalho em traduzir a tendência para o dia-a-dia.

look perfeito by Marionnaud, nas Amoreiras!


Decorre até amanhã no Centro Comercial Amoreiras, um evento organizado pelas Perfumarias Marionnaud e que combina consultoria de imagem, cabelos (com a colaboração da Marlies Moller) e maquilhagem (com a colaboração da Lancôme). Podem simplesmente aparecer por lá, ou fazer marcação (como eu fiz), telefonando para a Marionnaud das Amoreiras: 213 833 835.

A nível de maquilhagem, aplicaram-me o novo look Primavera/Verão Ô My Rose, que apesar de girar à volta do tema das rosas (emblema da marca) tem cores perfeitas para os nossos tons pêssego e dourados. Não dá bem para ver na foto que me tiraram, mas a paleta de verdes e azuis petróleo realça maravilhosamente os olhos castanhos!


Os produtos que me aplicaram:
  • Base fluida Silky Mat (cor 03)
  • Pó compacto Color Ideal Poudre (cor 02)
  • Duo corrector Touche Pro (cor 03)
  • Blush iluminador Pop n'Cheeks
  • Sombras Palette 4 Ombres Pop n' Petrol (cor 16)
  • Lápis Crayon Khol Pop Petrol (cor 04)
  • Máscara de pestanas Hypnôse Drama (cor 01)
  • Gloss Color Fever Shivering Pink (cor 362)

garden collection by H&M

Já chegou às lojas da H&M a Garden Collection, feita com materiais reciclados ou ambientalmente sustentáveis. Aposta forte em florais e estampados com todas as cores do arco-íris, cortes babydoll e toda uma aura de flower child dos anos 60, com apontamentos em brancos e nudes. As peças são bonitas e com bons acabamentos, interessantes mas não demasiado espalhafatosas.

Gostei especialmente, e comprei imediatamente, este casaco que é um misto de casaco / gabardine / parka / guarda-pó, leve e perfeito para vestir por cima de um look de Verão e sobreviver às águas mil de Abril que se avizinham. Tive alguma sorte, pois o número mais pequeno que ontem tinham no Colombo era o 38 (e eu que na H&M sou sempre 34 ou 36...), porém ao experimentar constatei que me assentava perfeitamente nos ombros e por isso comprei-o! Claro que as mangas ficam grandes, mas arregaçam-se e pronto, tal como a modelo faz na foto.


Resta-me procurar este belíssimo bolero com rosas vermelhas... cheguei a pensar que o tinha sonhado mas não, aparece no portal da H&M por isso existe, the truth is out there, tenho de ir a correr procurá-lo à loja do Grandella... Alguém o viu por aí?

a few of my next favorite things



Tom Ford, que depressa se está a tornar um Leonardo da Vinci do estilo nos tempos modernos, dedicou o seu inestimável talento à criação de uma linha ultra exclusiva de 12 batons (não confundir com a linha de maquilhagem feita há alguns anos em colaboração com a Estée Lauder). À venda em sítios muito exclusivos, mas não em Portugal *snif snif*

A linha de Primavera/Verão da maquilhagem Dolce & Gabbana chama-se Midnight Bloom e inclui este quarteto de sombras chamado Fabulous. O nome diz tudo. À venda em sítios muito exclusivos, mas não em Portugal, e eu já estou com vontade de marcar outra viagem de compras para Londres. Ou Paris. Ou Milão.

A próxima colecção da MAC, que se prevê chegar em Abril, inspira-se nos famosos estampados da marca inglesa Liberty. As embalagens desta edição limitada serão brancas com estampados coloridos.

junkyard blues sound familiar (ideias para arrumar tralhas)

Com gavetas, caixas e caixinhas de bijuteria, acontece-me esquecer das peças que tenho! Ontem por quaisquer artes mágicas, deu-me na veneta fazer qualquer coisa sobre este assunto. Após algumas pesquisas nas internetes, descobri uma ideia fantástica para arrumar pregadeiras, que logo tratei de executar.

Materiais: uma moldura (preço: € 2,50 na loja dos chineses), um pedaço de tecido, preferivelmente de urdidura grossa (eu usei uns restos que tinha; também podem usar serapilheira ou tela de bordados), cola própria para tecidos.

Execução: nada mais fácil... abram a moldura, retirem o vidro e colem o tecido bem esticado sobre o suporte de cartolina. Como a moldura que comprei era mesmo das baratas, eu usei o próprio vidro como suporte para aplicar o tecido, e usei duas camadas para ficar mesmo espesso. Depois é só voltar a montar a moldura e prender as pregadeiras no tecido!


PS: É claro que precisei de fazer duas molduras para ter espaço para tudo... e mesmo assim ainda tenho umas flores enormes guardadas na gaveta!

seahorses in the spring breeze

Uns diazitos de sol fazem maravilhas ao nosso estado de espírito... e umas compritas também! No Sábado passeei pelo Porto e descobri que a zona da Rua Miguel Bombarda e arredores está um must como destino para compras originais. Na Quarto de Cima (Rua do Rosário, 154) comprei este lindo cavalo-marinho em Fimo que é uma peça única... adoro o seu ar meio toon e os pormenores que revelam o cuidado com que foi feito! É um original de Sandra Duarte que tem no blog da sua marca Rasssa mais alguns belos exemplos de criatividade.

os pássaros órfãos no palácio abandonado: alexander mcqueen outono/inverno 2010



Rússia Imperial
anjos asas querubins rococó
Bizâncio ritual
Hieronymus Bosch
Scarlett O'Hara com um vestido feito de cortinas
ovos Fabergé cinzas Maria Antonieta
uma princesa que se tornou noviça
rainhas bispos e Madres Superioras
e anjos sempre anjos a bater as asas




Dezasseis obras que ficam como canto do cisne de um dos grandes da moda contemporânea. Podem ver a colecção no portal da marca Alexander McQueen e no portal Style.com. Nos próximos dias tentarei publicar mais alguns detalhes.

the oscars 2010: kathryn bigelow


Melhor Realizadora. Melhor Filme. Ah mulher de armas!

the oscars 2010: zoe saldana


Gosto imenso do estilo de Zoe Saldana e do sorriso aberto que sempre mostra no tapete vermelho. Este vestido Givenchy é muito bonito e Zoe veste-o perfeitamente... mas tive alguma dificuldade em encontrar uma foto que gostasse, pois à frente o vestido tem uma costura / abertura algo estranha que, na minha opinião, desfigura completamente a linha da saia. Deste ângulo, pelo menos, é um mimo.

the oscars 2010: maggie gyllenhaal


Os Óscares já não são o que eram e, embora cinéfila inveterada, o meu interesse na cerimónia hoje em dia resume-se a: (i) ver os vencedores no iPhone ao acordar, e (ii) ver as fotografias dos vestidos nas internetes... E mesmo a moda é cada vez mais aborrecida, as escolhas resumem-se cada vez mais a determinados géneros e estilistas. Por isso ver Maggie Gyllenhaal atrever-se a usar um estampado Dries Van Noten no tapete vermelho foi uma verdadeira lufada de ar fresco. Tudo nela está perfeito: o cair do vestido, a forma como o suave drapeado se ajusta na perfeição ao seu corpo e ao estampado, o contraste da pulseira, os adoráveis brincos, e a maquilhagem com o baton rosa vivo e o esfumado a realçar os seus olhos. É a minha favorita da noite.

estimados membros da Academia...

... por mais que eu admire e aprecie os demais nomeados, façam o favor de dar o Óscar a Colin Firth por A Single Man.

kate moss pour longchamp



Já chegou ao El Corte Inglès a nova linha de carteiras da Longchamp, desenhadas por Kate Moss em colaboração com a directora criativa da marca, Sophie Delafontaine. As carteiras têm linhas simples e intemporais, com a qualidade característica da Longchamp. O seu ar clássico é contrabalançado pelo forro em zebra que lhes dá um toque de mischief. Infelizmente e pelo que pude ver ontem, o El Corte Inglès não tem a colecção toda... não tem as carteiras em zebra nem tem as pochettes, quer a zebra quer a verde-água seriam uma adição bem-vinda ao meu armário...







headphones

Há uns meses eu e a D. estivemos em Londres e às tantas comentámos uma com a outra sobre a quantidade de pessoas que vimos com headphones "à moda antiga", bem grandes e visíveis, em cores bem vivas como amarelo ou rosa fluo. E realmente desde há uns tempos para cá a oferta de headphones nas lojas da especialidade, por exemplo na FNAC e na secção de som e electrónica do El Corte Inglês, aumentou bastante. Como utilizadora regular de iPod e iPhone, desde já muito que me incomodava o facto de em certas ocasiões - eu viajo muito de comboio - ser obrigada a aumentar o som mais que o desejável para "afogar" o ruído ambiente. Depois de ler um artigo que falava exactamente neste tema, recomendando a compra de headphones de melhor qualidade e com melhor isolamento de som, em vez de usar os icónicos fones pequeninos e brancos da Apple, este fim-de-semana lá comprei uns no El Corte Inglês da marca AKG. Como não sou assim tão ousada, escolhi um modelo clássico em negro, com uns vivos em vermelho nos fones propriamente ditos. Apesar do maior tamanho, levam-se facilmente na carteira, pois dobram-se sobre si próprios e trazem uma bolsa de transporte...

Qual não é o meu espanto quando hoje descubro no blog da Glamourai que na apresentação da colecção Outono/Inverno 2010 da Dolce & Gabbana, as modelos desfilaram com headphones dourados como se de acessórios se tratassem! Tendência aliás que a própria Glamourai já havia referido uns meses antes... From the road to the runway and back again, assim anda o mundo!


E quanto aos meus headphones? São bastante confortáveis e fiquei impressionada com a qualidade do som. O suporte almofadado consegue reduzir bastante o ruído de fundo, o que não só permite uma experiência de audição mais agradável, um som mais puro, como é muito mais saudável para os nossos tímpanos. Mas tenham cuidado para não se distraírem a curtir um som e perderem a vossa paragem de metro / autocarro / comboio!

pants

Sim, o tempo anda completamente louco de modos que nem o venerável Anthimio de Azevedo consegue prever. Anda pela Europa uma tempestade com nome de antibiótico - Xynthia, really? - e enquanto nós comuns mortais decidimos o que vestir com as mesmas hipóteses de quem joga no Euromilhões, as lojas enchem-se de colecções primaveris aliciando-nos com roupas que não podemos ainda usar.

E no meio dos caquis, dos nudes, dos náuticos e dos florais, um flagelo espreita as mulheres como eu, portuguesas, pequeninas como a sardinha: calças. Não há calças de jeito nas colecções de Primavera/Verão. Ou pelo menos eu ainda não as encontrei. Só vejo leggings e calças slouchy de cintura alta. Ó senhores da Inditex e da Mango: eu tenho 1,55m. Calças de cintura alta chegam-me às maminhas. Não se arranjam umas calças mais ou menos normais de corte direito? Que não sejam calças de fato, que de fatos já eu estou servida para uns anitos?

Eu sei que sou particularmente cuidadosa com calças e, por isso, talvez um pouco difícil de satisfazer às vezes mas... you did it before, you can do it again.

an education




Um filme onde a sensibilidade da realizadora Lone Scherfig, o argumento de Nick Hornby - adaptado das memórias da jornalista inglesa Lynn Barber - e a impressionante interpretação da jovem actriz Carey Mulligan tornam aquela que poderia ser apenas uma triste história comum, em algo comovente e precioso. Porque todas nós sabemos o que é ser menina, o que é ser mulher, o que é ser ambas e nenhuma destas coisas num só momento.







Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...