io sono l'amore (redux)

Ainda assim, reconheço que não estava à espera de um filme tão impressionante. É raro filmar o estilo com tal mestria sem que o mesmo se sobreponha à substância.








just so you know




© Condé Nast


Tempos houve em que as capas da Vogue não eram um mero desfile de starlets a promover o seu último filme / álbum / série / perfume / whatever...

medidas de austeridade? ...então não vinha aí a retoma?!

Ontem comecei o dia da melhor maneira... recebi um SMS da DGCI a confirmar que o meu reembolso do IRS já tinha sido processado! Volta e meia fui à conta para confirmar e viva! Cacau!!! Claro que é para poupar, até porque tenho a sensação que o Estado me está a meter dinheiro no bolso com uma mão, para o tirar com a outra. Mas aplicando a minha regra dos 90/10 que sempre me guia nestas ocasiões, fica 90% em poupança e tenho 10% para aplicar num mimo...

Ou seja, embora os meus loucos instintos queiram isto...

... em vez disso aproveitei o primeiro dia da Castilho Fashion Street para dar um pulinho à Coccinelle onde andava há uns tempos a namorar uma computer bag super linda e slim. Estava de olhos postos na cor branca, que mesmo no Inverno ficaria a matar, mas já não tinham... de modos que após alguma reflexão trouxe a prateada que é igualmente lindíssima. Claro que depois hoje me esqueci de lhe tirar uma foto, mas ficam com uma ideia do modelo, aqui em azul ganga. E tive direito a 10% de desconto e um lanchinho de Merry Cupcake e Nespresso. Isto sim é atenção ao cliente. Convenhamos que apesar do calor infernal que se faz sentir em Lisboa, é bastante mais simpático passear numa rua bonita que andar para cima e para baixo em centros comerciais todos iguais uns aos outros onde sempre as mesmas lojas têm sempre as mesmas coisas.

little blue boxes



Graças a uma dica da M. fiquei a saber que o novo verniz it da Chanel, um azulinho menta chamado Nouvelle Vague, está prestes a chegar aos balcões das nossas perfumarias. E como logo ontem era dia de manicure, e como a minha esteticista por obra do destino tinha um azulinho dentro do tom... voilá! É um bocadinho mais escuro que o Nouvelle Vague, mas é lindo... um gémeo do Nouvelle Vague que infelizmente ainda não se encontra por cá é o For Audrey da marca China Glaze, que tem este nome porque é Azul Tiffany© como as caixinhas azuis da mítica joalharia nova-iorquina. Suspiro...

Trivia: sabiam que o Azul Tiffany© é um dos raríssimos casos de cor patenteada? A cor é produzida pela Pantone em exclusivo para a Tiffany's com o código PMS 1837 (ano de fundação da joalharia), e não está disponível nos catálogos comerciais da Pantone. E esta, hein?

wear sunscreen



A Primavera e o Verão em Lisboa chegam com a imprevisibilidade da Inquisição Espanhola naquele sketch dos Monty Python. Num dia estás a vestir camisolas para te proteger da ventania, no dia seguinte a cidade queima com a brancura da pedra dos passeios, cheia de turistas cor-de-rosa, e tens que caminhar mais devagar na rua para respirar no ar sufocante sem derreter em suor.

Não é só na praia que devemos usar protector solar. Quem já sentiu o calor do sol nas ruas de Lisboa ou de qualquer outra cidade, saberá avaliar este conselho que, mais do que estética, é uma questão de saúde. Nas últimas décadas a medicina avançou anos-luz no que diz respeito à compreensão dos efeitos dos raios solares sobre a pele. Os raios ultravioletas provocam a degeneração e alteração das células cutâneas, que como mecanismo de defesa produzem melanina e assim criam o bronzeado. Ou seja, mesmo o bronzeado mais ligeiro é um sinal que a pele sofreu um dano e está a proteger-se.

Claro que há bronzeados e bronzeados, e não estou a dizer a ninguém para se fechar em casa. Afinal, a luz do sol também é benéfica para a nossa saúde, pois ajuda ao nosso bem-estar psicológico e estimula a produção de vitamina D no corpo. Resumindo: como tantas coisas na vida, moderação e bom-senso fazem maravilhas. Eu não sou fundamentalista, vou à praia e bronzeio no Verão. Mas uso sempre imenso protector - eu e a minha Mãe damos conta de um frasco em dois dias - e nunca fui capaz de estar muito tempo ao sol, especialmente nas horas mais quentes.

Desde há alguns anos, e por conselho do meu dermatologista, incluí na minha rotina diária um protector solar, até nos dias em que fico por casa. OK, no Inverno às vezes salto o protector algumas vezes... Hoje em dia muitos hidratantes, bases e pós incluem protecção solar, mas a verdade é que essa protecção não só é de grau demasiado baixo, como a quantidade que se coloca - tendo em conta a porção de protector contida numa dose de creme ou base - é francamente insuficiente para o que se pretende. Graças aos avanços científicos, diversas marcas produzem já protectores solares eficazes que se fundem na pele e ficam praticamente invisíveis, nada tendo a ver com os cremes pastosos e pesados de há alguns anos atrás.

A protecção solar não só previne eficazmente o risco de melanoma, como protege a pele do elemento que mais contribui para o envelhecimento cutâneo. Por outras palavras, o protector solar é talvez o único verdadeiro e próprio "anti-rugas" que alguma vez iremos usar. E daqui a vinte ou trinta anos a nossa pele irá mostrar bem os resultados dos cuidados que hoje temos com ela.

Por isso não se esqueçam... wear sunscreen!

madrid me mata


Meninas, vou passar uns dias a Madrid no início de Junho. Ficaria muito grata por quaisquer recomendações que me possam dar sobre sítios para visitar (e fazer compras)!

pernas para que vos quero


Foto © mezone
(não, as pernas não são minhas)

Verão. Esse tempo maravilhoso de vestidos, saias, bikinis e aumento de vendas da Gilette e da Veet.

Infelizmente, o destino que meu deu grande e saudável abundância capilar na cabeça... deu-ma também noutros locais não tão desejáveis. Estão a ver aqueles anúncios da depilação com cera, alegando que a dita cuja dura pelo menos três semanas? Deixem-me rir. A mim duas semanas e já era muito bom. Com máquina, ao fim de duas semanas estava a fazer quase dia sim dia não e ficava com a pele das pernas super áspera. Gilette e creme depilatório era muito trabalho para nada; menos de uma semana de duração, e ainda por cima deixava aquela sensação horrorosa de cacto quando os pêlos cresciam. Até aqui tudo bem (aguentava-se...), o problema adicional é que no bikini só podia fazer depilação com cera, senão sofria de pêlos encravados, borbulhinhas vermelhas, etc.

Não sei se repararam no facto de eu estar a escrever no prétérito imperfeito.

Pois é. Há seis meses decidi dar vazão a um sonho antigo e acabar com esta lengalenga das depilações de uma vez por todas. Perdi o amor aos euros e comprei um pacote de três anos de sessões ilimitadas de depilação a laser na perna inteira, axilas e bikini.

Posso dizer-vos sem hesitação, que foi o dinheiro mais bem gasto da minha vida!

A história como ela se passou: a verdade é que há cerca de cinco anos já tinha feito um primeiro "ensaio" de depilação definitiva, mas só na linha do bikini, e não era laser mas sim luz pulsada. Aqui é preciso fazer alguma pesquisa, porque há muito boa gente por aí a chamar laser à luz pulsada, e são coisas diferentes. Se não sentirem nada e não precisarem de usar óculos protectores durante a sessão, não é laser! Fiz seis sessões de luz pulsada numa cadeia de estética que não será referida mas cujo nome começa em P e termina em A, e realmente durante cerca de um ano julguei-me livre de preocupações. Mas depois voltou tudo ao que era!

Obviamente que isto me levou a ser mais cautelosa à segunda tentativa. Foi então que, no final de 2009, soube da abertura da primeira clínica Hedonai em Portugal, no El Corte Inglês de Lisboa. O facto de se tratar de uma entidade associada ao El Corte Inglês, que tem uma reputação a zelar, deu-me alguma confiança. E a Hedonai tem-se revelado merecedora da mesma! Após uma consulta inicial e de fazer a compra definitiva do pacote, em Dezembro de 2009 fiz a primeira sessão de depilação a laser, e em Março deste ano fiz a segunda sessão. Tenho marcada a terceira para o início de Junho. O resultado? Após apenas duas sessões, mais de 90% dos pêlos das zonas tratadas nas axilas e bikini desapareceram por completo! A sério, contam-se pelos dedos das mãos os que resistem ainda e sempre... Já nas pernas, a taxa de sucesso está em cerca de 80%, mas os pêlos que teimam em crescer estão bastante mais curtos e finos.

É o êxtase absoluto. Não imaginam a sensação despreocupada que é acordar de manhã e poder vestir calças ou saias à vontade, sem estar a pensar se tenho as pernas depiladas ou não. E melhor ainda, tenho a pele das pernas incrivelmente macia e sedosa como uma supermodelo depois de seis camadas de Photoshop!

(nem tanto ao mar nem tanto à terra, but you get the picture)

É óbvio que não há bela sem senão, ou como diz o outro, no pain no gain. A depilação a laser utiliza o laser como meio de condução de um feixe de energia concentrado até à raiz do pêlo, destruindo-a por completo. Esta energia contém igualmente calor, e por isso o emissor do laser que é encostado à pele contém igualmente um dispositivo de arrefecimento para proteger a pele. Dependendo das zonas do corpo onde é aplicado, o laser provoca uma sensação de frio / calor / cócegas / beliscão que vai do ligeiro incómodo nas pernas a algo semelhante à sensação da depilação com cera, no bikini. Depois da sessão pode ocorrer alguma vermelhidão, e não se deve apanhar sol pelo menos uma semana antes e depois da sessão, pois o laser é conduzido pela pigmentação, e pode queimar a pele se esta se encontrar muito bronzeada. Mas nada que afecte minimamente a minha satisfação com os resultados que estou a ver. Afinal, também aqui um pouco de bom senso e creme hidratante fazem maravilhas.

Update: por coincidência a beauty blogger Lipglossiping acaba de publicar um relato sobre este mesmo assunto. É muito informativo e recomendo também a leitura.

addicted to etsy

Adoro feiras, flea markets, quinquilharias, etc. Sou como um predador sempre à procura daquele momento de excitação de uma caçada bem sucedida. Já fiz boas compras no eBay, mas de há uns tempos para cá o portal líder de leilões online parece-me demasiado cheio de trangalhadas e outros produtos de duvidosa qualidade importados directamente de uma qualquer longínqua economia evergente. And not in a good way.

Mas um dia destes descobri o Etsy. E fiquei viciada. O portal de comércio online Etsy dedica-se à venda de produtos feitos à mão (incluindo as respectivas matérias-primas) e artigos vintage, somente. Para fazer compras ou vendas é necessária a inscrição no portal, que funciona com um sistema de feedback semelhante ao do eBay e utiliza igualmente o Paypal para processar os pagamentos. Ao contrário do eBay, não há leilões mas sim artigos colocados è venda, e cada vendedor tem uma lojinha dentro do portal com o seu próprio endereço e tudo!

É a perdição total. Entre os handpicked items que mudam todos os dias na página inicial, à barrinha de recently listed items no fundo da mesma página, ao correio diário etsy finds, descobrimos toda uma miríade de artigos únicos criados por artistas e designers de todo o mundo, ou encontrados nos recônditos obscuros de mansões poeirentas para ganhar nova vida às nossas mãos. Acessórios, bijutaria, roupa, sapatos, ilustrações, mobília, pinturas, brinquedos...

Ontem recebi a minha primeira compra feita no Etsy: este lindo fio com um pendente de prata em forma de asa, comprado à Gems in Vogue.



E já tenho mais umas encomendas a caminho, mas é surpresa... depois vos darei conta dos meus achados. É viciante! Há mesmo peças para todos os gostos, do mais romântico ao mais hardcore. E há, sobretudo, o valor especial que tem uma peça feita artesanalmente, com o carinho e inspiração especiais de alguém algures do outro lado do mundo. Aqui vos deixo alguns dos meus recentes items favoritos no Etsy... eu estou sempre a adicionar coisas aos favoritos, mesmo que não pretenda comprá-las, sinto-me inspirada a olhar para elas!

your friday night disco mix is proudly brought to you by the coalition forces in Afghanistan





Realmente as forças americanas não devem ter muito que fazer no Afeganistão. Mas não se pense que digo isto em tom de crítica. Ao menos são amigalhaços, criativos e desempoeirados. E o ruivinho do video do Telephone não é nada de deitar fora. Semper fi, rapazes!

the early bird gets the worm (the early worm gets the birds? i'm confused now)


vestido zara / sandálias aldo / cinto mango/ camisa feita por modista


Finalmente! Chegou às lojas um clone aceitável dos maravilhosos estampados Miu Miu. Mal vi este vestido na Zara tive de o comprar imediatamente. O estampado é realmente muito bonito e o modelo é muito confortável. O único senão é que é praticamente um vestidinho de praia: precisei de alguma inspiração para o conjugar de forma a ser vestível no escritório, mas acho que não me saí mal! Ando a aprender umas coisas com a Glamourai... E até que enfim tenho uma oportunidade de mostrar as minhas sandálias que comprei há um mês e tal na Aldo. Baptizei-as de Gaga Shoes e são o mais próximo que admito da tendência das socas... quando as vi e calcei foi um verdadeiro Bad Romance!

Para uma outra maneira inspirada de usar este vestido, vejam também o blog da Veronica. Acho que esta peça vai voar dos cabides da Zara...

it's not all fun and games in the merry-go-round

Creio que um dos marcos de nos tornarmos adultos (seja lá o que isso for) é começar a olhar para a geração mais nova - nem que a dita geração seja uns míseros 30 segundos mais nova - com um misto de espanto e desespero. Como falam, textam, interagem. O que (não) sabem. O que (não) aprendem. Mas de vez em quando encontramos pessoas como a Tavi Gevinson, a miúda de 12 anos responsável pelo blog Style Rookie, que tem mais inteligência e desenvoltura que muita gente com o dobro ou triplo da idade dela. Sensibilidade e bom senso, deveras.

Senti que devia absolutamente escrever isto hoje, porque a Tavi não escreve só sobre trapos e bugigangas. Esta entrada sobre as renovadas e repetidas controvérsias em que tem estado envolvido o fotógrafo Terry Richardson é um dos textos mais impressionantes que li nos últimos tempos. A Tavi não só consegue delinear todos os argumentos pró e contra, avaliá-los e rebatê-los, como o faz sem nunca deixar o seu estilo distintivo de escrita, o seu toque de ironia, e sobretudo sem recear abordar um assunto tão controverso. Não posso deixar de admirar esta jovem mulher e a família que soube transmitir-lhe a integridade pessoal que demonstra. Sei que está destinada a grandes coisas. E escrever sobre trapos talvez seja a menor delas.

oxford shoes

© The Sartorialist

© The Clothes Horse

© O Alfaiate Lisboeta

© Karla's Closet



A tendência dos sapatos masculinos, está para mim como a Coca-Cola para Fernando Pessoa: primeiro estranha-se, depois entranha-se. Ao contrário das socas, estes sou capaz de usar... o problema é escolher uns. Tenho de dar uma ronda pelas lojas. Já vi diversos modelos giros online, mas quando se trata de sapatos gosto de experimentar primeiro, a não ser que já conheça o modelo ou a marca. Sim, que histórias como a dos Balmain vermelhos são a excepção que confirma a regra...

chanel, inimitável

Um bocadinho em contra-corrente no meio das cores garridas das colecções de Primavera-Verão, a Chanel lançou uma nova colecção para olhos composta por pelas novas sombras Ombre Contraste Duo e ainda novas cores para a máscara de pestanas Inimitable.


Já tive ocasião de mencionar aqui a máscara de pestanas Inimitable, que está rapidamente a tornar-se a minha nova favorita. Aplicação fácil e sem grumos, e pestanas bem separadas como eu gosto! Por seu lado, os novos duos de sombras são constituídos por cores bem suaves e intemporais, associando uma cor mais clara e acetinada com uma cor mais intensa e mate.


Não resisti, claro... Comprei o duo 40 Misty Soft, composto por um castanho meio malva meio poudré e um rosa muito suave acetinado. As cores são perfeitas para criar um smoky eye muito suave, que pode ser intensificado adicionando uma cor mais escura ao longo da linha das pestanas. A aplicação é uma maravilha: as sombras deslizam como seda pela pele. You can't go wrong with Chanel.

fairy time by tim walker




















© Tim Walker, Vogue Italia Fevereiro 2009


Simplesmente um dos meus editoriais favoritos de sempre. Nada que eu possa escrever faria justiça a estas imagens.

2010 MET costume institute gala: the gossip girls


E quando já se pensava que não iria comparecer, Leighton Meester chegou not so fashionably late à gala do MET. Consta que o atraso se deveu à demora nas filmagens de uma longa-metragem que Leighton está neste momento a rodar. Mas acho que nem isso desculpa que a moça nos apareça em tais (falta de) preparos. Eu que sou e sempre fui Team Blair, nem sei por onde começar. Custava passar um baton e uma escova pelos cabelos? E o vestido Marc Jacobs pura e simplesmente não está a resultar comigo. A parte de cima assenta muito bem, mas sinto uma enorme vontade de pegar numa tesoura e cortar o vestido pelos joelhos...

Pois é, apesar da sua tendência para o super curto ser um convite às wardrobe malfunctions (acho que a Esther Williams usava fatos de banho maiores...), desta vez foi Blake Lively quem arrasou no seu modelito Marchesa.

You know you love me,
XOXO

2010 MET costume institute gala

A gala anual do Metropolitan Museum of Art | The Costume Institute em Nova York é para o mundo da moda o que os Óscares são para o cinema... uma desculpa perfeita para luzir criações de alta costura no tapete vermelho! Todos os anos a gala tem um diferente tema, de acordo com a exposição organizada pelo Costume Institute nesse ano. O tema para 2010 é The American Woman, o que parece ter deixado os designers e convidados sem saber o que fazer. As escolhas foram algo aborrecidas, com poucas honrosas excepções. Os suspeitos do costume:


Charlotte Gainsbourg em Balenciaga com Nicolas Ghesquiere. Estes só chateiam porque estão sempre na vanguarda. E eu quero aqueles sapatos.


Sarah Jessica Parker em Halston Heritage. Adoro a fluidez do vestido. Muito Carrie.


Eu compraria qualquer um destes vestidos! Chloe Sevigny em Proenza Schoulder e Carey Mulligan em Miu Miu. Infelizmente os collants e sapatos pretos de Carey destoam bastante no que deveria ser um look mais jovem e primaveril.


O menino-prodígio Zac Posen consegue uma taxa de sucesso de 50%. O vestido de Coco Rocha é uma obra-prima desde o estampado às suaves dobras e drapeados... só conseguiria ser mais sereia se tivesse barbatanas! Mas a inspiração deve ter-se esgotado neste vestido, porque a pobre Doutzen Kroes levou com uma imitação do vestido de baile da Cinderela. Oops... espero sinceramente que a limusina não se tenha transformado em abóbora ao bater da meia-noite.

carteira de luxo, aluga-se

Quem acompanha o mundo da moda certamente já ouviu falar do conceito do aluguer de carteiras, lançado há alguns anos pela empresa norte-americana Bag Borrow or Steal. No zénite da era da it bag, em que cada estação trazia um novo modelo a desejar, alguém teve a brilhante ideia de alugar carteiras de luxo, permitindo às fashionistas um fluxo interminável de novas carteiras para fazer a inveja das amigas... mediante uma módica renda, claro.

Imaginem o meu absoluto espanto quando ontem à noite, no Jornal da Noite da SIC, descobri que três empreendedoras amigas lançaram este conceito em Portugal! A Glamorous já tem no seu catálogo carteiras de marcas como Prada, Gucci, Louis Vuitton e até, pasme-se, a mítica Birkin da Hermès. A selecção é, por enquanto, um pouco conservadora, mas promete.

Tenho de aplaudir a iniciativa das criadoras da Glamorous, que demonstraram visão e audácia ao trazer esta ideia para Portugal. E definitivamente irei experimentar este serviço nos próximos tempos! Depois darei notícias... por enquanto podem ver a reportagem que passou ontem na SIC:

(a reportagem começa sensivelmente aos 05:57 minutos, depois da publicidade e das reportagens da fruta...)


Update: então não é que nos States já existe o mesmo serviço para vestidos de alta costura e eu não sabia disto? Rent the Runway. Mais uma razão pela qual eu devia morar em Nova York.

Dia da Mãe

No mais fundo de ti,
eu sei que traí, mãe

Tudo porque já não sou
o retrato adormecido
no fundo dos teus olhos.

Tudo porque tu ignoras
que há leitos onde o frio não se demora
e noites rumorosas de águas matinais.



Tudo porque perdi as rosas brancas
que apertava junto ao coração
no retrato da moldura.



Mas tu esqueceste muita coisa;
esqueceste que as minhas pernas cresceram,
que todo o meu corpo cresceu,
e até o meu coração
ficou enorme, mãe!



Olha — queres ouvir-me? —
às vezes ainda sou o menino
que adormeceu nos teus olhos;

ainda aperto contra o coração
rosas tão brancas
como as que tens na moldura;

ainda oiço a tua voz:
Era uma vez uma princesa
no meio de um laranjal...


Mas — tu sabes — a noite é enorme,
e todo o meu corpo cresceu.
Eu saí da moldura,
dei às aves os meus olhos a beber,

Não me esqueci de nada, mãe.
Guardo a tua voz dentro de mim.
E deixo-te as rosas.

Boa noite. Eu vou com as aves.


Eugénio de Andrade, Poema à Mãe, in Os Amantes Sem Dinheiro
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...