get your walking shoes on, baby

free sasha





Adorei estas fotos da modelo Sasha Pivovarova para o catálogo da marca Free People... tendência aqui tendência acolá, o estilo boho é já praticamente um clássico para os dias lânguidos de Verão em que não há nada de importante para fazer a não ser... viver! Mais uma tentação para a minha carteira, uma vez que ao visitar o website fui logo cumprimentada pelas mensagens "now shipping to Portugal" e "Free People now accepts Paypal" (e os preços são bastante simpáticos!...) Admirável mundo novo este em que vão sendo inventadas novas e mais fáceis formas de nos separarmos do pecúlio que tanto custa a ganhar... Infelizmente nem o tigre branco nem o pavão estão à venda, por isso acho que vou conseguir refrear-me nos próximos tempos.









Sasha Pivovarova © Guy Aroch 4 Free People April 2011 Catalogue, @ Fashion Gone Rogue

olh'ó robô [guerlain rouge automatique]


Eu aprecio a maquilhagem da Guerlain, mas acho os preços deles um bocadinho salgados demais por isso os artigos que tenho são dos saldos... e a verdade é que apesar dos muitos elogios que lhe fazem, acho o Rouge G um bocado exagerado quer no preço, quer na embalagem - aquilo ainda pesa na carteira e, com jeitinho, até servia de arma de arremesso! Confesso-me, porém, plenamente fascinada com a nova linha de batons da marca, o Rouge Automatique. Estão a ver aquele botãozinho no tubo do batom? Ora vejam o vídeo que demonstra:


Não é genial? Permite a aplicação do batom com uma mão só! E o mais impressionante é que esta engenhoca não é uma invenção moderna. Em busca de inspiração pelos arquivos da Guerlain, o director criativo de maquilhagem Olivier Échaudemaison encontrou o design Art Deco do Rouge Automatique original, datado de 1936... depois foi só adaptar e aperfeiçoar o mecanismo, e toca a produzir batom!


O Rouge Automatique promete a fórmula impecável a que a Guerlain nos habituou: pigmentos intensos, hidratação, duração, conforto. Melhor ainda: os 25 tons do batom recebem os nomes de grandes perfumes, actuais e esquecidos, da casa Guerlain. Mal posso esperar que cheguem às perfumarias nacionais!

les néreides (uma história de amor)





© Les Néreides


Eu só ainda não tenho os guarda-jóias cheios de Les Néreides porque os preços não são propriamente simpáticos... gosto tanto desta marca que era capaz de comprar de olhos fechados! Em Portugal é um exclusivo da Pedra Dura e não há estação em que eu não compre uma peça.

gunn's golden rules [make it work, baby!]


Adorei! Ora aqui está um livro muito original e altamente recomendado para qualquer estante fashionista que se preze! Gunn's Golden Rules é um misto de memórias e conselhos do mentor de Project Runway e Tim Gunn's Guide to Style. Apesar de ter uma co-autora, a "voz" do livro é inteiramente Tim Gunn e a forma coloquial e despretenciosa como está escrito torna-o de fácil leitura e quase impossível de pousar! As pequeninas histórias do mundo da moda - Anna Wintour a ser carregada por guarda-costas escadaria abaixo, OMG! - dão-lhe um certo picante de vez em quando, mas o que me impressionou mais foi a forma aberta e honesta como Tim fala da sua vida e de como conseguiu superar e aprender com os momentos menos bons. Porque a vida não são só croquis, cerzidos e bainhas...

amalia mattaör's dancing bags





As carteiras criadas pela jovem designer Amalia Mattaör são muito mais que dancing bags, o nome que ela lhes dá aludindo ao facto de serem perfeitas para dançar porque não temos de nos preocupar em pousá-las algures. São elas próprias adornos, de linhas tão singulares e futuristas que podiam ser usadas pela personagem de Olivia Wilde no filme Tron. Fiquei fascinada e à espera de num futuro próximo poder ver mais das suas criações.

you are my sunshine

Anna Dello Russo @ Stockholm Street Style

Descoberto um dos fashion icons de Anna Dello Russo! Esta não me saía da cabeça há dias, e acho que hoje precisamos todos de um sorriso.

[the lipstick diaries] nine reds


The first rule of red lipstick is: you will wear lip liner with red lipstick. The second rule of red lipstick is: you will wear lip liner with red lipstick.

YSL Rouge Pur no. 71 Rouge Amidala: este aqui já é só um coto, e pudera, foi o meu primeiro batom vermelho e comprei-o em 1999. Como é que eu sei isto?... Fácil... pertence a uma colecção especial de fim de ano chamada One Love que a Yves Saint Laurent editou em 1999, baseada no visual de Natalie Portman como Rainha Padmé Amidala no filme Star Wars: Episódio I - A Ameaça Fantasma, que saiu nesse ano. Inclusive as embalagens eram vermelhas em vez do tradicional dourado YSL. Comprei este batom e uma sombra dourada lindíssima... e se fosse hoje acho que tinha comprado a colecção inteira! Voltando ao batom, o que resta já está um bocadinho mais seco que a textura normal do Rouge Pur mas a cor ainda está fantástica, um vermelho lacado muito profundo com um ligeiro brilho acetinado. [e obviamente que não se devem usar batons com doze anos de "vida", mas este tem direito a ares de relíquia pelo valor sentimental]

MAC Matte Russian Red: um vermelho puro mate que é uma cor de culto no catálogo da MAC. Diz-se que é o favorito de Dita Von Teese. É uma cor com óptima duração mas seca um bocadinho os lábios ao fim do dia.

Dior Rouge Diorific no. 014 Rouge Dolce Vita: é mais vermelho tomate e muito bonito também, apesar de ser igualmente bastante mate não seca tanto os lábios.

Lancôme Color Fever no. 151: comprei-o em saldo na Perfumes & Cia. É muito vivo, quase carmim e também mate sem secar os lábios. A linha Color Fever tem, aliás uma óptima textura e é muito confortável.

Bésame Classic Color Lipstick no. C208 Bésame Red: outro vermelho puro muito clássico e fácil de usar. Os batons Bésame vendem-se em Portugal na loja Ás de Espadas, no Bairro Alto. É uma linha muito inspirada nos anos 40 e 50, e por isso os seus produtos têm inclusivamente sido utilizados na rodagem de produções de época. Uma curiosidade é a forma diferente do cilindro do batom, tipo chave de fendas. Torna muito mais fácil a aplicação!

Nars Velvet Matte Lip Pencil Dragon Girl: é um batom que vem em formato de lápis gordinho e por isso é muito prático de trazer na carteira e reaplicar. É quase carmim e mate, dura imenso e não seca os lábios.

Chanel Rouge Allure La Laque no. 75 Dragon: a Champions League dos batons é a linha La Laque da Chanel... os lábios ficam com um brilho e textura acetinada que parecem impossíveis fora das páginas de uma revista, mas são bem reais! A cor Dragon é um vermelho lacado escuro com um toque de brilho. E ao contrário do que poderia parecer, os batons La Laque duram bastante. Mas com estes é absolutamente indispensável o lápis de lábios e alguma perícia na aplicação: se pusermos muito a cor sai do contorno dos lábios...

Bobbi Brown Lip Color no. 93 Vintage Red: mais um vermelho puro, este quase alaranjado. Se tivesse de escolher três bons vermelhos clássicos certamente seriam este, o da Bésame e o da MAC.

Esteé Lauder Signature Lipstick no. 62 Scarlet: saiu-me na famosa/infame promoção do n.º 100 da Vogue portuguesa. É um quase carmim com uma textura um pouco mais transparente que os outros vermelhos aqui referidos, podendo usar-se quer em full color quer esbatido para um resultado mais discreto com um efeito bitten.

Elizabeth, olhos de violeta, coração de fogo


















Elizabeth Rosemond Taylor
1932 - 2011


Uma vida sem reservas, sem arrependimentos, sem hipocrisias. Para além da assombrosa beleza, do talento, dos diamantes, dos maridos, uma mulher sem medo de viver que nunca receou lutar pela sua felicidade, pelos seus amigos e por aquilo em que acreditava.

como o macaco gosta de banana...

© vogue.com | @ The Blonde Salad

Pois é, parece que o meu memo para a Inditex foi interceptado pela Mango! Esta T-shirt bordada que a Chiara usa parece claramente inspirada na blusa dos macaquinhos que desfilou na passerelle da Prada! Ainda não aparece na loja online da marca mas vou estar atenta às lojas (a saia e outras peças que ela usa na photoshoot, por exemplo, não aparecem no site mas já os vi nas lojas). E eu que já estava tentada a ir à loja da Prada na Avenida da Liberdade perguntar o preço da blusa... Ba-na-nas!!!

Update: já está disponível na loja online.

teoria da conspiração

@ Le Blog de Betty | Susie Bubble @ Tales of Endearment

Começo a desconfiar que existe uma conspiração mundial entre a Furla e as bloggers para me fazer querer esta carteira.

[the lipstick diaries] five fuchsias


A pedido de muitas famílias e na sequência da entrada sobre as minhas gavetas de maquilhagem, decidi falar um pouco sobre batons... O fuchsia é uma cor em alta nesta estação - como, aliás, todas as cores bem vivas e alegres! - e sempre foi das minhas cores favoritas, embora requeira alguma coragem e cuidados ao usar.

Yves Saint Laurent Rouge Pur Couture no. 7 Le Fuchsia: o campeão, como não podia deixar de ser vindo de uma casa onde esta sempre foi uma das cores emblemáticas. Os Rouge Pur Couture são batons de grande qualidade com super pigmentação e óptima duração, sem secar os lábios ou alterar a cor. Este é um fuchsia puro que por isso mesmo fica bem em muitos tons de pele.

Estée Lauder Re-Nutriv R 02 Sweet Fuchsia: a parte curiosa é que eu não me lembro onde arranjei este baton, tenho a certeza que não o comprei, e de qualquer modo desconfio que já deve estar descontinuado. Anyway, é um pouco mais "frio" que o no. 7 Le Fuchsia acima, mas como é mais transparente também permite jogar com a intensidade da cor. É muito hidratante.

MAC Amplified Full Fuchsia: este atira um pouquinho mais para o vermelho e é muito parecido com o Yves Saint Laurent. Como é um Amplified também é bastante cremoso e hidratante.

Bobbi Brown Rich Lip Color no. 11 Rose Blossom: faz parte da nova linha de batons da Bobbi Brown e é extremamente confortável. Não é bem um fuchsia, atira mais para o lado do pétala de rosa, é uma cor muito primaveril e alegre.

Shiseido Perfect Rouge RS 320: mais um bocadinho e seria violeta em vez de rosa! Devido ao facto de a cor ser muito "fria" fica melhor mesmo em peles muito clarinhas. Eu normalmente ponho só um bocadinho e misturo gloss por cima para a cor não ficar tão intensa.

mas... são para tomar banho?



© Norma Kamali

Os fatos de banho desenhados por Norma Kamali são tão bonitos, tão glamour, que até dá pena ir ao mar com eles... eu por mim basto-me com uma espreguiçadeira, um chá gelado e um pool boy para passar creme nas costas.

stuff patuxxa hates #3 (edição especial publicidade irritante)

#11: “tem de guardar os quilos de resíduos em sua casa”
Nem sei por onde começar. O conceito é mentecapto, as vozes são irritantes e nem digo nada sobre a (in)verosimilhança científica das pretensões do produto. Quer dizer, quilos de resíduos há, mas não é nas nossas casas… é na cabeça de quem escreveu isto!

#12: “é só para dizer que é lady, não é baby
Recapitulemos. Estavam ele e ela num bar, ela começou a cantarolar a letra de uma música. Três semanas depois, ele telefona-lhe com uma insuportável vozinha paternalista a explicar que ela estava a cantar a letra errada porque a palavra correcta é lady, e não baby.

Trata-se de um momento crucial na relação deles. Porque das duas uma: ou ela percebe que ele é uma besta idiota com a mania de controlar tudo o que o rodeia, e dá-lhe imediatamente com os pés, ou acabam casadinhos e felizes com ela a apanhar porrada de cada vez que o arroz ficar muito seco ou as toalhas de banho muito ásperas depois da lavagem.

#13: “o frango com mais cocorocó”
Mais dia menos dia os episódios seguintes, “a vaca com mais muu muu” e “o porco com mais oinc oinc”. Sim, não só há pessoas que são pagas para ter estas ideias… como há pessoas que as acham boas e as aprovam e pagam tempo em prime time para emitir estes anúncios…

#14: "começa por fazer comichão aqui, depois arde e depois dói..."
Quem escreveu este anúncio nunca sofreu da afecção que é tratada pelo produto anunciado (provavelmente porque tem uma pilinha em vez de um pipi). Muito gostava eu de saber se depois de sofrerem a comichão, o ardor e a dor nos seus respectivos, ainda escreveriam um anúncio tão estúpido como este.

#15: “deita cá pr’a fora”
Por favor alguém que deite fogo ao raio do boneco de uma vez por todas.

chega uma brisa dos trópicos


Foi quase sem pensar que abri a gaveta dos perfumes para finalizar a toilette do dia, e de repente o frasco de Intense Tiaré chamou por mim. E toda a manhã fiquei envolta num suave aroma de trópicos que se revelou perfeito para o primeiro dia de Primavera, porque não há como o perfume da flor de tiaré para me deixar feliz, descansada e in the mood for Spring, Summer and whatever else comes along.

O tiaré pertence à família das gardénias e é a flor nacional do Tahiti. É uma flor de um branco cremoso com um intenso e maravilhoso perfume tropical. É igualmente um dos dois ingredientes do monoi, usado há muitos séculos pelos povos da Polinésia para tratamento da pele. O monoi é fabricado através da infusão de pétalas de flor de tiaré em óleo de coco, o que produz um óleo muito rico e perfumado. Desde há muitas gerações os polinésios usam o monoi para proteger a pele nos mais variados contextos: desde o cuidado dos recém-nascidos aos ritos funerários, passando pelos marinheiros e mergulhadores que usam o óleo para proteger a pele do sol e da água salgada. Pesquisas recentes revelaram que o monoi é rico em agentes que protegem, acalmam e suavizam a pele, sendo um produto apto tanto a proteger a pele e o cabelo de agressões externas, como a re-hidratar e restabelecer a pele e o cabelo danificados. Com estas propriedades aliadas a um perfume intenso que faz pensar em sol e em trópicos, não admira que o monoi e a flor de tiaré encontrem lugar em diversos produtos de cosmética e perfumaria modernos.


O monoi é um produto Appelation d'Origine protegido pelas leis francesas da denominação de origem controlada - recordemos que o Tahiti é ainda uma colónia francesa! - e um produto só pode usar a expressão monoi de Tahiti e ter o selo Appelation d'Origine se o óleo monoi que contém foi fabricado com uma proporção aproximada de dez flores de tiaré (gardenia tahitensis) por litro de óleo de coco (cocos nucifera). A proporção mínima de monoi na composição do produto é igualmente regulada e vai desde os 90% no caso de óleos a 0,3% no caso dos géis de banho. Portanto, procurar sempre o selinho!

Como o monoi provém essencialmente de território francês, não admira que muitas das marcas que oferecem produtos com monoi sejam igualmente francesas. Mas não são de modo nenhum as únicas. Acresce que nos últimos anos a flor de tiaré - para minha felicidade - tem vindo a ser bastante usada em perfumaria. Se não podemos ir à Polinésia, a Polinésia vem até nós...


The Body Shop Spa Wisdom Polynesia - Monoi Miracle Oil e Monoi Body Balm: todos os produtos da linha Spa Wisdom são uma maravilha, mas os produtos da Polinésia com monoi são mesmo excepcionais. Super hidratantes e com um perfume fantástico, especialmente o Body Balm. É que nem precisam de usar perfume a seguir...

Hei Poa: esta marca bem em conta tem toda uma gama de produtos feitos à base de monoi, sendo que eu prefiro mesmo os básicos - os óleos de puro monoi e o bálsamo multi-usos com manteiga de karité. Vê-se logo que são the real deal porque quase sempre o meu frasco de monoi vem completamente solidificado: isto porque o óleo de coco é particularmente rico em ácidos gordos e solifica abaixo dos 24º C. Basta pôr o frasco debaixo de água quente uns minutos para ficar novamente pronto a usar.

Estée Lauder Bronze Goddess Soleil: primeiro chamava-se Azurée Soleil, depois Bronze Goddess, este ano é... Bronze Goddess Soleil. Este é o perfume de Verão por excelência, especialmente na versão óleo corporal. Cheira a flores tropicais e loção de bronzear com óleo de coco. É ligeiramente viciante.

Montale Intense Tiaré: da próxima vez que forem a Paris não deixem de visitar a Parfums Montale... é uma marca pouco conhecida mas com uma variedade imensa de perfumes e uma óptima relação qualidade/preço! O Intense Tiaré de que falava no início é um perfume da Montale muito fiel ao aroma original da flor de tiaré, ao qual é impossível ficar indiferente. Como diz a minha Mãe, é um perfume de acordar os mortos - no bom sentido, claro...

E ainda...
Ultra Suave Garnier com Manga e Flor de Tiaré (Cabelos Secos e Estragados)
Yves Rocher Jardins du Monde Gel Duche Flor de Tiaré
Guerlain Acqua Allegoria Tiaré Mimosa
Palmolive Tahiti [já não se vende por cá... momento Caderneta de Cromos do dia: ainda se lembram do anúncio com a menina a correr na praia e a cantar Ta - Ta - Tahiti?]

bright young things

Carteiras Kate Spade, $395


Carteiras The Cambridge Satchel Company, de €84 a €134


Já aqui tinha mencionado a The Cambridge Satchel Company e a verdade é que, apesar de ter ganho um lugar na minha wish list, gostava tanto de todas as cores que não me conseguia decidi por uma cor para a minha satchel. Mas quando começam a aparecer irmãs gémeas por todo o lado (com preços francamente menos apetecíveis) e a marca, num golpe de génio, lançou uma edição limitada de cores fluo perfeita para a Primavera/Verão, soube que era a hora de passar à acção. E caso nunca visto, a Primavera chega dos lados das Ilhas Britânicas com uma satchel amarelo fluo a caminho do meu armário.

Update: reparei entretanto que a marca já está também à venda na ASOS, mas não têm tantas cores disponíveis.

dama(s) de copas


O que têm estas mulheres em comum? Nenhuma delas deixou os seus créditos por mãos alheias... Marilyn Monroe e Jane Russell foram tão famosas pela figura como pelo talento; a invejável silhueta de Marlene Dietrich muito devia a um misto de soutien e corpete feito à medida que a mesma usou até ao fim da vida(o que só veio a ser revelado na sua biografia Marlene Dietrich by Her Daughter escrita pela filha, Maria Riva); e as protagonistas da série Mad Men levam a autenticidade histórica ao extremo, com roupas vintage e lingerie exactamente ao estilo da época - soutien, cinta, combinação, the works!

Nem tanto ao mar nem tanto à terra, o que me traz ao assunto desta entrada: desde que ouvi falar da loja Dama de Copas que estava cheia de vontade de a visitar. Mas os meus horários são um pouco ingratos e a loja fica no Chiado, por isso depois de muito adiar lá marquei uma sessão de bra fitting esta semana.

Eu já conhecia o conceito do bra fitting, mas (achava eu) nunca tinha tido grandes problemas em escolher soutiens, embora tivesse o eterno tique de estar sempre a ajeitar as alças. Achei a ideia do atendimento personalizado muito atractiva, e igualmente atractivo o leque de marcas que a loja representa.


E como foi a experiência? Nem sei por onde começar! Para já, a Dama de Copas é mais um estúdio ou atelier que propriamente uma loja... fica num primeiro andar, deixando longe o bulício da Rua do Carmo, e está tão impecavelmente decorada que senti ter entrado num daqueles filmes dos anos 30 que tanto aprecio!

Mas o melhor ainda estava para vir. Eu sempre comprei tamanhos 34/36 copas B/C, conforme as marcas, e depois passava a vida a ajustar as alças e a pô-las no sítio porque me deslizavam dos ombros. A assistente tirou-me as medidas e...

... explicou-me que na verdade eu era um tamanho 30 copa E. Ou seja, o facto de eu andar sempre a ajustar as alças devia-se a comprar tamanhos de costas muito largos, que não proporcionavam apoio suficiente e depois tentava colmatar isso ajustando as alças, mas só funcionava até certo ponto. Posto isto, lá fui experimentar soutiens na minha "nova" medida e realmente a diferença era abismal. Com as costas mais justinhas fica tudo impecavelmente no sítio e devidamente aconchegado, e as alças não se mexem um milímetro! E como se tudo isto não bastasse era cada soutien mais bonito que o outro, e logo eu que adoro rendinhas, cetim e muito glamour. Saí de lá com três modelos - incluindo este preto, o modelo Lucy - e já planeando voltar quando receberem mais stock.


E já me esquecia, também têm bikinis amorosos e muito retro. Enfim, definitivamente encontrei o sítio certo para a Dita Von Teese que há em mim...

ysl manifesto s/s 2011 [retour à Marrakesh]

Photobucket

A campanha Manifesto Yves Saint Laurent desta estação está simplesmente maravilhosa... a luz, as cores, a languidez de um abrasador Verão africano. O Norte de África sempre foi um refúgio e uma fonte de inspiração para Yves Saint Laurent, nascido e criado em Oran, na Argélia, quando este país era ainda uma colónia francesa.

Muitos anos depois, Yves e o seu companheiro Jacques Bergé compram uma villa rodeada por maravilhosos jardins em Marrakesh. O Jardin Majorelle, que hoje em dia é aberto ao público e inclui um pequeno museu de arte marroquina.

Photobucket

A campanha da marca não foi, porém, fotografada no Jardin Majorelle, mas sim numa villa próxima chamada Bled Roknine. Desta vez é a modelo Arizona Muse que, fazendo jus ao seu nome, encarna a musa Yves Saint Laurent ao lado de Will Westall, fotografados por Inez van Lamsweerde e Vinoodh Matadin. Simplesmente maravilhoso...

Photobucket
Photobucket
Photobucket
Photobucket
Photobucket
Photobucket
Photobucket
Photobucket
Photobucket
Photobucket
Photobucket
Photobucket
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...