almost grown up









Michelle Williams, Interview Maio 2011 @ Fashion Gone Rogue


É curioso como os verdadeiros talentos a emergir de Dawson's Creek foram os que menos se esperavam. Eu nunca achei muita graça à série para começar, talvez porque não suportava o protagonista - e realmente dos quatro, nunca mais se ouviu falar do rapaz. Pelo contrário, Joshua Jackson faz sucesso em Fringe, aqui a Michelle já conta com um par de nomeações para o Óscar, e a Katie Holmes, bem, não tem grande coisa em termos de carreira, mas enfim...

Este editorial tem qualquer coisa de Tim Walker, e a Michelle continua a demonstrar grande versatilidade em termos de interpretação e mood. Reparem na diferença entre a primeira imagem - muito Rosemary's Baby - e a última, dir-se-iam ter anos entre elas.

baby's got new shoes







Não sou fã da TOUS e normalmente nem ligo às montras da marca, mas esta colaboração com o designer Manolo Blahnik está um mimo. O pendente representa o sapato Campari, esse mesmo, o urban shoe myth que fez as delícias de Carrie Bradshaw quando O Sexo e a Cidade ainda era uma boa série de TV...





Claro que eu acho que o preço dos modelos em vermeil (prata dourada) é um exagero e da opção em ouro com um brilhante na fivela nem se fala, mas a linha em prata - este é o tamanho médio entre três - é o sapato que encaixa just so no pezinho do orçamento.

Update: a pedido de muitas famílias, junto uma nova foto com maior pormenor.

oh those russians, they did it in style


Ovo "Gelosia de Rosas", Casa Fabergé, 1907.

Oferecido pelo Czar Nicolar II à sua esposa Alexandra em 22 de Abril de 1907, comemora o nascimento do Tsarevich Alexei três anos antes. Devido à Guerra Russo-Japonesa de 1904, durante dois anos a casa real não encomendara ovos de Páscoa à Fabergé. Continha como "surpresa" um colar de diamantes e um retrato miniatura em marfim do Tsarevich, emoldurado em diamantes. Ambos estes items estão agora perdidos.

@ The Walters Art Museum, Baltimore, Maryland


Acho que é por isto que sempre detestei ovos Kinder; que eu saiba, nunca trazem colares de diamantes lá dentro.

Vemo-nos daqui a uns dias, que eu vou para o hotel mamã descansar e fazer bola de Páscoa.

four sunscreens


OK, não vou andar a repetir-me todos os anos: sim, o sol é uma coisa muito bonita mas ficar castanho curtido não é, e a nossa pele agradece hoje, amanhã e daqui a vinte anos. Estes são quatro protectores faciais que usei e uso regularmente:

La Roche-Posay Anthelios XL Fluide Extreme: foi-me receitado pelo meu dermatologista, é um protector bom e de preço bastante em conta, indicado para peles mistas e oleosas. Tem um filtro solar patenteado pela L'Oréal, o Mexoryl. Único senão: tem um ingrediente qualquer que, quando se aplicam determinados cremes ou bases por cima, se transforma numa espécie de partículas brancas...

Kiehl's Ultra Light Daily UV Defense: Lição de economia, meninas! A Kiehl's pertence à L'Oréal e este protector solar tem o mesmo Mexoryl que o Anthelios (o ingrediente encontra-se também em protectores da Garnier, da L'Oréal Solar e da Lancôme), mas custa mais ou menos o dobro... Em abono da verdade, este protector tem uma textura muito boa, suave e hidratante, e não tem o problema das partículas brancas.

Bioderma Photoderm AR: Toda a linha da Bioderma é altamente recomendada para todos os tipos de pele. As águas desmaquilhantes têm lugar cativo na minha rotina! Este protector solar tem a vantagem de ter cor (dois tons disponíveis) sem dar um aspecto empastado ou artificial, funde-se muito bem na pele.

Dermalogica Ultra Sensitive Faceblock: outro protector altamente recomendado para pele sensível. Também tem cor, mas praticamente desaparece após a aplicação. Como só está disponível num factor de protecção baixo, uso-o no Inverno e mudo para um dos outros no Verão.

stuff you might not want to know about me...


... eu ADORO trovoadas!

the art of the deal [armani summer 2011]


Confesso que no meio da explosão de cor que tem marcado esta estação, a maquilhagem de Verão da Armani, com a sua paleta cor de bronze e areia, pareceu quase aborrecida. Porém, depois de fazer uma maquilhagem no balcão da marca do El Corte Inglès, rapidamente mudei de ideias. É que as sombras castanhas são como os chapéus: há muitas... mas encontrar a sombra certa para fazer o jogo de luz e sombra, ter a quantidade certa de brilho, esfumar devidamente, enfim, isso já são outros quinhentos. Já tinha duas sombras individuais Armani, por isso conhecia a qualidade da marca, e o certo é que acabei por comprar a paleta... o castanho escuro é mesmo perfeito e então conjugado com as outras cores, uma maravilha.


Comprei também uma base Lasting Silk que tenho usado todos os dias desde então. As bases são mesmo um dos pontos fortes da Armani e nunca me desiludiram: desde que a marca chegou ao El Corte Inglès de Lisboa já gastei uma Luminous Silk e uma Face Fabric, e devo dizer que ambas as fórmulas eram excepcionais. A Lasting Silk é uma evolução da Luminous Silk mais apropriada para peles mistas como a minha. Faz parte da "nova geração" de bases como a Teint Miracle da Lancôme ou a nova Vitalumiére Aqua da Chanel, emulsões baseadas em água que têm de se agitar bem antes de usar para espalhar os pigmentos, mas em troca dão um resultado super natural.

Apesar do efeito ser fantástico, optei por não comprar o blush em creme Blushing Fabric, simplesmente porque não sou grande fã de blush em creme, não liga muito com a minha pele mista, especialmente no Verão. Mas tenho para mim que os melhores blush em creme são este e o Crème de Blush da Yves Saint Laurent, ambos têm uma textura fantástica que se transforma de creme em pó...

Devo dizer que também fiquei muito bem impressionada com o Sheer Bronzer... mas também resisti porque ainda tenho um Terracotta da Guerlain quase inteiro que é exactamente da mesma cor do que me aplicaram!


Agora só o que eu não percebo, é a Megan Fox como cara da Armani. Não sei explicar, mas acho que a miúda não liga com o estilo Armani.

papoilas


Ou, como qualquer caramelo com um iPhone e o Hipstamatic faz coisas que até parecem de propósito.

california orange

Rachel Bilson @ Street Smart

Digamos que só estou admirada por ter demorado tanto tempo. Esta foto de Rachel Bilson com o seu adorável casaco Isabel Marant já faz as rondas da internet desde Fevereiro - pois, Fevereiro! Parece que é mesmo verdade que it never rains in southern California. Hoje entrei numa das Zaras do Colombo e dei com um casaco exactamente igual. Aliás, é stock tão novo que ainda não aparece na loja online... O corte era absolutamente impecável: experimentei-o e assentava na perfeição, tirando as mangas demasiado compridas - the usual. O problema é que exageraram na cor e o casaco era tão laranja, mas tão laranja que se eu o usasse na rua poderia provocar um descolamento da retina a qualquer inocente transeunte.

E, realmente, a Zara começa a ficar um bocado puxadita nos preços.

Update: e cá está ele na loja online:

Casaco Zara, € 59,95

the birds and the bees and the lions and the tigers and the bears


Descobri por acaso a obra do ilustrador norte-americano Charley Harper, adoro as linhas minimalistas e o uso das cores. E tantos, tantos bichinhos!


Podem ver mais do trabalho deste autor em Charley Harper Gallery ou no livro Charley Harper: An Illustrated Life.



falling in love with color again..

Kinga Rajzak em Jil Sander na Elle Czech Maio 11 @ TheFashionSpot

OK, Raf Simons, ganhaste, Eu não estava verdadeiramente saturada de cor, só de riscas e color blocking. Agora com licença que vou ali ao lado comprar o tecido com as flores mais berrantes que encontrar para DIY uma bolsa igual a esta.

Update: o mesmo vestido, fotografado por Garance Doré para a Vogue Nippon Fev 11. Prints charming deveras!

the gentlewoman #3


Foi meio por acaso que descobri a revista The Gentlewoman na papelaria do El Corte Inglès, e também na altura certa pois devem receber poucos exemplares e ontem quando passei lá já não tinham mais. Mas nas livrarias Tema ou, pelo menos, online encontrar-se-á com algum jeitinho, pois parece-me que não deve ter uma tiragem muito grande.




Atraiu-me o artigo de capa sobre a cantora Adele - que não desilude! - e fiquei agradavelmente surpreendida pelo estilo e qualidade da revista. Tenho-me sentido algo desiludida com certas revistas femininas - I'm looking at you, US Vogue! - que cada vez mais parecem catálogos de anúncios com cada vez menos conteúdo editorial. Mas a The Gentlewoman tem imensos artigos de fundo sobre temas sérios e mulheres interessantes. Para além de Adele, no número 3 da revista surgem artigos sobre a directora criativa da Colette e Fatima Bhutto, escritora e descendente da malfadada família Bhutto do Paquistão.


O uso da cor é limitado de um modo que nos faz redescobrir a sua intensidade e pureza, como neste editorial sobre as cores da estação que se limita a... uma página inteira para cada cor com um parágrafo descritivo.


The bottom line: acho que vou fazer uma assinatura (a revista só publica dois números por ano) para evitar andar à caça a cada seis meses...

Imagens @ Motto Distribution

think pink!

A direcção do blogue informa os estimados leitores que, quiça contagiada pelo visionamento do infra referido número "Think Pink!", acaba de operar uma pequena revolução cor-de-rosa no grafismo do estaminé. Audrey Hepburn e Diana Vreeland fazem destas coisas às pessoas.

funny face



Funny Face (tem o curioso título português Cinderela em Paris) é o fashion film por excelência, muito antes de haver sexo na cidade e arredores ou de o Diabo passar a usar Prada... Quatro palavras: Audrey Hepburn, Givenchy, Avedon.




O enredo? Um belo dia a editora de moda Maggie Prescott (Kay Thompson) e o fotógrafo Dick Avery (Fred Astaire) - personagens baseadas, respectivamente, nos lendários Diana Vreeland e Richard Avedon - "descobrem" a jovem Jo Stockton (Audrey Hepburn) e decidem que ela é o rosto da nova geração e vai ser a nova supermodelo lançada pela sua revista de moda. Jo é uma jovem estudiosa e intelectual que acha a moda superficial e só veste preto, mas quando lhe oferecem uma viagem a Paris ela aceita para poder ir assistir a uma palestra do filósofo existencial Emile Flostre (que rima com Sartre, mas deve ser só coincidência...)


Depois há música, dança e um desfile de modelo atrás de modelo deslumbrante nos cenários maravilhosos de Paris. E não é para menos. O verdadeiro e próprio Richard Avedon serviu de consultor especial para a fotografia de moda, e todo o guarda-roupa usado por Audrey Hepburn em Paris foi criado por Hubert de Givenchy...

"Take the picture! Take the picture!...!"











~

primark! you spin me right round baby, right round

É um bocadinho frustrante. Eu sei que sou esquisita, mas até hoje não consegui comprar nada que gostasse mesmo na Primark a não ser um casaquinho de malha. E depois vejo por aí lookbooks da marca e bloggers com peças bem interessantes que aparentemente nunca chegam cá (por entenda-se, loja do Dolce Vita Tejo).


Lookbook Primark @ Blossom Image Consulting | Carteiras Louis Vuitton "Ailleurs"

Há uns meses adorei este vestido quando o vi no lookbook. Parecia uma espécie de lovechild entre Miu Miu e os padrões da nova linha "Ailleurs" da Louis Vuitton, com padrões criados pela artista inglesa Pippa Cunningham. Mas nunca o encontrei na loja!

Lookbook Primark @ The Styling Dutchman | Stella McCartney Primavera/Verão 2011

Hoje parece-me que temos round two, porque amei este vestido que, aliás, também a blogger The Styling Dutchman procura desesperadamente... Começa a cheirar-me que a Primark guarda os melhores artigos para o mercado original inglês e nos manda... o resto! Ou então eu tenho muito, mas muito azar.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...