newly minted

Gemma Ward em Emanuel Ungaro Spring/Summer 2007
@ madridi-star.tumblr.com


Continuo a não me fartar deste tom verde-menta-lima-quase-amarelo-fluo... acho que é uma das tendências a guardar desta Primavera/Verão. Por outro lado, encontrei esta foto meio por acaso num dos tumblrs que sigo agora, e é um bocado deprimente pensar no que fizeram à marca Ungaro nos últimos anos.

eat your heart out, Moleskine!


@ Kate's Paperie

Sou viciada em notebooks, e depois da fase Moleskine ó-pra-mim-intelectual, agora não resisto a uma capinha colorida. Infelizmente estes da marca Kate's Paperie não se vendem por cá... são feitos de cabedal e papel reciclado, e custam ums míseros seis dólares cada! Enfim... por muito que goste dos meus computadores, do iPhone, do iPad, nada substitui o ritual de pegar numa caneta - e atenção, uma caneta de tinta permanente e não uma reles esferográfica - e escrever no papel branco-creme palavras do mais corriqueiro ao mais profundo. Não interessa que aches não ter nada para escrever: if you build it, they will come como diziam no filme.

breve roteiro das feirinhas de Lisboa

Fact of life: não resisto a uma boa feira. Então se for de velharias e bugigangas, vão ter que arrastar-me de lá para fora. Há poucos anos a oferta em Lisboa era um bocadinho limitada, mas as feiras têm vindo a reinventar-se com a venda do artesanato urbano e arts and crafts que acabam por aliar-se às antiguidades para criar novas oportunidades de venda e divulgação. De tal modo que, quando se dá por ela, já temos uma feirinha por cada fim-de-semana do mês...

Feira da Ladra
Não precisa de apresentações... realiza-se todas as terças-feiras e sábados de manhã no Campo de Santa Clara. Têm uma ênfase muito grande em antiguidades e bugigangas, mas também se encontram algumas arts and crafts. Supostamente tem mais afluência (e mais vendedores) nos últimos e primeiros fins-de-semana do mês, quando as pessoas têm mais dinheiro...

Feira do Príncipe Real
Feira média com mais antiguidades que arts and crafts, no último sábado de cada mês e segunda-feira seguinte, no Jardim do Príncipe Real. O blog está desactualizado, mas a feira já voltou a realizar-se após alguns meses de interrupção devido às obras no jardim.

Feira Crafts & Design no Jardim da Estrela
Esta feira é só de arts and crafts e normalmente realiza-se no primeiro fim-de-semana de cada mês, mas ocasionalmente altera-se (por exemplo, em Maio foi no fim-de-semana de 7/8).

Feira de Artesanato Urbano de Campo de Ourique
Outra feira de arts and crafts, no Jardim Teófilo Braga (Jardim da Parada), em Campo de Ourique, ao terceiro sábado de cada mês.

Feira de Antiguidades, Alfarrabistas e Artesanato na Avenida da Liberdade
A nova adição ao circuito de feirinhas de Lisboa, coincidindo com a reabertura dos quiosques da Avenida, mesmo a calhar para os fins de tarde de Verão!


Aproveitando o espaço dos largos passeios da Avenida da Liberdade, abrigados por frondosas árvores, esta feira tem uma imensa oferta, dividida em arts and crafts do lado esquerdo de quem desce, antiguidades e velharias do lado direito.


Na secção de arts and crafts, comprei uma carteira +1X tamanho A5 que achei bem feita, resistente, versátil - são reversíveis - e muito prática para viajar ou para transportar o iPad - cabe lá dentro como se fosse feita à medida! Apesar da grande variedade de cores vivas, totalmente in trend para a estação, deixei-me seduzir pelo modelo marfim/preto, que achei mesmo muito minimalista e intemporal.


Depois de descer a Av. Liberdade de um lado e subir o outro, foi exactamente na última banca das antiguidades que achei esta maravilha: um alfinete de pedrarias antigo, como novo, praticamente com as pedras todas e cheio de glamour Hollywood anos 30. A Liz Taylor que há em mim sente-se feliz.

Após esta actividade extenuante (experimentem vocês subir e descer a Avenida com 30º à sombra), dediquei-me a repor as calorias gastas na Hot Dog Lovers, um dos tais novos quiosques da Avenida. Atenção: se comerem o cachorro com chili, além do exercício acabam também a fazer sauna. Tenho dito.

the hills have eyes















Sara Blomqvist em Rodarte Spring/Summer 2011, © Ben Toms 4 Twin #4 @ Fashion Gone Rogue

julian louie + ALDO


Ultimamente não passo muitas vezes pela Aldo... na minha opinião, a marca esteve alguns anos estagnada em termos criativos, a repetir modelos de ano para ano, e com preços pouco simpáticos se comparados, por exemplo, com a nossa Zilian. Mas outro dia entre numa loja e fiquei imediatamente apaixonada por estas sandálias... e depois de uma reflexão muito breve decidi comprá-las no momento. Estreei-as hoje. São bem confortáveis!

Ora imaginem o meu espanto quando estou a actualizar as leituras do fim-de-semana no Google Reader e me aparece a Susie Bubble com as mesmas sandálias!


@ Style Bubble


Entretanto e graças à referência no blog da Susie, acabei por descobrir que os sapatos fazem parte de uma edição limitada desenhada por um jovem estilista chamado Julien Louie.



Em colaboração com a Aldo, Julien desenhou os sapatos que fizeram parte integrante dos seus looks na colecção Primavera/Verão 2011 apresentada na Semana da Moda de Nova York, e alguns meses mais tarde quatro desses modelos foram lançados com direito a cocktail na flagship da Aldo em NY com editores de moda por tudo quanto é canto...




© ALDO Shoes @ Facebook


E nós por cá? Publicidade nem vê-la, nem uma referênciazita de pé de página nas fashion mags, e pelo que vi nas lojas do Colombo e Vasco da Gama, só recebemos o modelo chamado "Sobeslava" - as tais que eu comprei - em tecido estampado e camurça bege.

Eu não digo que façam como a H&M para criar corridas ao ouro às lojas, mas parece-me que houve aqui uma oportunidade perdida de relações públicas... Mas não estou demasiado preocupada com isso porque o diabo das sandálias são mesmo giras e as minhas já cá cantam!

desert walk

Essaouira @ 5 Inch and Up

Quando vi as fotos tiradas pela Sandra do 5 Inch and Up no souk de Essaouira, fiquei bastante intrigada com estas botas pois nunca tinha visto nada semelhante nem nas feiras de artesanato, nem nos souks da Tunísia, pais que já visitei diversas vezes.


Após algumas pesquisas no Google lá descobri que lhes chamam "bottes kilim" ou "kilim boots" e que, tal como as carteiras que também vêem na imagem, são feitas de cabedal e de pedaços de tapeçaria kilim típica do Norte de África. Pelo que percebi, trata-se de uma forma de artesanato "moderno", ou seja, não é calçado típico da zona, mas um artigo que os artesão marroquinos começaram a fabricar por volta dos anos 60 para vender aos turistas. Anyway, acho-as super giras. Estão a imaginá-las com umas jeans dark wash justas, ou com um vestido branco boho?


Descobri também duas ou três lojas online que as vendem, mas infelizmente e previsivelmente são bastante mais caras que na origem...


...o que tudo junto, seria mais uma bela razão para visitar Marrocos quanto antes! (se eu precisasse de mais razões...) Infelizmente (again) e devido a recentes acontecimentos, acho que é um destino que vai ficar em banho-maria durante uns tempos.

Mas os senhores que vão à Feira Internacional do Artesanato na FIL bem que podiam variar das babuchas e trazer umas destas também!...


Update: olá meninas! Tentei deixar os links que encontrei nos comentários mas não consegui... aqui vão:

Bohemia Design (loja inglesa, envia para toda a Europa)

Kiboots (loja holandesa, idem)

KilimBoots (loja holandesa com um ar um bocado tosco, não se percebe se enviam para fora)

Infelizmente e como já referi, nestes site estão com preços entre os 120 e os 150 euros, e eu fiquei com a ideia que em Marrocos conseguem comprar-se por 80/90...

trial and error [the market bag tale]

Conforme vos referi há uns tempos, desde que saíram os market bags da Jil Sander que andava tentada a fazer um DIY. Afinal trata-se de uma simples carteira feita de tecido segundo o molde dos sacos de plástico do supermercado… Há umas semanas lá me decidi a ir a Campo de Ourique espreitar as lojas de tecidos e depois de bastante escolha e reflexão, optei pelo modelo às riscas, porque não gostei de nenhum dos padrões florais que vi. Na Vidal Tecidos encontrei lona 100% algodão a cerca de € 6,50 o metro que utilizei para este projecto. Para além do azul, têm também com riscas verdes, vermelhas ou amarelas.


Para o molde e instruções fiz uma pesquisa através do Google pela expressão “shopping bag pattern”. Encontram-se diversas instruções e padrões para criar sacos de compras em tecido, reutilizáveis e ecológicos, e cujo modelo é exactamente o mesmo do market bag! Depois de alguma investigação escolhi guiar-me pelas instruções que encontrei neste tópico do fórum Crafster.org, devido à sua clareza e abundantes ilustrações (porém, saltei a parte do bolso externo no saco). Este foi o resultado final:


Para a alça de cabedal rosa que o market bag Jil Sander tem, usei um cinto de criança da Zara Kids (€ 5,95).

Devo confessar que comprei dois metros de tecido e depois fiquei a pensar que me teria bastado um. Mas ainda bem que comprei tecido a mais! Na verdade este saco que vêem na imagem foi a segunda tentativa… o primeiro saiu mal porque (i) fiz as costuras da abertura em redondo, e ficaram pavorosas; (ii) depois de terminado, cheguei à conclusão que tinha de ajustar as proporções do saco. Fiz um padrão novo e comecei tudo outra vez… à segunda o resultado foi bastante melhor!

flower child

Jil Sander S/S 2011 | Vestido Zara Kids, € 25,95

Blusa Zara, € 29,95 | Stella McCartney S/S 2011


Pois é. Parece que depois das coisas às cores e das coisas às riscas, a grande conspiração da Inditex para o descolamento de retinas entrou na fase das coisas às flores.

Infelizmente os meus 1,50m de altura desta vez não me valeram na expedição à secção júnior: o padrão do vestido às flores está colocado no tecido de tal maneira que quanto maior é o tamanho do vestido, menos flores tem... Resultado: vou andar a invejar a minha prima de seis anos por uns tempos.

we were not amused (pt. 2) or were we?

Hoje de manhã encontrei mais algumas boas fotos da gala do MET. Achei estes looks bastante apropriados quer ao tema do baile, quer a cada uma das pessoas que os usou. Sejamos sinceros... só Anna Dello Russo consegue usar um fato de toureiro com um ovo na cabeça, só Iman consegue usar um jumpsuit coberto de lantejoulas douradas. E Hailee Steinfeld, com os seus catorze aninhos, revela mais inspiração e gosto que muitas com o dobro - ou mais... - da sua idade!

Prémio Olé!
Anna Dello Russo em Alexander McQueen

Prémio Aladdin Sane
Iman em Stella McCartney

Prémio Júnior
Hailee Steinfeld em Stella McCartney

© Vogue.co.uk | Style.com

we were not amused

Tenho a dizer que no geral, achei a gala do MET bastante fraquinha, o que é uma pena especialmente no ano em que se prestava homenagem a um enorme talento desaparecido com a inauguração da exposição "Savage Beauty" dedicada à obra de Alexander McQueen. Faltou o factor "WOW", e nem entro nos casos com factor "EW!" Depois de tudo, o que fica na memória?

Prémio Memorial
Daphne Guinness em Alexander McQueen. Obviamente!

Prémio WTF?!
Anna Wintour em Chanel e André Leon Talley em cerca de duzentos metros de tafetá azul Klein.
Update: afinal, escreve ALT na sua página da Vogue que eram apenas oitenta metros de seda...

Prémio Maquilhagem & Acessórios
Ginnifer Goodwin com um vestido Topshop Unique e jóias Van Cleef & Arpels

Prémio 70's Cool
Florence Welch em Yves Saint Laurent, com Stefano Pilati

Prémio OMG SO JEALOUS!!!
Bryanboy em Dolce & Gabbana

© StyleCaster | Just Jared | Bryanboy

moby dick, ou a baleia branca


Moby Dick, ou A Baleia Branca, Herman Melville, 1851
(desconheço o autor da ilustração)


E desde manhã que este livro não me sai da cabeça. Perseguições obcecadas, enterros no mar e tal. Há cada coincidência...

bend it like the Beckams


Chapéu Philip Treacy, sapatos Christian Louboutin, vestido, carteira e marido futebolista, Victoria Beckham.

Confesso que ainda hoje os Beckham me lembram um bocadinho aquela anedota alentejana que é mais ou menos assim: "casaram por amor ou por interesse?" "ah compadre, deve ser amor, que ele/ela nã tem interesse nenhum..." Por muito que tenha evoluído, a verdade é que Victoria não deixa de ter um narizinho muito empinado que nunca pareceu encaixar com a personalidade mais extrovertida de David. Mas eles é que sabem... e devidamente apresentável nestes preparos, David Beckam continua no seu melhor (só não lhe peçam para marcar golos à selecção portuguesa).
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...