shut the front door!

@ STREETFSN

Brad Goresky, quem te mandou comprar uma satchel igual à minha?!

stuff patuxxa likes [trick or treat!]


Poster It's The Great Pumpkin, Charlie Brown! © Tom Whalen

"There are three things I have learned never to discuss with people:
religion, politics, and the Great Pumpkin"



Thriller de Michael Jackson, realizado por John Landis (versão completa).

Melhor. Videoclip. De Sempre.


Sleepy Hollow - A Lenda do Cavaleiro Sem Cabeça

O gótico americano por excelência filmado em toda a sua beleza sombria por Tim Burton.


O Conde Pátula

Ele descendia de uma longa linhagem de sanguinários patos vampiros.
Mas na última reencarnação algo correu mal...


Nosferatu, o Vampiro

Ah, o tempo em que os vampiros eram verdadeiramente assustadores e não cintilavam!


A Família Addams

Nunca ninguém foi tão assustadoramente feliz...

Luisa Casati fotografada por Man Ray

Se por cá fizessem costume parties de jeito vestia-me assim!

Tom Ford Violet Blonde


Se as notas de abertura de Violet Blonde durassem mais que alguns minutos, eu seria talvez a mulher mais feliz do mundo. Mas provavelmente passaria os dias feita pateta alegre a cheirar o meu próprio pulso, por isso se calhar é melhor não. Fazendo jus ao nome, Violet Blonde acabado de vaporizar quase nos faz ver as violetas, e como às vezes acontece com os bons perfumes, as violetas idealizadas de Tom Ford são quase melhores que as reais, temperadas por um sensual acorde de pó de arroz.

Passados alguns minutos, Violet Blonde torna-se inesperadamente um perfume bastante mais discreto, que se mantém junto à pele com alguma tenacidade (vaporizei à hora do almoço, lavei as mãos, e passadas três horas ainda cheiro o perfume). As violetas que lhe dão o nome dão lugar a um floral mais profundo e suave onde imperam o jasmim e as madeiras, com um toque muito aconchegado e chic. Posso dizer que isto é uma surpresa para mim, pois não gostei nem de Black Orchid nem de White Patchouli e até agora o meu perfume preferido de Tom Ford era Grey Vetiver, que apesar de ser supostamente masculino é um perfume muito agradável e perfeito para manhãs límpidas de Inverno. Moral da história: estou a tentar conter-me. Talvez isto vá parar à minha wishlist do Natal.

let it snow


Já neva na Serra da Estrela... e apesar da neve in loco ser uma mistela enlameada e fria, e não a brancura fofinha que vemos nos media... podemos sonhar, não?








Eniko Mihalik por Terry Richardson, © Harper's Bazaar US Nov 2011 @ Fashion Gone Rogue

hit & miss



A Primark é para mim fonte de uma certa frustração, pois já várias vezes vi na internet peças interessantes que depois não aparecem por cá, ou então são uma desilusão ao vivo. Por isso foi uma grande surpresa encontrar este vestido, que adorei, e constatar que neste caso a foto, como o algodão, não engana. E foi logo da Primark para chez moi e de chez moi para a costureira subir as mangas.

Já esta saia da Blanco foi uma total banhada. A Blanco é uma daquelas lojas que passam por metamorfoses estranhas; quando havia só uma loja da marca no Parque Nascente em Gondomar, tinha roupa giríssima, e comprei lá um fato de tweed com uma saia muito parecida com esta em tons de castanho e aplicações de renda e missangas. Agora que há mais lojas, encontrar uma peça gira na Blanco é procurar agulha em palheiro! Quando vi esta saia na loja online pensei que a decoração era um aplique de renda, mas ao ver a peça ao vivo constatei que é um mero estampado! Bom, é dinheiro que não gasto...

Naked Palette has landed


Conforme anunciado, já chegou aos escaparates da Sephora a Naked Palette da Urban Decay. Traz 12 sombras, um pincel (parece que as edições anteriores traziam um lápis, mas eu francamente prefiro o pincel) e uma mini Eyeshadow Primer Potion. Custa € 41 e na Sephora do Chiado estão com uma promoção de 20% desconto em todas as marcas até dia 28, por isso a minha ficou por € 32,80. Há uns tempos cheguei a pensar comprá-la online... ainda bem que não o fiz!

na Casa Botónia


O propósito do "passeio" era ver tecidos de decoração, mas a montra da Casa Botónia (Rua de Cedofeita 23, Porto) foi amor à primeira vista. Saí de lá com estes brincos e vontade de regressar. Só quando estava a fazer pesquisa para esta entrada me apercebi que fui mesmo atendida pela D. Maria Guilhermina. E os botões? E os colares? E as missangas? OK, talvez seja melhor gastar primeiro a gaveta cheia de materiais de bijuteria que já tenho, intocada há meses por falta de inspiração...

the story so far


Finalmente a mudança. Há uma semana que estou no meu novo local de trabalho em plena Avenida da Liberdade. E os receios de descalabro económico ainda não se verificaram! Muito por culpa deste "Verono", como o baptizaram no Manhãs da Comercial. É que já não se aguenta o calor! Eu nem consigo olhar para roupas de Inverno!

Mas a grande diferença pode resumir-se a isto: eu sinto que saí da Ilha do Perdidos e voltei ao mundo real... Sem entrar em pormenores, a zona onde se situava o meu anterior local de trabalho era um pouco menos ao centro, praticamente sem transportes públicos, e comércio de rua ainda menos, enfim, um pesadelo cor-de-rosa como um dia o baptizou um colega, uma desgraça urbanística feita sem pensar nos peões e apenas com ideias de criar rodas para hamsters cubículos. Era deserto às oito da manhã e deserto às oito da noite, e eu já perdia o apetite só de pensar nos três míseros, caros e mal servidos restaurantes das redondezas. Resultado: quase todos os dias pegava no carro à hora de almoço para ir ao centro comercial. E quem diz centro comercial diz lojas, e quem diz lojas diz compras.

Ora aqui verifica-se um paradoxo como aqueles das viagens no tempo ou dos universos alternativos - eu bem disse que fugi da Ilha do Perdidos! Porquê? Porque estou na rua mais perdulária de Lisboa... e não me apetece fazer compras! Se há tanta outra coisa para fazer! Há esplanadas, gente a toda a hora, Metro à porta para ir a (quase) todo o lado sem pegar no carro, montras para espreitar, quiosques com revistas estrangeiras como eu gosto, enfim, é a verdadeira metrópole.

Obviamente que a hora de fazer compras chegará... e pelo que tenho visto parece-me que por estes lados consigo aplicar a máxima menos mas melhor. O facto da Avenida da Liberdade ser a Fifth Avenue cá do sítio tem as suas vantagens, e não é só nas Pradas e Fashion Clinics deste mundo! A loja da Mango é anos-luz melhor que a do Colombo, por exemplo, e a Lanidor é uma maravilha (especialmente o Spa...) Claro que não resisto a entrar na Fashion Clinic de vez em quando, mas, enfim, eles agora têm a linha quase completa dos perfumes da Comme des Garçons e uma mulher não é de ferro...

querido Marc Jacobs,

© Bryanboy


Eu quando era pequenina, lembro-me perfeitamente, tinha uma carteira de brincar exactamente como esta, no tamanho e tudo, só que era cor-de-rosa. Ou vermelha, não tenho a certeza. Claro que tinhas de mandar carteiras destas pela runway fora anos-luz depois de a minha se perder naquele vazio cósmico para onde vão as memórias de infância. Portanto agora vou amuar.

P.S.: o carrocel é giro.

P.P.S.: exactamente quanto vais cobrar pelas carteiras?!

longchamp + mary katrantzou

© The Bag Hag Diaries


Ainda não acabou o calor de Verão (que sufoco!) e já desejamos peças da Primavera 2012... mal vi a notícia desta colaboração entre a Longchamp e a designer Mary Katrantzou no blog The Bag Hag Diaries fiquei deliciada! É uma grande oportunidade para ter a um preço simpático uma peça com os maravilhosos estampados digitais que são a imagem de marca da jovem criadora grega.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...