Adele

A máquina não pára. E enquanto algumas estrelas se recolhem para sempre ao firmamento, novas nascem e são aclamadas... A noite que serviu de memorial a Whitney Houston e viu ser atribuído um prémio póstumo a Amy Winehouse, serviu também de consagração a Adele, que arrecadou seis galardões incluindo Melhor Canção, Gravação do Ano e Melhor Videoclip para Rolling in The Deep, Melhor Álbum Pop e Melhor Álbum do Ano para 21 e Melhor Interpretação a Solo para Someone Like You.

Adele, que felizmente recuperou bem de uma cirurgia às cordas vocais após um problema que a obrigou a interromper a digressão em Novembro passado, foi uma vencedora justa numa noite em que se homenagearam as grandes vozes de passado e do futuro.

E após ter feito capa da Vogue inglesa de Outubro passado, a cantora faz a capa de Março da Vogue americana, fotografada por Mert Alas e Marcus Piggott. Confesso que a foto escolhida para a capa nem é a minha preferida: acho-a um bocadinho too much. Mas os fotógrafos fizeram um óptimo trabalho a captar a beleza natural de Adele. Ela tem uma pele linda e uma luminosidade muito própria, que aliada ao seu inconfundível traço de eyeliner é uma imagem de marca simultâneamente forte e feminina.

Ficamos à espera dos seus próximos voos (e já agora, de um concerto em Portugal...)













© Mert Alas + Marcus Piggott / Condé Nast @ Habitually Chic

Sem comentários :

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...