Feira Internacional do Artesanato

Aproveitando que fiquei o fim-de-semana em Lisboa, não resisti a ir à Feira Internacional do Artesanato no Domingo! Por muito que já saiba quase de cor o que vou ver por lá, esta feira não deixa de ser a minha perdição todos os anos.


A FIA é uma paraíso para as amantes e também para as criadoras de bijutaria! De há uns anos para cá, os vendedores de fiadas e outros elementos para criação de colares são uma presença comum na feira. Maioritariamente são indianos, mas os russos começam a entrar igualmente na onda. Como as minhas criações têm andado um pouco paradas, ainda tenho várias caixas cheias de compras de anos anteriores, desde resinas a pedras semi-preciosas, por isso este ano contive-me.

Para quem quer comprar bijutaria, há que diferenciar entre quem vende fiadas (i.e. contas ou pedras enfiadas numa tira ou fio, mas sem fecho) e colares propriamente ditos. Se comprarem uma fiada (o que nem sempre sai mais barato) também precisam de comprar o fecho, e já agora certifiquem-se de que sabem ou conhecem alguém que sabe prender o fecho. Eu normalmente compro as fiadas para desfazer e misturar peças, por isso nunca ligo muito.

O colar que vêem aqui em cima foi comprado já assim prontinho num stand dos russos com o nome CCCP mais ou menos no centro do Pavilhão 2... há dois stands com o mesmo nome e ambos têm em "promoção" colares de pedras bem bonitos a € 15. Achei a relação qualidade/preço imbatível e foi a custo que trouxe apenas um.

Já agora: não se percam pela primeira coisa que vêem... eu gosto de dar a volta à feira primeiro e só depois comprar! A verdade é que a maior parte destes vendedores compram aos mesmos fornecedores e dependendo da perícia deles e da vossa capacidade de regatear, o mesmíssimo produto pode ter variações incríveis no preço.

As supostas "promoções" são sempre para levar cum grano salis, porque na realidade o que eles fazem é um truque psicológico... inventam um preço mais alto e depois dizem que estão a vender a metade! Só no último dia da feira é que há promoções a sério, porque aos participantes sai mais barato "despachar" a mercadoria do que voltar a empacotá-la e levá-la consigo!

A écharpe sobre a qual fotografei o colar também foi comprada na feira. Há meia dúzia de stands de indianos a vendé-las a € 4 ou € 5... estas então nota-se mesmo que vêm todas da mesma fábrica, toda a gente tem com desenhos iguais!


Este ano resolvi dar mais atenção ao Pavilhão 1 onde está o artesanato português, que muitas vezes injustamente ignoro. Neste pavilhão as artes tradicionais misturam-se com artesanato contemporâneo. Truque fácil para evitar perder-se na FIL? Procurem o aglomerado de mulheres mais próximo. Se estiverem de volta de um stand de tecidos e quilting, estão no Pavilhão 1. Se estiverem de volta de um stand de bijutaria ou colchas indianas, estão no Pavilhão 2! Acabei por trazer só contactos das lojas de tecidos, pois a confusão era muita para a minha cabecinha...

Entretanto fiz uma compra inesperada mas com a qual estou bastante satisfeita... uma capa em burel, um tecido tradicional de lã que nos tempos antigos era utilizado para confeccionar os tradicionais capotes dos pastores da Serra da Estrela. Hoje em dia há vários ateliers e tecelagens na zona da Covilhã a fazer reviver o burel e a criar peças mais modernas. Esta capinha é uma maravilha, por dentro tem um colete e bolsos escondidos e depois as abas dos lados fazem as vezes das mangas. Como aperta com cinto cria uma silhueta muito bonita, pois o que se vê do cinto à frente e atrás faz com que a silhueta não seja puramente a linha A da capa, deixando entrever a cinturinha de quem a usa... Foi comprada no stand Ecolã e custou € 100 (e por isto é que acabei por não comprar mais nada), acho que gastei melhor o dinheiro do que se tivesse trazido um monte de bijutarias como de costume!


Para mais, logo à saída da FIL tive a oportunidade de comprovar o poder de agasalho da capa... Estava sol e eu ia de jeans e t-shirt sem mangas, mas quando saí da feira levantou-se uma ventania medonha de tal modo que eu quase nem conseguia sair do abrigo da paragem de autocarros sem ir pelos ares! Depois de cinco minutos a rapar um frio dos diabos, lembrei-me que estava ali feita tonta com um agasalho mesmo à mão, e vesti logo a capa! Creio que escapei à justa de uma bela constipação de Verão...


Last but not least: este miminho não vem da FIL, mas sim do Open Up Your Closet onde entre as vendas e o convívio, acabamos sempre por espreitar os charriots umas das outras... Apaixonei-me imediatamente por esta carteira (convenhamos: a bandeira do Brasil é uma das mais bonitas e alegres do mundo) que tem o seu quê de kitsch mas é perfeita para a praia e para o Verão... Custou uns míseros € 10 e está nova! E acabei por descobrir que Gilson Martins é uma conhecida marca de acessórios do Rio de Janeiro. Agora só faltam a esplanada, o calor e a caipirinha.

Sem comentários :

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...