Portobello Road

 

E como dizia eu aqui em baixo, ainda bem que não comprei o tal colar na Museum Shop do V&A. Comprei apenas este alfinete estilo Elizabeth I que por £ 13,50 ainda era das melhores pechinchas da loja. No dia seguinte, em Portobello Road, encontrei esta absoluta maravilha de colar por £ 30 e nem pensei duas vezes. Adoro semipreciosas e então nestas cores! Está muito bem feito e assenta que nem uma luva...

Portobello Road, apesar de sempre cheio de gente e turistas até ao ponto do sufoco, continua a ser um óptimo destino de compras em Londres. Aliás, e na medida do possível porque o mercado apenas se realiza aos Sábados, o melhor é visitar Portobello primeiro e só depois bater as lojas. Nunca se sabe o que vamos encontrar em Portobello, por isso dependendo do que encontramos (ou não) podemos fazer as nossas compras seguintes em função do orçamento que ficou disponível!

   

Logo desde o cruzamento de Notting Hil Gate e sempre a subir, aparecem logo as lojas vintage. Depois o mercado começa a sério, com a secção mais antiga e mais autêntica composta por imensas lojas e banquinhas de vintage, antiguidades e artigos variados. Nesta zona existem muitas "galerias", ou seja, entra-se numa porta e damos com um corredor enorme cheio de stands, o que deve dar muito jeito quando chove. 

Aqui se fazem os melhores achados, pois é a zona por excelência dos vendedores de bijutaria, carteiras e peles. E foi exactamente aqui que comprei o tal colar e ainda...

   

Não estava nada a contar com esta compra, mas quando "passei a mão pelo pêlo" a este casaquinho, ele tinha de ser meu. Foi o destino: é exactamente o meu tamanho, nem sequer precisa de ajustar as mangas, e devido ao facto de o pêlo já se encontrar gasto na zona da nuca (com ele vestido, não se nota) o vendedor fez-me um desconto bastante simpático. E olhem que custou pouco mais que o casaco da Banana Republic que vos mostrei (e que vi no dia seguinte).

   

Uma última dica: há imensos multibancos ao pé do cruzamento de Notting Hill Gate, mas na zona do mercado propriamente dito, existem muito poucos. Ainda por cima os multibancos ingleses dão-me sempre dores de cabeça, porque certas caixas (normalmente, aquelas que cobram comissões de levantamento) não funcionam com cartões estrangeiros! Procurem sempre caixas que digam "free cash" ou equivalente. No início da zona das hortaliças, do lado direito de quem sobe, há um Santander com dois multibancos "free cash". Isto é importante pois, apesar de muitos vendedores terem pagamento automático, às vezes o desconto é maior se pagarem em dinheiro! Foi o que me aconteceu com o casaco - andei quase meia hora às volta para conseguir levantar dinheiro, e quando voltei já estavam quase a vendê-lo a outra pessoa!

A seguir à zona dos antiquários, as coisas misturam-se um bocado. Há lojas e cafés high street, bancas de roupa barata, fruta e hortaliças, e aquela que é a mais maravilhosa secção do mercado a seguir às antiguidades: a comidinha de rua. Há de tudo, desde churros a kebab, desde cachorros a donuts com creme. As melhores bancas conhecem-se à distância pelo cheirinho e pelas multidões à volta. Sim, vão comer de pé e lambuzar-se todos, mas vale a pena.

E aqui vos deixo com: patatas bravas com chouriço e queijo halloumi grelhados. O Mediterrâneo num prato descartável.

Sem comentários :

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...