podem fechar a torneira sff?

 
Estávamos a ter uns dias tão lindos e cheios de sol, com as folhinhas de Outono a crepitar de tão secas, e eu a saltar-lhes em cima com as minhas Hunter. Entretanto, ando nisto dos blogs há três anos e só agora descobri o PicMonkey. Estou mesmo a leste.

Tom Ford | Casablanca


Facto interessante que vem mesmo a calhar: sabem que esta semana o filme Casablanca fez 70 anos? Estreou em 26 de Novembro de 1942 e desde então que suspiramos por Rick e Ilsa enquanto os malfadados vistos para Lisboa não chegam...
 
Para a minha recente viagem a Londres, fiz os trabalhos de casa no que toca a algumas compras, para evitar desvarios. Queria comprar mais um baton Tom Ford, e como vou acompanhando as reviews da Temptalia, a shortlist resumia-se ao Casablanca e ao Indian Rose, dois rosinhas muito usáveis. No dia em que fui ao Harrods, a loja estava uma autêntica loucura porque era Sábado à tarde e havia uma promoção de 10% em cartão, mas tive a sorte de entrar pela porta que dá imediatamente para o balcão Tom Ford! Ainda tive dificuldade em encontrar o Casablanca porque estava num expositor à parte dos outros batons, mas quando vi os dois lado a lado, o Casablanca foi a minha escolha imediata.


A primeira linha de batons Tom Ford tinha embalagem branca, e desse tempo guardo o Moroccan Rouge que comprei em Nova York. Entretanto, a maior parte das cores da linha original de batons (incluindo o Moroccan Rouge, suspiro...) foi descontinuada e substituída pelas novas cores da linha completa de maquilhagem.
 
Sempre pensei que as embalagens novas eram pretas, mas não: são um vermelho escuríssimo, um verdadeiro rouge noir com um efeito espelhado absolutamente fantástico. E aqui estão os manos lado a lado...
 
 
O Casablanca é uma daquelas cores que já não é um nude mas sendo muito discreto, dá um efeito fabuloso e super saudável, o que as make-up bloggers costumam chamar MLBB: My Lips But Better. A cor deve variar um pouco conforme a cor natural da pele e lábios, o que se vê bem comparando as minhas fotos com as da Temptalia, onde o baton parece um rosa mais forte mas ainda assim neutro.

 
A textura deste baton continua a ser um sonho. Aplica-se facilmente, dura muito tempo sem nunca secar e deixa os lábios macios, com um acabamento suave e acetinado muito natural. Moral da história: é realmente melhor que não vendam esta linha por cá, pois pelo menos os batons seriam a minha perdição...

Blanco Night Collection

Vestido verde € 35,99 | Vestido azul € 35,99
A minha relação com a Blanco tem sido um pouco complicada. Quando  só tinham duas lojas no Porto, há coisa de uns dez anos, eu adorava a Blanco e ainda hoje tenho peças óptimas desses tempos, de boa qualidade e bom corte, bonitas e originais. Mas às tantas parece que quanto mais lojas abriam, pior ficava a qualidade da roupa. E durante algum tempo ir à Blanco, como à Primark, era um bocado como jogar na lotaria; tanto se encontravam peças lindas, como coisitas mal cosidas, mal acabadas...
 
No entanto, parece que nos últimos tempos voltaram a apostar na qualidade. A Night Collection então, é a minha adorada Blanco dos velhos tempos, sem tirar nem pôr. Fiquei completamente babada pelo vestido verde quando o vi numa montra... acreditem que é o género de coisa que parece ter custado cinco vezes mais!

Vestido dourado € 35,99 | Vestido preto € 29.99

have some red

Nunca percebi bem de onde vem a expressão Black Friday. Pensei até que podia ser algum nome atribuído pelos funcionários das lojas, tendo em conta os momentos de terror que devem passar nesses dias. Não estou a brincar... vi recentemente um episódio do Extreme Couponing no TLC que era um Black Friday Special, e aquilo eram setecentos cães a um osso.
 
Hoje descobri finalmente a origem da expressão! No vocabulário económico anglo-saxónico, uma empresa com prejuízos está "in the red" e uma empresa com lucros está "in the black", expressões nascidas do facto das despesas serem assinaladas a vermelho e as receitas a negro no balanço. Dado o grande acréscimo de consumo ocorrido antes do Natal, a Black Friday é o dia em que as lojas se lançam a sério nas vendas de Natal para ficar "in the black"!

Mas não resisto a partilhar convosco... coisas vermelhas!

 
Fui desencantar a minha paleta de batons da Inglot, ainda quase nova, para me consolar depois de ter visto a super-hiper-mega-fantástica nova paleta da Edward Bess à venda no Zuneta... o problema das paletas de batons é que são boas para maquilhadores profissionais, mas muito pouco práticas de trazer na carteira e fazer retoques! Enfim. O curioso é que eu acho a fórmula destes batons em potinho da Inglot muito, mas muito melhor que os batons normais deles! A pigmentação é óptima e quase nem se sentem.
 

Há uma loja da Calçado Guimarães perto do meu local de trabalho, e comecei a fazer-lhe visitas regulares... acabei por me apaixonar por estes botins, que são bastante menos garridos do que a foto aparenta. Na verdade, são tal e qual a foto da loja:

Botins Calçado Guimarães, € 34,80

São incrivelmente confortáveis, porque dentro da sola há uma espécie de palmilha fofinha embutida. E apesar de eu normalmente torcer o nariz a calçado de camurça, como já têm um ar envelhecido não me sinto tão preocupada em sujá-los - mas passei spray protector para camurça na mesma! O melhor de tudo é que são Made in Portugal e a um preço super simpático. Ah, e a Calçado Guimarães faz 35 em muitos modelos, o que é um achado para os meus pezinhos pequeninos. Muuuito bom.

black friday

 
OK. Eu até nem acho mal que se aproveitem umas promoçõezinhas para comprar prendas de Natal. Mas porque raio temos nós de copiar todas as tradições consumistas dos americanos? Primeiro o Dia dos Namorados, depois o Halloween, e agora a Black Friday também já está a pegar por cá.
 
O que é especialmente ridículo, porque a Black Friday é a sexta-feira a seguir ao Dia de Acção de Graças, feriado que nós não celebramos. E ainda mais porque enquanto nos belos US of A os descontos Black Friday são como a famosa promoção dos 50% do Pingo Doce (com direito a motins e atentados à integridade física), por aqui anda tudo nuns anémicos 10% ou 20% de desconto. Eu até me ri quando recebi um email da Blanco ontem à noite, a chamar Black Friday a um desconto de 10%! Tenham lá paciência.

pequeno aviso à navegação

 
Se volto a ouvir falar em tons de cinzento que não tenham a ver com Pantones, Robbialacs, RGBs ou coisa do género, vou ter de ir à cave ultra-secreta buscar os instrumentos de tortura.

Topshop & COS

Alguns minutos depois de entrar na loja da COS em Covent Garden, apercebi-me que estarei em sarilhos muito graves se esta loja alguma vez abrir em Portugal. A roupa da COS é daquela que parece muito simples e até pouco interessante em fotos, mas ao vivo revela-se. E eu, que me perco por bom corte e tecidos de boa qualidade, fiquei como uma criança numa loja de doces. Felizmente há orçamentos a cumprir e as malas não são elásticas, o que me permitiu afastar-me a custo dos fantásticos casacos, e investigar algumas peças mais singelas.

Blusa plissada COS
Esta blusa consegue ser simples mas original ao mesmo tempo, e é muito confortável de vestir. Tem ainda um grande ponto a favor, as mangas 3/4. Eu odeio, desde pequena, as mangas demasiado compridas que se enrolam nos pulsos, portanto acho as mangas 3/4 uma das grandes invenções da Humanidade!
 
E falando em mangas 3/4, encontrá-las em malhas é ainda mais raro. Não é que este casaquinho não só faz um conjunto perfeito com a blusa, como também tem as mangas no tamanho perfeito? Isto foi o meu dia de sorte.

Cardigan COS
No dia seguinte foi a vez da Topshop de Oxford Street. E depois de alguns momentos tipo Feira da Ladra passados nesta loja a uma sexta-feita à tarde em anteriores visitas a Londres, escolhemos a segunda-feira de manhã como dia perfeito para umas compras descansadas. A maravilha: quase ninguém a cirandar, provadores vazios, roupa arrumadinha. E aqui é bem preciso. Com um piso inteiro de acessórios e dois de roupa, uma pessoa precisa de tempo e paciência para navegar num oceano imenso de trapos, sapatos, carteiras, enfim...
 
A parte engraçada é que depois de experimentar cerca de uma dezena de peças de roupa, acabei por trazer apenas um casaquinho meio anos 20, e já estava a caminho da caixa quando me apercebi que tinha escolhido uma peça que também combinava com a blusa da COS! E esta, hein?

"Casaco de Pijama" Topshop
Uma coisa muito interessante na Topshop de Oxford Street são os "concession stands", cantos da loja onde se vendem outras marcas, como acontece no El Corte Inglès. Há uma marca de vintage, a Peekaboo, que tem uma selecção bastante boa de carteiras em bom estado e a preços simpáticos! Comprei uma carteira amorosa e muito prática, mas esqueci-me de a fotografar. Fica para outro dia.

grace

Grace Coddington and Hairbrush, Tim Walker
E um belo dia vimos o documentário The September Issue e mais do que Anna, Hamish ou André, ficámos fascinados por uma senhora de ascéticas vestes negras e cabeleira flamejante...
 

things can only get better


LA LA LA LA LA LA LA TIREI O APARELHO. E estou como a Floribella, que é como quem diz, "pobre em ouro etc. e tal" porque (i) desembolsei uns euritos valentes pelo aparelho de manutenção; e (ii) entrei na Massimo Dutti, estava em saldos, eu estava bem disposta, este casaco de cabedal estava a metade do preço, e o resto são cantigas.
 
Ah, e ganhei no Euromilhões... mas foram só € 15. Digamos que o dia está definitivamente a correr-me bem. Em jeito de comemoração, estreei o baton Scarlet Ibis da MAC, um vermelho tudo menos discreto. Isto vai ser a semana do baton, ah vai.

grade de minis [parte 2]


Hoje é a vez de vos mostrar a bolsa da maquilhagem! No meu caso, é definitivamente a área onde corro sempre mais risco de levar coisas a mais. Desta vez a coisa não correu mal de todo, mas ainda há espaço para melhoramentos... Vejamos:


Le Métier de Beauté Kaleidoscope Face Kit: a Le Métier de Beauté é uma marca americana de luxo. É muito boa mas muito cara! Os poucos produtos que tenho foram comprados em Nova York em 2010, quando a relação dólar/euro ainda era razoável. Agora a marca está disponível online no Zuneta, mas como os preços "europeus" são essencialmente pegar no mesmo número, tirar o símbolo do dólar e meter o símbolo do euro... agora é mesmo fabulosamente cara. Anyway! Os kaleidoscopes são um dos símbolos da marca, pequenos compactos que acumulam sombras, blush ou baton. Este é um especial de rosto que junta, de cima para baixo, pó compacto, iluminador, blush e bronzer. Super prático para levar em viagem. Os pós são finíssimos, e o blush então é uma espécie de primo ainda mais fantástico do Orgasm da NARS.

Chanel Teint Innocence Compact #42 "Pétale": pois... eu ia levar esta base mas à ùltima hora troquei e não actualizei a fotografia! A que eu efectivamente levei:
La Prairie Skin Caviar Foundation + Concealer Pen "Honey Beige": um achado dos saldos da Perfumes & Cia., deve ter sido descontinuado porque não encontro imagens do produto. Imaginem uma caneta tipo Touche Éclat igual à do Light Fantastic, só que em vez de corrector sai base, e na tampa tem um pequeno compartimento com corrector cremoso. Vem numa caixa com uma recarga da base, mas ainda assim é uma quantidade ridiculamente pequena de produto a um preço ridiculamente caro! O preço original era cerca de € 80, mas eu comprei-a por cerca de € 20. Não admira que tenha ido parar aos saldos! Considerações monetárias à parte, é uma base fluida muito boa e suave, que dá um efeito natural e aguenta o dia todo. E a canetinha é perfeita para viagem. Só não gosto muito do corrector, acho-o demasiado cremoso para a minha pele.

Chanel Correcteur Perfection #30 "Beige Pétale": uma compra recente e algo impulsiva, fiquei impressionadíssima com este corrector, que entrou imediatamente para o meu Top 3 (os outros são o Cream Concealer da Inglot e o S204 da Ellis Faas). O efeito é super natural e a longevidade do produto é inacreditável!

Tom Ford Private Blend Lip Color "Moroccan Rouge": um baton fantástico numa cor que dá com tudo!

Le Métier de Beauté Recurvador de Pestanas: o meu "curvex" favorito, veio de brinde quando fiz as minhas comprinhas da marca em 2010 no Saks Fifth Avenue.

Ellis Faas Máscara de Pestanas: estava quase no fim e entretanto já se acabou. Digamos que não é o meu produto preferido da marca, mas cumpre o seu propósito.

Ellis Faas E205 "Khaki Green" | E302 "Green Gold" | E105 "Deep Warm Taupe": já sabem que adoro as minhas canetinhas da Ellis Faas, mas desta vez pregaram-me uma partida, porque a Green Gold resolveu fazer greve e deixou de deitar produto! De qualquer modo levar a Deep Warm Taupe foi uma óptima ideia, porque de todas as que tenho é a caneta que melhor funciona por si só, e dá uma profundidade muito natural ao olhar, mesmo em looks conjugados com batons de cores fortes.

Guerlain Rouge Automatique #164 "Chamade": adoro o Rouge Automatique (tenho três) e esta cor, meio vermelho meio rosa meio carmim, dá mesmo com tudo. É um batom super hidratante.

Revlon ColorBurst Lip Butter "Pink Truffle": também adoro as Lip Butter! O Pink Truffle é um nude perfeito, e realmente este batom tem uma textura extraordinária, é como lip balm cheio de cor!

Guerlain Rouge G L'Extrait #M27 "Luxure": mais um para aquela categoria OH MEU DEUS, ISTO É TÃO CARO, MAS OH MEU DEUS, ISTO É TÃO BOM. Super pigmentado, seca e fica mate mas consegue continuar a ser muito hidratante e deixa os lábios cuidados e confortáveis. Sim, é um pequeno "tijolo" dentro da carteira, mas vale mesmo a pena. Claro que aproveitei um vale de desconto para o comprar, não sou feita de dinheiro.
Lancôme Ôscillation Powerbooster: outro achado dos saldos da Perfumes & Cia. É um primer de pestanas que tal como a máscara do mesmo nome, tem um minúsculo mecanismo na tampa que faz a escova vibrar na aplicação! A história deste produto é engraçada... quando o comprei e cheguei a casa, verifiquei que o mecanismo de vibração não estava a funcionar! Já estava a pensar regressar à loja para reclamar, quando resolvi armar-me em MacGyver, abri a tampa, tirei a pilha de relógio com que isto funciona, voltei a colocar... e funcionou! Afinal era apenas mau contacto. Gosto muito deste produto, e tenho pena que esteja quase no fim. Ainda por cima não consigo perceber se foi descontinuado ou não...
Chanel Illusion d'Ombre #82 "Emerveillé!": uma cor pêssego/champanhe perfeita para iluminar o olhar, e ainda por cima fácil de aplicar com o dedo.

Giorgio Armani La Femme Bleue Long Wear Waterproof Eye Pencil #02: isto é um dos melhores lápis de olhos que já usei. Infelizmente era edição limitada, e por isso sou mais uma entre as hordas de mulheres por essas internetes fora que o choram... Sim, é um simples lápis castanho, mas (a) é o castanho mais profundo e perfeito; (b) desliza que nem manteiga e (c) dura imenso sem esborratar.
CK One Brow Pencil + Gel Duo: não fiquei fã da maquilhagem CK One, tirando este produto. Tem lápis de um lado e gel do outro, e é super prático para cuidar das sobrancelhas num instante.

GOSH Intense Eyeliner Pen: um dos meus eyeliner favoritos!

Sephora Collection Retractable Waterproof Lip Liner: porque batom vermelho sem delineador, nunca. Estes da Sephora são bastante bons.
No rescaldo, creio que poderia ter levado talvez um batom a menos (porque em Londres comprei três, logo, excesso de batom) e o percalço com a sombra Ellis Faas fez-me pensar que bastava ter levado a E105. De qualquer modo, já levei mais maquilhagem para viagens mais curtas, portanto há progressos.

www.patuxxa.com

Conforme já devem ter reparado, passei a ter um endereço .com que é
 
 
O blog continua hospedado na plataforma Blogger, e por isso todos os que seguem através do Google Friend Connect / Google Reader não devem precisar de fazer nada, pois continua a ser reconhecido como um site Blogger e actualizar devidamente. De igual modo, o anterior endereço redirecciona automaticamente para o novo.
 
Já confirmei que o NetworkedBlogs está a funcionar e a actualizar devidamente para os seguidores e no Facebook. O leitor de feeds do Internet Explorer também parece estar a actualizar. Só quanto ao Bloglovin é que ainda não tenho a certeza, creio que precisa de mais algumas horas para registar a mudança.
 
Caso verifiquem que o blog não está a actualizar nos vossos feeds, por favor comentem nesta mensagem, no Facebook, ou enviem-me um email!
 
Obrigada,
 
Sítios onde preferia estar #2659: em Londres, a fotografar cabines telefónicas.
Update: o Bloglovin também já deve estar a funcionar. Os senhores do apoio técnico são uns amores.

teste de publicação, redux

Louise Brooks
Pois, os estimados leitores podem levar com mais alguns destes até eu ter a certeza absoluta que os feeds estão todos a actualizar como deve ser.

teste de publicação

É só para ver se está tudo nos conformes. Entretanto, tomem lá vernizes.

grade de minis [parte 1]

Os cuidados de beleza em viagem são sempre uma complicação. Ou se levam coisas a mais, ou coisas a menos, e depois os frascos são grandes, e transferir para minis é uma complicação, etc. e tal. Tentei disciplinar o melhor possível a minha "carga" na viagem a Londres, e acho que correu bastante bem...


Cabe tudo direitinho na bolsa de viagem escolhida (tenho-as à dúzia, o que dá sempre jeito para procurar uma com o tamanho certo para a quantidade de produtos em questão). E o que está cá dentro?


Kiehl's Centella Recovery Skin Salve: da última vez que estive em Londres, a minha pele oleosa ficou seca e desconfortável em poucos dias! Por isso e na eventualidade de necessitar de um reforço de hidratação, levei este creme-bálsamo da Kiehl's que é uma maravilha para acalmar a pele sensível. Acabei por utilizá-lo sempre como creme de noite. Resultado: a minha pele em Londres esteve absolutamente tranquila e normal.
 
L'Occitane Crème Mais 20% Karité (mini): um dos meus must em termos de creme de mãos! Já nem sei quantos tubos deste creme já devo ter gasto na vida... normalmente tenho sempre um tubo grande em casa e um mini na carteira. Se no nosso dia-a-dia usar creme de mãos já é importante, em climas frios e ventosos é absolutamente imprescindível. E luvas!
 
Avène Cold Cream Baume Lèvres: comprei este bálsamo há uns tempos, quando a Avène estava a fazer uma promoção. Adoro-o, e aplico uma camada espessa sempre antes de deitar.
 
Moroccanoil (mini): já aqui tinha falado do Moroccanoil, e acabei por guardar a mini que tinha para usar em viagens e fins de semana. É um pouco rico para usar no meu cabelo todos os dias, mas perfeito para defender o cabelo contra o frizz dos dias chuvosos de Londres!
 
EOS Sweet Mint Lip Balm: este é o que trago na carteira, um lip balm muito suave e amoroso com um original formato de esfera... na verdade, comprei-o no Zuneta há uns tempos para atingir a quantia que dava direito a portes grátis, mas revelou-se uma óptima compra.
 
The Body Shop Candied Ginger + Spiced Vanilla Body Butters (minis): estas ainda vêm de um conjunto de três que eu comprei nos saldos da Body Shop depois do Natal. São aromas óptimos para o Inverno e muito práticas para levar em viagem. Foram a minha única falha de avaliação, porque bastava ter levado uma.
 
Eau Thermale d'Uriage (mini): uma água termal dá sempre jeito...
 
Vichy Normaderm Soin Hydratant Anti-Imperfections Tri-Activ: estou a gostar muito mesmo deste hidratante! Conforme já tinha escrito por aqui, a embalagem é óptima para levar em viagem graças ao tubo selado com doseador.
 
Ducray Shampooing Extra-Doux (mini): não me lembro bem, mas creio que este champô veio num conjunto de miniaturas que comprei para levar em viagem a Madrid há uns anos, e depois ficou esquecido. Não sou particularmente fã, pois tenho a sensação que me deixa o cabelo com estática, mas para uns dias serve...
 
Mane n'Tail Deep Moisturizing Conditioner (mini): recebi esta amostra generosa de amaciador numa compra que fiz no Zuneta. Não acho nada de especial mas, como o champô, para uns dias serve.
 
Clarins UV Plus HP Écran Multi-Protection SPF 40: sim, mesmo para os curtos dias do Outono londrino, não dispenso o meu protector solar, ao qual já aqui teci rasgados elogios...
 
Vichy Normaderm Gel Nettoyant Purifiant (mini): veio de brinde quando comprei o hidratante, e mesmo a calhar. Gostei de usar; estou, aliás, muito impressionada com a actual linha da Normaderm!
 
Vichy Aqualia Thermal Roll-On Yeux: comprei este hidratante de olhos numa daquelas hiper promoções de 50% que a Vichy fez este ano. Eu gosto muito do efeito refrescante dos roll-on metálicos que diversas marcas disponibilizam, e já tinha usado um sérum hidratante desta gama do qual gostei bastante. É muito, muito agradável de aplicar de manhã, para acabar com os olhinhos de sono!
 
Bioderma Sébium H2O Solution Micellaire (mini): também veio de brinde em qualquer coisa, mas eu tenho imensos produtos da Bioderma por isso não faço ideia em qual... Gosto um bocadinho mais do Sensibio, mas este também é óptimo e muito suave como desmaquilhante. A Bioderma faz muitas promoções em que oferece estes minis, que são super práticos.
 
Em conclusão, levei exactamente o que precisava, com excepção das Body Butters em que bastava ter levado apenas uma. Nada mal.

e continuando naquele tema da obsessão por casacos

Casaco com gola de malha amovível, € 69,95
Parece que os senhores da Inditex leram as minhas últimas palavras sobre este assunto, porque estes lindos "marinheiros" são do lookbook TRF e têm preços mais ou menos aceitáveis. Então este com a gola de malha, parece tão confortável, tão Corto Maltese...

Casaco bordado, € 59,95
Recomendo vivamente, caso ainda não o tenham feito, a leitura deste artigo no New York Times sobre a expansão da Inditex. A dada altura, alguém define perfeitamente como é que a Inditex criou em todos nós o vício incontrolável da compra:
 
“When you went to Gucci or Chanel in October, you knew the chances were good that clothes would still be there in February,” ... “With Zara, you know that if you don’t buy it, right then and there, within 11 days the entire stock will change. You buy it now or never. And because the prices are so low, you buy it now.”

Pois, discordo um bocadinho da última parte, porque os preços da Inditex estão a ficar um bocado "salgados". Mas quem nunca sentiu aquele apelo incontrolável do "é agora ou nunca, porque isto não há-de chegar aos saldos"?

Update: experimentei ambos os casacos... ambos me assentam mal. Obrigada Zara, por velares assim pelas minhas economias!

it's not you, it's me


Então aconteceu o seguinte: comprei a Elle e verifiquei que o passatempo dos convites para a "preview" Maison Martin Margiela + H&M consistia simplesmente em ser uma das primeiras 200 pessoas a enviar um email com nome e morada para a Elle! Claro que enviei imediatamente o email do iPhone, e quando cheguei regressada de Londres, tinha um convite à minha espera...
 
Os senhores da H&M meteram ligeiramente água, porque anunciaram que a "preview" era às 22:30 mas ninguém falou em sistema de pulseirinha, chego lá descansadamente às 22:15 e estão umas simpáticas meninas a colar pulseiras nas pessoas e a minha já era do segundo grupo.
 
Mas a verdade é que afinal quando nos deixaram entrar, foi tudo mais ou menos ao mesmo tempo e nunca antes tive tanto tempo e desafogo para experimentar todas as peças que queria!


Sim, nos primeiros minutos houve uma grande correria à volta dos expositores. No entanto, à medida que a noite avançou, havia mais peças a voltar ao expositor do que a irem para a caixa! O casaco preto que eu mais queria experimentar, quase desapareceu do expositor no início, mas ao fim da noite voltaram quase todos, como filhos pródigos, de modo que grande parte da área dos expositores parecia absolutamente intocada...
 
A verdade indiscutível é que esta colecção está muito bem feita, mas tem dois problemas. Um, é um bocado cara. Já o tinha dito aqui. SESSENTA CONTOS DE REIS por umas botas? Depois, questão que se tornou notória ao longo da noite de ontem, é que grande parte das peças desta colecção são tão "à frente" que se tornam muito difíceis de vestir no dia-a-dia. Sim, se eu vivesse em Londres e fosse dona de uma galeria de arte, conseguiria vestir 90% desta colecção. Ah, e ser uma amazona nórdica também ajudava imenso.
 
Assim como assim, não. Por exemplo, aquela saia azul era bonita e bem feita, mas se eu a usasse seria parada de dez em dez minutos por pessoas a dizer-me "menina, olhe que tem a saia entalada". Já as calças, como sempre acontece com as calças da H&M, ficavam-me absolutamente mal. Obviamente que nem experimentei as coisas oversized, porque os meus 1,50m não aguentam tais modelitos.
 
E os sapatos? Ah, os sapatos... super bem feitos, não têm nada a ver com a (fraca) qualidade habitual dos sapatos da H&M. Pudera, são Made in Portugal! As botas castanhas eram lindas, muito confortáveis e ficavam-me super bem. Mas não só eram caríssimas, como não conseguia deixar de pensar que aquele salto acrílico iria rapidamente ficar cheio de riscos nas nossas calçadas! Já os sapatos pretos rasos também assentavam bem, porém achei que não se justificava dar € 99 por uns simples sapatos pretos...


E o famoso casaco preto? Bom, eu não tinha percebido pelas fotos que se tratava de um casaco assertoado, modelo que raramente me fica bem. E depois a moldagem desta colecção é louca. As peças oversized são gigantescas, as restantes são mínimas. O 34 servia-me mas não apertava; o 36 apertava, mas sobrava tecido nas costas. O desgosto! Depois ainda experimentei este casaco bege,  de corte impecável, mas as aberturas debaixo das mangas davam um efeito muito esquisito para o meu gosto...


Também gostava muito desta blusa em seda patchwork, no entanto era complicada de vestir como o raio. A sério, trazia instruções! Eu não leio as instruções da televisão, quanto mais de uma peça de roupa...
 
E estive a segundos de dizer "ora abóboras para isto tudo" e ir-me embora sem comprar nada, quando em último recurso fui experimentar este casaco cinzento. Não aparece no lookbook, no cabide não dava dez tostões por ele, e à meia noite ainda estavam mais de dez exemplares no expositor. Experimentei-o, e magia pura. O raio do casaco era mesmo a única peça que me ficava bem. Ainda por cima é completamente Margiela mas vestível: está construído como se fosse um casaco de homem que foi ao alfaiate ser adaptado para mulher (com alinhavos e tudo), ou seja, à primeira vista parece um casaco normal, mas depois começam a sobressair os detalhes que o tornam único. Portanto, comprei-o. E até custa o mesmo que o casaco preto que eu estava a planear comprar inicialmente: € 99.

 
Portanto, a coisa não correu totalmente mal. E havia mojitos de Porto branco - OK, também havia comes, mas entre as correrias para o provador, e o aparelho ortodôntico, nem me apeteceu petiscar. Finalmente, tivemos direito a um notebook com papel de linhas e tudo! Sim, porque eu não consigo escrever em papel branco. O notebook da colecção Sonia Rykiel era papel branco e acabou transformado em caderno de recortes. Eu sou esquisita assim.

Harajuku Girls

Sweet Lolita (1)
Na visita ao Victoria & Albert Museum, enquanto esperávamos pela hora marcada para a exposição Hollywood Costume, que estava apinhada de gente, deambulámos um pouco por alas já bem conhecidas do museu, e descobrimos algumas interessantes coisas novas na ala da cultura japonesa. Ao lado de artigos vários do Japão clássico, a cultura moderna faz a sua aparição através de diversos figurinos de Lolitas, nome genérico dado a uma "tribo" que se caracteriza pelas influências victorianas e algo infantilizadas na arte de vestir.
 
Todos os Domingos, os jovens de Tóquio vestem as suas roupas preferidas e passam o dia em convívio no bairro de Harajuku; por este motivo, esta tendência de moda é igualmente referida como "Harajuku fashion", daí a canção "Harajuku Girls" de Gwen Stefani.
 
Sweet Lolita (2) | Gothic Lolita
A pequena mostra de modelos disponível no V&A resume os principais grupos de Lolitas, que vão desde o "tradicional" ao punk, passando por coisas que parecem saídas do Dragon Ball Z (parece que a nova geração agora vê uma coisa chamada Naruto... mas eu sou do tempo em que o Son Guku falava português na dobragem mais louca alguma vez feita).

Punk Lolita | Takoya Angel
Achei muito interessante, não só pelo contraste com a cultura clássica japonesa, mas também pela mistura de estilos, pelo incrível detalhe das roupas, pela pequena janela aberta sobre uma cultura tão longínqua; é um bocadinho desconcertante saber que há gente que se veste como a Sailor Moon e a Card Captor Sakura na vida real... 

Japanese Lolita (Traditional)

O meu preferido ainda assim é este último, uma variante mais docinha do quimono de passeio tradicional. Na altura nem reparei, mas se olharem para o reflexo conseguem ver que a parte de trás do obi belt tem coelhinhos...

there's nothing disturbed, all the windows are closed


Para o fim de semana deixo-vos uma imagem da loja da All Saints em Portobello Road... a roupa em si não acho grande coisa, mas esta parede cheia de máquinas de costura antigas é o máximo. Acresce que tenho o maior dos respeitos por quem toca Joy Division no seu estabelecimento comercial, porque por estes lados já deito Gotye pelos olhos.

Portobello Road

 

E como dizia eu aqui em baixo, ainda bem que não comprei o tal colar na Museum Shop do V&A. Comprei apenas este alfinete estilo Elizabeth I que por £ 13,50 ainda era das melhores pechinchas da loja. No dia seguinte, em Portobello Road, encontrei esta absoluta maravilha de colar por £ 30 e nem pensei duas vezes. Adoro semipreciosas e então nestas cores! Está muito bem feito e assenta que nem uma luva...

Portobello Road, apesar de sempre cheio de gente e turistas até ao ponto do sufoco, continua a ser um óptimo destino de compras em Londres. Aliás, e na medida do possível porque o mercado apenas se realiza aos Sábados, o melhor é visitar Portobello primeiro e só depois bater as lojas. Nunca se sabe o que vamos encontrar em Portobello, por isso dependendo do que encontramos (ou não) podemos fazer as nossas compras seguintes em função do orçamento que ficou disponível!

   

Logo desde o cruzamento de Notting Hil Gate e sempre a subir, aparecem logo as lojas vintage. Depois o mercado começa a sério, com a secção mais antiga e mais autêntica composta por imensas lojas e banquinhas de vintage, antiguidades e artigos variados. Nesta zona existem muitas "galerias", ou seja, entra-se numa porta e damos com um corredor enorme cheio de stands, o que deve dar muito jeito quando chove. 

Aqui se fazem os melhores achados, pois é a zona por excelência dos vendedores de bijutaria, carteiras e peles. E foi exactamente aqui que comprei o tal colar e ainda...

   

Não estava nada a contar com esta compra, mas quando "passei a mão pelo pêlo" a este casaquinho, ele tinha de ser meu. Foi o destino: é exactamente o meu tamanho, nem sequer precisa de ajustar as mangas, e devido ao facto de o pêlo já se encontrar gasto na zona da nuca (com ele vestido, não se nota) o vendedor fez-me um desconto bastante simpático. E olhem que custou pouco mais que o casaco da Banana Republic que vos mostrei (e que vi no dia seguinte).

   

Uma última dica: há imensos multibancos ao pé do cruzamento de Notting Hill Gate, mas na zona do mercado propriamente dito, existem muito poucos. Ainda por cima os multibancos ingleses dão-me sempre dores de cabeça, porque certas caixas (normalmente, aquelas que cobram comissões de levantamento) não funcionam com cartões estrangeiros! Procurem sempre caixas que digam "free cash" ou equivalente. No início da zona das hortaliças, do lado direito de quem sobe, há um Santander com dois multibancos "free cash". Isto é importante pois, apesar de muitos vendedores terem pagamento automático, às vezes o desconto é maior se pagarem em dinheiro! Foi o que me aconteceu com o casaco - andei quase meia hora às volta para conseguir levantar dinheiro, e quando voltei já estavam quase a vendê-lo a outra pessoa!

A seguir à zona dos antiquários, as coisas misturam-se um bocado. Há lojas e cafés high street, bancas de roupa barata, fruta e hortaliças, e aquela que é a mais maravilhosa secção do mercado a seguir às antiguidades: a comidinha de rua. Há de tudo, desde churros a kebab, desde cachorros a donuts com creme. As melhores bancas conhecem-se à distância pelo cheirinho e pelas multidões à volta. Sim, vão comer de pé e lambuzar-se todos, mas vale a pena.

E aqui vos deixo com: patatas bravas com chouriço e queijo halloumi grelhados. O Mediterrâneo num prato descartável.

stuff I didn't buy!

Voltei! Tenho imensas coisas para vos mostrar... mas começo pelo que NÃO comprei! Explico: a vida é feita de escolhas, e como já cantavam os Stones, you can't always get what you want. Mostro-vos aqui algumas coisas que vi em Londres, mas sobre as quais acabei por concluir (a) que não valiam o preço, (b) que não era a melhor altura para comprar, ou (c) pura e simplesmente, não valiam a pena!

Ao passar na loja da Banana Republic em Covent Garden apaixonei-me por este casaco. A foto não lhe faz qualquer justiça, garanto-vos que ao vivo era lindo, o tom de oxblood perfeito, e o tecido levíssimo. Problema: custava £ 180, e eu não estava disposta a dar esse dinheiro por ele. Até porque, e por razões que vos explicarei depois, concluí que o casaco pura e simplesmente não valia esse dinheiro.

Com o casaco da COS foi um pouco diferente. Devo dizer que fiquei maravilhada com a COS. A qualidade de todas, mas todas as peças é excepcional! Amei imediatamente este casaco preto e apesar de também o achar caro por £ 135, experimentei-o para ver se gostava. Como a loja online da COS envia para Portugal, podia sempre tentar comprá-lo nos saldos! Problema: o molde é oversized... o 36 ficava-me gigantesco. Vi entretanto que online existe o 34, mas tenho sérias dúvidas que me assente bem!


Como já sabia que no duty free do aeroporto de Gatwick a variedade é incrível (incluindo MAC, Kiehl's, Benefit, bareMinerals, REN, Dermalogica, Molton Brown, e tudo e tudo e tudo), guardei algumas compras para a viagem de regresso. No entanto, mal olhei para os expositores da MAC apanhei uma desilusão enorme. Os preços são incrivelmente mais baixos que em Portugal... mas não gostei nada das paletas ao vivo! Têm um ar, não sei, barato, e só conseguia pensar que aquele cetim clarinho se ia estragar rapidamente. Não trouxe nenhuma!

Quando estava a caminho da caixa, deparei-me com a pequena maravilha que é a colecção de vernizes 007 da OPI: cada cor tem o nome de um filme da série James Bond, e o supra-sumo é um top coat que supostamente tem autênticos flocos de ouro de 18 quilates! E é claro que tal pequena maravilha devia chamar-se Goldfinger, mas alguém na OPI meteu água, e então chama-se The Man With the Golden Gun. O preço? Umas módicas £ 25,99 libras... mas olhem que cheguei a tê-lo na mão e precisei de dar algumas bofetadas mentais a mim própria para não comprar isto!


Entretanto e logo no primeiro dia, consegui resistir a comprar este colar da Museum Shop do Victoria and Albert Museum (V&A). Para quem não sabe, os museus em Inglaterra têm quase todos entrada grátis, excepto no caso das exposições temporárias. Entre outras fontes de rendimento, investem fortemente nas Museum Shops que são uma completa perdição. Por exemplo, a Museum Shop do V&A tem Alexis Bittar!

Actualmente a Museum Shop do V&A tem imensas coisas relacionadas com moda e cinema, por se encontrar patente a exposição Hollywood Costume - a principal desculpa, perdão, o principal motivo da minha deslocação a Londres! Entre as peças disponíveis encontra-se este colar inspirado no icónico colar de pérolas usado por Audrey Hepburn no filme Breakfast at Tiffany's. Estive muito tentada a comprá-lo, mas acabei por não o fazer. Por um lado, se mudasse de ideias podia comprá-lo na loja online do V&A; por outro lado, custava £ 35 e por mais que remexesse no expositor, não conseguia encontrar um que achasse perfeitinho... Mais tarde vim a concluir que realmente não valia o dinheiro (logo vos mostrarei o motivo).


... vamos olhar só mais uma vez para o The Man With the Golden Gun (suspiro).

E por último: sapatos! Sapatos! Se já andava de olho neles na loja online, ao vivo estes botins da Topshop são de cair para o lado. Infelizmente o preço também: £ 120! E de qualquer modo, comprar sapatos em viagem é pouco recomendável devido ao peso e volume que adicionam à bagagem, excepto se for mesmo uma pechincha.


Moral da história: quanto a estes meninos, vou vigiar o site da Topshop à espera dos saldos para apanhar o meu par. Ai de vós, se compram isto em 36. Ai de vós.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...