TAG | all about eyes

A minha profissão é um bocado ingrata em Dezembro, porque com o fim do ano fiscal os clientes desatam a querer fechar transacções a torto e a direito. O trabalho já começa a acelerar e por pouco nem percebia que fui tagada pela Coisas e Cenas para partilhar uma série de coisas favoritas com o tema "olhos". Ora vamos lá então:

1. What eye cream/serum do you use? | Que creme de olhos/serum usas? Uso o Pai Echium & Argan Gentle Eye Cream, do qual já aqui falei, e vou na segunda embalagem. Às vezes e em jeito de SOS uso a Lotion de Soin Paupières Défatiguées da Sanoflore que fiquei a conhecer graças à Szofi do Bola de Sabão, ou os Patchs Lissants Défatigants au Bleuet da Klorane, dois produtos que contam com a centáurea azul para ajudar a disfarçar as olheiras da sinusite ou, vá lá, de uma noite mal dormida.


2. What is your favorite under eye concealer? | Qual o teu corrector de olheiras preferido? Bem, eu podia dissertar sobre correctores até ao fim dos meus dias, pois sou utilizadora comum graças à bela da sinusite. De momento o meu favorito é o Dior Hydra Life BB Eye Cream Defatigant Sublimateur Beaute du Regard SPF 20 PA++ na cor #02 Pêche Lumiére, que também já mencionei por estas bandas. Tem um nome que deixa qualquer pessoa sem fôlego e é francamente caro, mas muito bom. Aliás usei hoje um vale da Marionnaud para comprar um para a minha Mãe, que experimentou o meu e também ficou fã. 

Normalmente uso este em todo o contorno e aplico um outro corrector em zonas específicas, a saber, os cantos externos inferiores das minhas olheiras, onde devido à pele ser muito fina são bastante visíveis as veias capilares que ali tenho. Para este efeito (e ainda para disfarçar borbulhitas) sou fã do Correcteur Perfection da Chanel na cor #30 Beige Pétale, do corrector Ellis Faas na cor S204, do OCC Skin: Conceal no tom Y2 (muito ligeiramente mais escuro que o meu tom de pele, pois escolhi-o online) e do Sensual Skin Enhancer da Kevyn Aucoin no tom SX 08, que tapa tudo, mas tudo mesmo, mas pode ficar um bocado pastoso se não for bem aplicado.


3. What is your favorite eye brow product? | Qual o teu produto preferido para sobrancelhas? O Le Sourcil de Chanel na cor #20 Brun. Uma clássica embalagem quadrada Chanel com três tons de pó, um pincel, uma escova, uma pinça e um espelho de aumentar. É fácil de usar e deixa as sobrancelhas perfeitamente definidas e naturais.


4. What is your fav eye shadow primer? | Qual o teu primer de sombras preferido? Continuo fiel à Primer Potion da Urban Decay, mas gostava de experimentar o primer da Nars um dia destes.

5. Your fav shadow palette (you must choose just one). | A tua paleta de sombras preferida (só podes escolher uma). Ah, não se pode pedir uma coisa dessas a uma mulher! Mas pronto, se tivesse de ir para uma ilha deserta com uma só, escolhia a Burberry Complete Eye Palette #05 Dark Spice. As sombras da Burberry são excelentes e esta harmonia de preto, castanhos chocolate e dourado é simplesmente uma maravilha que faz tudo desde um smoky eye muito original a um efeito mais suave para o dia a dia. Fica muito bem com os meus olhos negros.


6. Your fav eye makeup remover | O teu removedor de maquilhagem de olhos favorito. Vichy Pureté Thermale Démaquillant Waterproof Yeux Sensibles, tira tudo mas tudo mesmo, e até serve para desmaquilhar batom de longa duração. Mas se faltar, serve o fiável Crealine da Bioderma.

7. Your fav mascara | A tuas máscara de pestanas preferida. Tenho duas favoritas absolutas: a Diorshow Extase e a Max Factor Masterpiece. Falemos primeiro desta. É a antepassada de todas as escovas de borracha com piquinhos e ainda hoje uma das melhores em termos de qualidade/preço. Aqui em baixo e da esquerda para a direita podem ver a Yves Saint Laurent Mascara Volume Effet Faux Cils Baby Doll, a Chanel Inimitable e a Masterpiece. Vêem a semelhança nas escovas? Gosto de todas as três mas a Max Factor é metade do preço das outras. Pena a marca não se vender em Portugal!


Já nesta foto podem ver a escova absolutamente única da Diorshow Extase, que deixa as pestanas incrivelmente volumosas mas de uma forma muito natural. Adoro-a! Finalmente uma menção honrosa para a Bottom Lash Mascara da Clinique, perfeita para quando queremos mesmo olhos de boneca.


8. Your fav eye liner (gel, kohl,felt tip) | Eyeliners favoritos (gel, lápis e caneta). Na categoria gel, sou fã do eyeliner Bobbi Brown. Tenho as cores #1 Black Ink e #13 Chocolate Shimmer Ink que comprei num coffret todo catita que ainda trazia o pincel e um mini desmaquilhante. Adoro também o Eyeliner Gel Matte da Inglot, aqui na cor #74, um beringela profundo. Tem uma textura muito mais macia, mas quando seca não sai do sítio! Em caneta, gosto do ArtDeco High Precision Liquid Liner (uma verdadeira pechincha de grande qualidade que me foi recomendado pela minha grande amiga D.), e do Raven Glaze Lacquer Eyeliner da Rouge Bunny Rouge. Na equipa lápis, nada é mais preto que o MAC Technakohl Liner na cor Graphblack. 


9. Your fav single eye shadow. | A tua sombra unitária preferida. Deixem-me contar-vos uma história... Há muitos anos tive uma sombra mono da linha Estée Lauder Pure Color, chamada Honey Drop. Gastei-a até ao fim, caso raro, e quando fui recomprar a linha tinha sido reformulada, e a mais parecida com a minha Honey Drop era a Pure Color #47 Nude Fresco que como podem ver já vai pelo mesmo caminho. Porquê? Porque este tom de pêssego luminoso e acetinado é o canivete do MacGyver da minha gaveta de maquilhagem. Dá com tudo, é o tom perfeito para iluminar o arco da sobrancelha e o canto do olho, e com a maior facilidade conjuga-se com qualquer outra sombra na pálpebra móvel.


10. Your fav sun glasses | Os teus óculos de sol preferidos. Bem, de momento tenho de dizer que são também os mais recentes: estes Linda Farrow que por impulso comprei há coisa de um mês naquelas vendas de sexta-feira do TheOutnet.com em que adicionam um desconto adicional no checkout. Ficaram-me aí por 30% do preço original... As hastes têm este ar curioso porque levei os óculos à André Ópticas para mos ajustarem. Foram amorosos, os óculos ficaram perfeitos, e no fim como já não cabiam no estojo devido à curvatura das hastes, deram-me um estojo da Tiffany que ainda por cima é muito mais giro que o original! 



E como dizia a outra moçoila, these are a few of my favorite things. Agora perdoem-me que não vou tagar ninguém, porque sou um bocado tímida nestas coisas.

coisas com nomes de outras coisas #1


Rubrica nascida em momento de inspiração tardia graças a uma troca de impressões no Facebook com a Coisas e Cenas. Falávamos da Max Factor, marca criminosamente ignorada nos dias de hoje que deixou de se vender em Portugal (os meus primeiros pó e batom foram Max Factor) e mesmo lá fora anda pouco falada nos últimos anos, quando tem das melhores máscaras de pestanas que aí andam, as Masterpiece. Ficam a saber que as Masterpiece foram as primeiras máscaras de pestanas com a escova de piquinhos de borracha que agora anda em todas as Chanel e semelhantes deste mundo...

Mas isto tudo veio a propósito de um batom que voltou comigo das Canárias (todas elas um duty free gigante) há dois Verões: é da linha Colour Elixir e tem o maravilhoso nome de Ruby Tuesday e número 715 na classificação da marca. Com perfeita justiça, é um vermelho puro muito ligeiramente a puxar ao cereja, um pouco acetinado e muito confortável de usar o dia todo. 


Porque a associação de ideias era óbvia, deixo-vos também uma das sombras toupeira mais perfeitas da minha vida: a Ashes to Ashes da NARS. O que dizer? É NARS e de aplicação à prova de erro (num dia que me tinha esquecido dos pincéis na bolsa de viagem, apliquei-a com o dedo e ficou perfeita na mesma), um toupeira muito neutro e um bocado para o cool (em contraste com a Rosewood da Burberry, outra favorita, que tem um tom já a deslizar para o rosado). 

E agora: música (estava-se mesmo a ver).


my ugly snow boots

Às vezes há razões que a própria razão desconhece. Há umas semanas recebi uma newsletter da MyTheresa (loja onde seria capaz de comprar de olhos fechados, ainda mais que na Net-a-Porter) dedicada ao frio ou mais precisamente à luta contra este, e apaixonei-me por estas botas. São umas Sorel, que pelos vistos é uma marca canadiana de snow gear. Havia qualquer coisa de familiar no estilo, até que me lembrei que há uns anos (esta minha memória fotográfica é um sarilho) tinha visto umas L.L. Bean de semelhante género no estaminé da Garance Doré. A verdade é que gostava ainda mais das Sorel (eu perco-me por qualquer coisa em tons camel) e a marca encontra-se online na Europa com relativa facilidade.


Aqui só há um pormenor curioso: tecnicamente isto são umas botas de neve e eu não faço tenção de ir passear para a Serra da Estrela nos próximos tempos. Aliás, fiz ski exactamente duas horas na minha vida, e a experiência bastou para ir logo cancelar a aula do dia seguinte. Haverá quem ache graça à sensação de descer uma ribanceira num carro sem travões. Eu não. Isto aconteceu na Sierra Nevada e eu nem sequer saí do Pradollano, onde crianças de quatro anos deslizavam graciosamente enquanto eu patinhava como um ganso recém-nascido. Podem rir-se à vontade.

Acontece, porém, que tenho pezinhos que rapidamente arrefecem até temperaturas glaciares, e quis o destino que recentemente voltasse a frequentar as paragens da minha infância, bem no interior de Portugal. As paisagens bucólicas, a névoa matinal sobre os campos cobertos de geada, e AH, O FRIO! O FRIO! que se entranha nos ossos até te sentires como uma personagem d'A Guerra dos Tronos que se aventurou a norte da Muralha. Depois de ter passado um fim-de-semana inteiro a tiritar, não volto lá sem equipamento apropriado.

O preço deste modelito é € 140, sendo que na MyTheresa estão a fazer portes grátis até dia 28.11.2013. Ainda apanhei umas com 30% de desconto na Farfetch mas nunca me tinha apercebido que os portes são astronómicos; praticamente anulavam o desconto. Para minha própria surpresa acabei a navegar na Spartoo onde apanhei um vale de 15% e comprei as botas por € 119 uma vez que a entrega é grátis. Não tenho qualquer afiliação com esta loja e nunca lá comprei nada*, por isso a breve trecho vos direi o que achei do serviço. 

* O facto deste estabelecimento apenas ter afiliação com duas lojas, a Showroomprivé e a E-Beautycare.com, explica-se de forma muito simples: eu não recomendo nada que não tenha experimentado pessoalmente primeiro, como cliente anónima. 

Second Hand Second Love


É a minha primeira experiência com o Second Hand Second Love. Fiz algumas vendas no Open Up Your Closet mas há cerca de ano e meio que não fazia uma. Entretanto deu-se a coincidência incrível de me inscrever no Second Hand de 30 de Novembro e passada meia hora descobrir que duas amigas também vão lá estar, o que é óptimo porque estas coisas fazem-se bem é com companhia. O Second Hand de Sábado que vem vai ser dos maiores, acho que até vão ocupar mais espaço na Aerlis que habitualmente dado o elevado número de inscrições. Eu, que sou totalmente fã do reutilizar e do vintage tanto como compradora como vendedora, vejo com agrado que esta actividade começa a abranger gente de todas as idades e proveniências.

Claro que entretanto há sempre o "onde é que eu me fui meter tenho de comprar cabides", "onde é que eu me fui meter tenho de comprar sacos", "onde é que eu me fui meter tenho de fotografar estas coisas", mas o que tem de ser tem muita força e a ideia de um armário mais arrumadinho é bastante apetecível.

O que podem esperar na minha banquinha: muita bijutaria, sapatos (ficam já a saber que eu sou um 36), carteiras (especialmente uma quantidade obscena de clutches), casacos, vestidos, malhas. Prometem-se fotos durante a próxima semana.

Santa, baby...


Lembro-me perfeitamente do meu primeiro contacto com o nome Michael Kors. Era o Outono de 2001, eu estava a fazer Erasmus em Inglaterra e comprei uma Elle que trazia o anúncio com "raspadinha" ao primeiro perfume do criador, uma explosão de tuberosa. Flor intensa que se ama ou odeia, sendo certo que eu amo; e imediatamente decidi que na próxima viagem de fim-de-semana a Londres (ah, quase choro quando escrevo isto) iria comprar o perfume para oferecer à minha Mãe no Natal. Foi a minha primeira compra no Harvey Nichols, loja que ainda hoje estimo pelo seu atendimento impecável e por ser um pouco mais intimista que o gigantesco Harrods ao virar da esquina.

Tendo em conta a estética impecável da marca, eu imaginava o Michael Kors como um criador americano meio sisudo (não sei porquê, eu imaginava toda uma geração de criadores americanos como sendo uns cinzentões... Ralph Lauren, Calvin Klein, Carolina Herrera, etc). Como podem imaginar, apanhei um dos grandes choques da minha vida quando anos mais tarde o Michael Kors se torna jurado do Project Runway e me aparece isto:

@ projectrunwaygifs.tumblr.com
O-M-F-G! E a partir daqui a minha admiração cresceu 1000% porque se bom gosto já é uma qualidade de respeito, bom gosto e um fantástico sentido de humor são uma combinação rara. Eu nunca, mas nunca imaginaria que o designer que criava linhas tão clássicas era afinal uma pessoa tão bem-disposta! 

Quis o destino que a primeira loja da marca em Portugal abrisse perto de mim e bem, o que posso dizer? Muito bom. Tenho a certeza que era capaz de entrar na loja de olhos vendados e sair de lá com um artigo de que gostasse (a sério, se alguém me quiser financiar eu faço a experiência). A loja em si está muito boa, tem imensa luz e cheira ao perfume, ao tal que foi o meu primeiro contacto com a marca. 


Infelizmente o orçamento trava-nos os sonhos, mas ainda pode ser que qualquer coisita venha morar comigo no Natal...

Relógio Michael Kors MK5613

the little shop around the corner


Recentemente a Avenida Ressano Garcia (no Bairro Azul, mesmo ao pé do El Corte Inglès) passou a contar com duas lojinhas à moda antiga e mesmo ao lado uma da outra: a Le Moose vende roupa e acessórios, a Kitchen Make Up Boutique maquilhagem e cosmética. Um dia vos falarei da Kitchen, hoje o tema é a Le Moose. Um pouco talvez por reacção à massificação da moda, nos últimos anos têm renascido em Lisboa e no Porto as boutiques, com peças originais e escolhidas a dedo e todo um atendimento personalizado. A Le Moose conta com uma selecção interessante de marcas das quais hoje destaco as amorosas camisolas Sugarhill Boutique e as portuguesas galochas Lemon Jelly, que vieram morar comigo na última visita à loja.

Camisola "Bambi" Sugarhill Boutique + Galochas "Corunha" Lemon Jelly @ Le Moose

Tinha ficado fascinada com uma camisola com cisnes, mas como já só tinham um número maior acabei por voltar lá no dia seguinte e troquei por esta que tem o pormenor engraçado de ter o bichinho a "dar a volta" continuando o desenho para a parte de trás da camisola. São malha 100% algodão e muito confortáveis. As Lemon Jelly já as tinha visto por essas internetes, mas fiquei agradavelmente surpreendida ao ver as peças ao vivo. Acabamentos perfeitos e muito confortáveis, dá vontade de usar faça chuva ou faça sol. 

a equação Zara

Casaco Zara € 79,95

Não sei bem o que pensar da Zara nos últimos tempos. A verdade é que a grande maioria das peças da colecção Outono/Inverno 2013 não são nada o meu género nem no corte nem na cor, acho-as demasiado severas e de todo desadequadas às minhas proporções e ao meu estilo. Claro que há sempre excepções como este casaco, que a custo voltou para o expositor mas talvez ainda sejamos felizes se chegar a saldos.

E depois há peças como esta carteira, que me deixou de queixo caído quando a Xanalicious a mostrou há uns dias. OK, eu sei que a bucket bag não é uma invenção da ciência aeroespacial, mas é preciso descaramento para fazer uma cópia tão aproximada da Mansur Gavriel que anda nos ombros de toda a fashion crowd nos últimos meses. 

Carteira Pele Zara, € 139,00
Digamos que o preço já um um bocado salgado para a Zara. É que eu ainda sou do tempo em que se comprava roupa boa e barata na Zara, e não tenho nada contra a quererem reinventar-se como templo do streetstyle. Mas escusavam de disparar os preços, OK? E sim, olhem que eu tenho perfeita noção que aqui em Portugal temos a sorte de comprar Zara aos preços "originais" equivalentes a Espanha, quando no resto da Europa os preços já sobem e nos EUA nem se fala (a carteira no website americano aparece a $279 o que pelas minhas contas dá € 207 ao câmbio actual).

Carteira Mansur Gavriel, $495

Por outro lado, acho que ainda estou meio traumatizada com a saga da carteira que desbotou. No início da estação estava de olho numa outra carteira preta, mas quando finalmente a encontrei foi uma desilusão: não gostei nada do cabedal, que me pareceu de fraca qualidade.

Nestes momentos gosto sempre de reler dois pequenos textos que a Garance Doré escreveu no ano passado sobre as compras na Zara. A boa compra na Zara ainda é aquela peça quase única que vai, vem e num ápice desaparece das lojas e do website. Mas tudo o que passa a fronteira do inspirado para o copiado, enfim... Especialmente quando não se está a copiar uma grande multinacional e sim uma marca que acaba de ser lançada no mercado!

Acho que vou mas é investigar o closet da minha Mãe, que ainda deve ter umas belas bucket bags dos anos 90. Deixa-te ficar aí que eu já volto, Zara. Ou não.

my skincare [part 2]: patuxxa's little helpers


Em complemento aos produtos da Pai Skincare que vos mostrei ontem, a minha rotina diária conta ainda com alguns produtos essenciais, e o curioso é que só agora que os fotografei reparei que são todos de parafarmácia. Ora se nos recordarmos que também a Pai Skincare é uma linha toda ela pensada para peles sensíveis, chega-se à conclusão que um pouco por trial and error encontrei um regime destinado a acalmar e proteger a minha pele.

O Serozinc da La Roche-Posay entrou imediatamente para a minha wishlist quando foi recomendado pela Caroline Hirons, e graças à minha querida Make Down consegui a primeira embalagem do produto, vinda de terras gaulesas pois os senhores da La Roche-Posay não vendem isto em Portugal. É a água termal da marca, mas reforçada em zinco que acalma as irritações da pele. O spray em si é muito bom e dispensa a água termal numa nuvem finíssima. Uso-o a seguir a lavar o rosto e antes de secar (o que se faz, já se sabe, pousando suavemente a toalha sobre o rosto, qual libelinha saltitando sobre os nenúfares, porque esfregar é o que se faz aos pratos na cozinha). Entretanto lá descobri uma parafarmácia francesa online que envia para Portugal e já vou na segunda embalagem.

Desde que a minha pele acalmou que não tenho tido grandes problemas com pigmentação, mas por esta altura gosto sempre de fazer um sérum para recuperar da praia e evitar aquele ar baço do Outono-Inverno. O Vinoperfect Sérum Éclat Anti-Taches da Caudalie é muito elogiado, e como utiliza activos não fotossensibilizantes pode ser usado de dia. Uso-o de manhã seguido do meu hidratante da Pai Skincare. Tem uma textura leve e não gordurosa que absorve rapidamente, e é perfeitamente tolerado pela minha pele. Ao fim de um mês e meio de utilização noto alguns resultados na vertente éclat, sendo que na vertente anti-taches não me posso pronunciar pois não as tinha para começar...

Já a Emulsion Anti-Brillance Touche Sec SPF 50 da Vichy ocupou recentemente o lugar de protector solar de cidade na minha vida. Na verdade ainda tinha um Soleil Divin da Caudalie para gastar, que veio de brinde no Vinoperfect, mas infelizmente é um daqueles protectores que só servem para a praia: é um bocado pastoso e esbranquiçado, e deixa a pele algo brilhante. Já este produto da Vichy faz jus ao seu nome de "toque seco" e espalha-se que é uma maravilha, transparente e invisível. Acresce que, como a Vichy pertence à L'Oréal, este protector solar tem um filtro exclusivo e patenteado pelo grupo, o Mexoryl (encontra-se também em protectores da La Roche-Posay, Garnier, Kiehl's e outras marcas L'Oréal, é uma questão de ler bem as embalagens). 

Finalmente, e para emergências, o Cicalfate da Avène é um um belo creminho para socorrer as irritações ocasionais da pele, tais como reacções inesperadas a amostras de cosméticos... Só o uso à noite se preciso, porque tem uma textura bastante espessa tipo cold cream, mas realmente acalma a pele num instante. Gosto sempre de ter um produto deste género embora não seja propriamente fiel: também me dou muito bem com o famoso Embryolisse e com o Ictyane H.D. da Ducray.

my skincare [part 1]: it's love


Há muito tempo que não usava uma linha completa da mesma marca. No entanto desde que comecei a usar alguns produtos da Pai Skincare que vou gostando cada vez mais da marca e notando os seus benefícios. Ora sucedeu que o meu Echium & Argan Eye Cream estava a chegar ao fim, exactamente quando a marca fez uma promoção na loja online, em que quem comprasse o conjunto de creme de limpeza, tónico e hidratante recebia o creme de olhos de oferta! É claro que aproveitei. Já usava o Rosehip BioRegenerate Oil há uns meses mas só estou a usar a linha completa, de manhã e à noite, há cerca de um mês. E posso dizer que estamos todos a dar-nos muito bem e somos uma família feliz.

Uma vez que já tinha usado o produto e gostei, comprei o kit com a embalagem maior de Camellia & Rose Gentle Hydrating Cleanser. É um creme de textura muito leve que limpa o rosto sem agredir. Na marca falam em usar duas ou três pumps para limpar o rosto, mas eu uso apenas uma (no rosto já desmaquilhado) e chega perfeitamente! Por esta altura e como há uns meses tinha comprado o conjunto de amostras, já tenho uns três ou quatro paninhos de algodão orgânico que vêm com o produto e servem para humedecer e limpar o rosto no fim. Isto dá imenso jeito, porque naturalmente é preciso ir rodando os tais paninhos e lavá-los bem no fim da semana.

Para a minha pele mista, o tónico que me indicaram é o Rice Plant & Rosemary BioAffinity Toner. A princípio estranhei a embalagem ser relativamente pequena (apenas 50ml), mas como é um tónico que se pulveriza, a ideia é usar menos do que se fosse aplicado num algodão. O problema é que, para usar a brilhante expressão da Coisas e Cenas, isto é uma "embalagem mijona" e o spray não borrifa, dispara. Assim, passei a aplicar o tónico deitando duas borrifadelas na palma da mão para depois espalhar nas mãos e pousá-las sobre o rosto. 

O Geranium & Thistle Combination Skin Cream é o hidratante para peles mistas a oleosas da marca. Há quem peque por pensar que este tipo de peles não precisam de hidratação, e daí fazem uns creminhos super leves que não hidratam nada. Passadas umas horas está a pele a produzir óleo em quantidade industrial para compensar. Na verdade quando experimentei este hidratante pela primeira vez pensei que ele era um pouco rico demais, mas depois percebi que era a medida ideal. Tem um toque de grande conforto na pele, e é muito bem absorvido.

Já aqui tinha falado do Echium & Argan Eye Cream e continuo a gostar muito dele! A marca entretanto passou a fazer este produto numa embalagem maior, de 10ml passou para 15ml mas o preço não subiu proporcionalmente, ou seja, agora o creme é mais barato por ml de produto. A troika aprova, senhores, a troika aprova.

E continuo a amar o meu Rosehip BioRegenerate Oil, que aplico apenas à noite seguido do hidratante. Com a mudança de estação a minha rosácea quis manifestar-se, mas com os produtinhos da Pai Skincare acabou por acalmar. Aliás, cada vez mais noto que o óleo em especial, é um produto muito bom para acalmar pequenas crises e irritações da pele. Na semana passada sofri uma reacção ao experimentar amostras de outra marca, parei imediatamente e voltei aos produtos habituais, em vinte e quatro horas a pele tinha acalmado e nem sinal de irritação. E já percebi que o óleo me vai durar bastante, o que é mais um sinal positivo.

oversized

A Mango de vez em quando promove umas peças-estrela com preços simpáticos que aparecem em todos os outdoors, o que para mim costuma ser sinal automático para as ignorar. No entanto quando reparei neste sobretudo algo na minha cabeça fez clic e levou-me a investigar em pessoa.

Sobretudo Oversized Mango, € 49,99

É que desde a inauguração da loja da Liu Jo nas Amoreiras, eu tinha ficado de olho num casaco de características semelhantes, em tweed macio e corte oversized, mas cujo preço algo obsceno apenas me permitia equacionar adquiri-lo se chegasse aos saldos e se o desconto fosse pelo menos de 50%. 

Experimentado o casaco da Mango, que apenas precisa de ser ajustado nas mangas (o que me acontece com 99% da roupa, porque eu sou um hobbit), veio comigo para casa para alegrar um dia que começou com impropérios em frente ao espelho, ao constatar que a minha pele fez reacção a um dos produtos da Omorovicza que estava a experimentar. OK, não estou com cara de pizza, mas é o suficiente para dar cabo do humor a uma pessoa. Retail therapy impunha-se.

O "mano" da Liu Jo no desfile AW '13
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...