coisas de que a patuxxa se lembra às tantas da noite


Comprei esta carteira em Setembro de 2012 na Accessorize. Foi amor à primeira vista, e apesar de ser um pouquito cara e nem sequer cabedal verdadeiro, trouxe-a comigo. Revelou-se uma muito boa compra. O seu tamanho, diversos bolsos e combinação de cores tornam-na uma carteira perfeita para usar em viagem. Cabem lá exactamente os artigos necessários, tem uma divisória atrás para o passe, não pesa demais, pode usar-se à frente do corpo para maior segurança, enfim, a perfeição.

Até que por esta altura do ano passado, levei a mão ao bolso da frente e fiquei com o enfeite do veado na mão.

E aqui se faz um interlúdio para geeks: hoje, e justamente hoje, eu até podia dizer que isto é um prenúncio dos destinos da Casa Baratheon n'A Guerra dos Tronos. Mas não vamos por aí...

Ainda fiz uma cuidadosa tentativa de voltar a colar o aplique com super cola, mas não durou mais que umas semanas. Guardei-a no armário com a ideia de pensar mais tarde no que fazer, e esqueci-me dela. Até que há umas semanas, quando estava a planear uma viagem próxima, me lembrei que esta carteira é a que dava mesmo jeito levar. E surgiu-me a ideia, ainda vaga, de tentar fixar ali outro aplique para esconder o sítio do outro (e de preferência sem ser colado).


Outro dia, e nem sequer estava a pensar nisto naquele momento, veio-me à cabeça a ideia perfeita: um alfinete. Usando um alfinete eu poderia fixá-lo de modo seguro à carteira, bastando que fosse do tamanho certo para esconder o sítio onde estava colada a cabeça de veado. E no momento seguinte eu soube qual iria usar: este alfinete comprado nos saldos da Uterque, que adoro mas raramente usava, representando o deus egípcio Hórus.


Se bem pensei, melhor o fiz. Após verificar que o alfinete condizia com a carteira e escondia na perfeição o encaixe, centrei-o com cuidado e usei o bico de uma tesoura para, com muita precisão, marcar o sítio onde a agulha do alfinete iria entrar e sair (certificando-me assim que ele ficava na posição exacta que eu queria). Depois foi só espetar o alfinete na carteira, devagarinho e com cautela, fechá-lo e pronto. Carteira novinha em folha e pronta a acompanhar-me de novo nas minhas viagens por esse mundo fora!

12 comentários :

  1. E, se me permites, gosto muito mais do motivo de agora!
    (para além de que ficas com uma carteira que mais ninguém tem)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade! Também gostava muito do veado, mas enfim :D

      Eliminar
  2. E ainda ficaste com um veado que podes converter num anel ihihih :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Num anel não sei se dá, mas talvez usá-lo como peça central de um colar... vou fazer experiências ;-)

      Eliminar
  3. O novo motivo é muito mais giro. Grande ideia!

    ResponderEliminar
  4. Comprei esta mala por tua causa(eheh) e é de facto super prática. O veado irrita-me e acho que o vou remover e meter um botão liso preto, mas a tua ficou super gira. Quando era pequena tive uma fase de obsessão com a cultura egípcia.

    Alice

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A sério? Oh, que giro <3 Eu sou doida por mitologia, comecei na greco-romana e egípcia em pequena também... lembro-me de ler o Dicionário Larousse na secção de mitologia de fio a pavio!

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...