duetos imprevistos

Como mencionei na entrada anterior, o Inverno tem proporcionado algum alívio da rosácea (com a ajuda dos hidratantes adequados), mas durante o mês de Janeiro tive mais uma crise de acne hormonal que me deixou com algumas marcas de pigmentação na zona do queixo. Como terminara vários produtos entretanto, escolhi a "ronda" seguinte tendo em conta a necessidade de reduzir essas marcas.

Em primeiro lugar entrou em campo o creme hidratante e regenerador Endocare Gelcream (apesar do nome é mesmo um creme), produto com o qual tenho uma história que acabei por nunca relatar aqui. Sucede que em 2007 eu tive varicela em adulta, fiquei com a cara cheia, cheiinha de chagas e mal pude sair de casa fui a correr a um dermatologista. Tive a sorte de encontrar um profissional que inspirava confiança - que se veio a revelar bem merecida - e desde logo tranquilizou o meu pânico, receitando-me uma rotina de produtos simples (e até baratos...) para cicatrizar primeiro, e depois eliminar as marcas de pigmentação. Na primeira fase, essa rotina era composta de água micelar Bioderma (foi ele que ma deu a conhecer, muito antes de aparecer por todo o lado), o Endocare Gelcream e em seguida protector solar Anthelios XL SPF 50+. E não podia lavar a cara com água, só com Bioderma (OK, eu fazia batota de vez em quando). Depois de um mês, passei a usar, só à noite e só nas marcas de pigmentação, um creme de retinol. Mais dois meses e as marcas tinham desaparecido todas. E olhem que isto foi no Verão e eu nem deixei de ir à praia, mas sempre com a cara barrada de protector solar!

O Endocare Gelcream integra uma gama de produtos feita pelo laboratório espanhol IFC, que contém um activo que o laboratório baptizou como "SCA Biorepair Tecnology, baseada na secreção de Cryptomphalus aspersa, um pequeno caracol terrestre". Sim, é baba de caracol (que pelos vistos os dermatologistas já conheciam e usavam anos antes de aparecer nas televendas...). Ora quanto aos outros cremes que por aí andam a dizer que fazem tudo e mais alguma coisa graças à baba de caracol, eu nada sei (e na verdade nem sei se tais cremes terão mesmo esse ingrediente), mas este Endocare Gelcream posso dizer-vos que resulta, ajuda mesmo a pele a cicatrizar mais depressa, e além do mais é um creme de textura muito hidratante e confortável e uma excelente base de maquilhagem. Por isso de vez em quando volto a usá-lo, e desta vez precisava mesmo.

Entretanto como terminei o sérum hidratante que estava a usar, passei ao A06 ácido hialurónico da État Pur, marca francesa que de vez em quando aparece no Showroomprivé. Quando me lembro que paguei € 11,50 por isto até me rio. É mesmo, mesmo bom e até gosto mais dele que do Hydraluron da Indeed Labs. Deixa uma sensação de hidratação e conforto imediatos na pele, e os efeitos continuados já se notam.


Para atacar as marcas de pigmentação que sobraram, pareceu-me a altura ideal para colocar a uso o Retinol Reface da Indeed Labs. Em Novembro passado aproveitei uma promoção de 2 por 3 na loja online da Boots para me abastecer de alguns produtos da marca, entre eles o Retinol Reface que decidi comprar alicerçada na boa opinião expressada pela Coisas & Cenas. Sendo um retinol, comecei a usar este creme dia sim dia não para dar tempo à pele para se habituar. No entanto, apesar da marca dizer que o Retinol Reface tem activos hidratantes e pode ser usado sozinho, eu sentia claramente a necessidade de aplicar hidratante a seguir. Por isso decidi aplicar um método a que chamam buffering ou "amortecimento" e que consiste em aplicar o retinol, deixar actuar cerca de meia hora e depois aplicar um hidratante.

Ora certo dia, logo nas primeiras aplicações, eu estava a sentir a pele tão repuxada ao fim dos trinta minutos, que deitei mão ao tubo de Embryolisse que tinha na gaveta (um bocado sem saber o que lhe fazer) e foi remédio santo. A minha pele no dia seguinte estava um sonho. Portanto a partir daí usei sempre o Embryolisse para fazer o amortecimento do Retinol Reface. Esta semana já experimentei usar o Retinol Reface duas noites seguidas e não sofri qualquer irritação.

A minha rotina base nos próximos tempos será pois A06 ácido hialurónico e Endocare Gelcream de manhã, seguidos de um protector solar (importantíssimo para quem está a usar retinol, nem pensem em não usar), e Retinol Reface seguido de Embryolisse à noite. Tão bem que eles se dão todos.

4 comentários :

  1. Eu também uso esse retinol sem medos (agora, porque no início pelava-me só com a ideia, sabes como é a minha pele): é suave mas eficaz. Agora, sempre o usei como segundo sérum ou primeiro hidratante e acho que nem 15min espero, preciso mesmo de lhe aplicar um creme gordo por cima. Mas é coisa simpática, sim senhora, terminei agora mais uma embalagem dele (mas ainda tenho uma em stock. :D )

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A seguir a este se calhar vou pôr o Pepta Bright a uso :D

      Eliminar
  2. Numa farmácia portuguesa quais as alternativas aos cremes com ácido hialurónico e retinol que refere? Obg

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá! Em retinol tem o Ystheal da Avène, creio que existe em duas texturas, para pele mais seca ou normal/oleosa. É muito reputado (eu também já usei há vários anos) e desde que se introduza gradualmente, não costuma provocar irritação / sensibilidade (mas claro que não há duas peles iguais...)

      Ácido hialurónico "puro" como activo principal só conheço um sérum da Collistar que existe na Sephora (ainda não experimentei) mas o ingrediente surge em muitos séruns como o Aqualia Thermal da Vichy (este já usei e é bom e muito calmante para a pele).

      Espero ter ajudado!

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...