"review": Clique One C10 + Clique One E5


As minhas desculpas por não ter conseguido fotografar as embalagens em condições e ter de usar stock photos, mas isto é traiçoeiro de apanhar a legenda e o meu velhinho iPhone 3GS já não vai lá. No entanto não podia deixar de partilhar a minha (boa) opinião sobre estes produtos dos Laboratórios Medinfar que não só são uns séruns muito simpáticos e a preço de amigo, como também são incrivelmente práticos para levar em viagem ou férias.

Curiosamente não descobri este produto através da internet ou dos blogues, mas sim em conversa com uma colega de escritório a quem o dermatologista lhe tinha recomendado os Clique One. Não descansei enquanto não fui à parafarmácia do El Corte Inglès comprar as três variedades. Cada embalagem custou cerca de € 16.

Os Clique One são séruns que se apresentam em embalagens de 28 monodoses, suficientes para um mês de tratamento. Existem três variedades com três princípios activos diferentes:
  • E5 contém Vitamina E na concentração de 5% e destina-se à protecção anti-radicais livres e regeneração da pele;
  • C10 contém Vitamina C na concentração de 10% sob a forma de ácido L-ascórbido e promove a regeneração cutânea, a síntese do colagénio e a diminuição da hiperpigmentação;
  • A15 contém Vitamina A (retinol) na concentração de 0,15% e destina-se a regenerar a pele danificada ou acneica promovendo a aceleração do ciclo de renovação celular.
Estes séruns têm os princípios activos numa base de silicone portanto sentem mesmo aquele efeito quando os aplicam. Explicou-me a Make Down há um par de anos que o silicone estabiliza as vitaminas evitando que as mesmas se degradem (o que poderia acontecer se o "enchimento" fosse por exemplo água, porque a água tem oxigénio na molécula e o oxigénio... oxida). 

Sob recomendação da Bola de Sabão usei durante as férias e tempo de praia o sérum E5 de manhã, para proteger a pele da exposição solar, e o sérum C10 à noite, para promover a regeneração. Tenho a dizer que gostei bastante de ambos. Tirando o facto de ter ganho uma corzinha ao de leve (eu não apanho sol directo na cara, baixa-me as tensões), chegado Setembro nem parecia que tinha estado uma semana a apanhar sol, vento, sal, suor e camadas de protector solar na cara. E umas três manchitas que tinha depois de ter feito má reacção a um sérum da Caudalie desapareceram por completo.

Nenhum dos séruns me provocou qualquer tipo de irritação ou reacção. O C10 às vezes arde um bocadinho a aplicar, mas é momentâneo e desaparece em segundos.


Os Clique One apresentam-se em monodoses dentro de embalagens que são umas práticas rodinhas de plástico. Solução mais travel friendly não há! Mais: após alguma pesquisa cheguei à conclusão que o Clique One C10 de Vitamina C tem ingredientes quase idênticos às Vitamin C+ Overnight Repair Radiance Capsules da Una Brennan, que experimentei no ano passado, com a diferença de ser metade do preço para a mesma quantidade de produto!

A única nota que tenho a apontar é que o C10 pode manchar a roupa de dormir ou de cama com umas manchas amarelas, coisa que já me aconteceu com outros produtos com Vitamina C activa. Mas sai na lavagem, não se preocupem.

Quanto ao A15, que é um retinol, estou a guardá-lo mais para o Inverno e a seu tempo partilharei a minha opinião. Para já, o C10 e o E5 estão totalmente aprovados.

I'm a cowboy, on a steel horse I ride

Então parece que uma das tendências do Outono/Inverno 2015 é o western, e há texanas e franjas por todo o lado. Isto é problemático. Eu não sou grande fã de franjas excepto em lenços, mas tenho uma obsessão estranha por botas texanas. Tenho umas Frye autênticas compradas nos EUA há uns anos, castanhas, mas agora queria umas botas pretas do mesmo género e estas da Bershka entraram na minha pré-selecção. Ao ver a opinião positiva de uma amiga que também as comprou, decidi-me por elas e fui à loja das Amoreiras experimentá-las in loco porque não sabia se havia de comprar o 35 ou ou 36.

Houve intervenção cósmica, leitores. Experimentei ambos os números e ambos me serviam, só que o 35 ficava um pouco mais justo. E nestes casos, contrariando a doutrina maioritária, eu costumo levar o 35... só que já ia pagar quando vi umas costuras descosidas e quando pedi outro par, percebi que aquele par 35 era único e o par 36 que eu tinha experimentado também era único. O universo estava claramente a mandar-me uma mensagem. Portanto trouxe o 36. E depois de as experimentar em casa já com meias, concluí que foi a decisão acertada.

Botim de couro Bershka, € 49,99

Entretanto andava de olho num colete da Zara. Os coletes são outra grande tendência, a ponto de a loja online da Zara já ter uma secção específica para o efeito. Ora eu queria experimentar este aqui, que é assim tipo pastora das estepes da Mongólia, mas ainda não o encontrei em loja. E como tenho tido uma série de desilusões com coisas da Zara compradas online, não estou para aí virada. Estava quase a sair da loja do Colombo de mãos a abanar quando vi isto:

Colete pele bordado Zara € 39,95

Foi amor à primeira vista. Um colete lindo de pele bordada a este preço? Nem uma horda de mortos-vivos mo arrancava das mãos. Amor à primeira vista foi também este lenço de franjas (eu bem disse que só gosto de franjas em lenços) que tem um padrão e cores lindíssimos... Agora resta-me desejar por tempo frio para estrear os meus tesouros.

Lenço triângulo Zara € 22,95

"review": Bioderma Hydrabio Eau de Soin SPF 30 + Sensibio Tolérance+


Nos últimos meses, e para além da indispensável água micelar, há dois produtos da Bioderma que têm feito parte essencial do meu dia-a-dia. 

O primeiro é o hidratante Sensibio Tolerance+, indicado para peles intolerantes ou hipersensíveis. Nos meses de Verão, e dada a exposição da pele a diversas agressões exteriores como água salgada, vento e sol, gosto de apostar numa rotina minimalista em que a hidratação é potenciada por produtos reparadores e/ou protectores (papel que nesta estação foi desempenhado por dois séruns da marca Clique One dos quais falarei em breve). Acresce que, comecei este hidratante num momento em que tinha a pele algo sensibilizada devido à reacção a um outro sérum que fui obrigada a deixar a meio... não sofri irritação cutânea propriamente dita, mas o sérum provocava-me milia e pontos negros na zona do queixo!

Com uma lista de ingredientes simples e breve, o Sensibio Tolerance+ apresenta-se como um produto cujo uso continuado reforça a pele e diminui a sensibilidade. Vem em embalagem de pump e tem uma textura única, entre o creme e a mousse aguada, que é rapidamente absorvida pela pele. Gostei muito deste hidratante e voltarei a utilizá-lo. Mesmo após uma semana de praia, não sofri qualquer irritação ou vermelhidão e estou até com a pele muito pacífica. Acho-o um bom hidratante que pode socorrer uma pele em apuros ou servir de base a uma rotina acompanhada de outros cuidados específicos. Custa cerca de € 18 por embalagem de 40ml.

Ingredientes: Aqua/Water/Eau, Isostearyl Isostearate, Glycerin, Silica, Glyceryl Stearate, Sodium Citrate, Capryloyl Glycine, Mannitol, Xylitol, Rhamnose, Sodium Pca, Acetyl Tetrapeptide-15, Undecylenoyl Glycine, Dehydroxanthan Gum, Sodium Hydroxide. [Bi 668]

Já o Hydrabio Eau de Soin SPF 30 não se encontra ainda disponível em Portugal, e chegou-me da Cocooncenter (onde custa € 9,90 por embalagem de 30ml) por via de uma encomenda da minha querida Pindérica. A verdade é que o conceito disto é brilhante, e todas na blogosfera quisemos experimentar isto mal soubemos do lançamento em França: um protector solar em spray! Uma água termal hidratante com SPF 30! Bom, chamai-lhe o que quiserem: a ideia é prometedora. 

Sucede, porém, que após largas semanas de uso me vi forçada a chegar à seguinte conclusão: isto não funciona na minha pele. Passo a explicar. Como sabem a minha pele é mista e passa a oleosa no Verão. Quem tem pele normal ou seca, pode aplicar este produto por cima da maquilhagem com o maior à-vontade. Eu experimentei e não gostei do resultado, porque a) me deixava a pele imediatamente com um ligeiro brilho e b) ficava sempre com a sensação de que o produto não estava bem espalhado. Experimentei uma aplicação alternativa: depois dos cuidados de rosto e antes da base. O meu problema é que por cima disto a base não se espalha bem e em certas zonas até esfarela (o que me aconteceu com produtos de várias marcas). Portanto ou me está a falhar qualquer coisa, ou só consigo usar isto com pouca / nenhuma maquilhagem. É uma experiência pessoal; a Pindérica e a Marlene do Pretty Exquisite dão-se estupendamente bem com este produto, mas não têm pele oleosa como eu. Não deixo de realçar que na minha opinião a Bioderma merece um elogio por ter criado este protector, e devia lançá-lo em Portugal quanto antes. Não funcionou comigo mas pode ser uma grande ajuda para muitas meninas de pele normal e seca por esse país fora.

Ingredientes: Aqua/Water/Eau, Cyclopentasiloxane, Disodium Phenyl Dibenzimidazole Tetrasulfonate, Glycerin, Homosalate, Octocrylene, Ethylhexyl Salicylate, Cyclohexasiloxane, Butylene Glycol, Phenylbenzimidazole Sulfonic Acid, Arginine, Sodium Hydroxide, Pentylene Glycol, 1,2- Hexanediol, Caprylyl Glycol, Disodium Edta, Mannitol, Xylitol, Tocopheryl Acetate, Rhamnose, Sodium Metabisulfite, Ectoin, Niacinamide, Hexyldecanol, Pyrus Malus (Apple) Seed Extract, Brassica Campestris (Rapeseed) Sterols, Tocopherol. [Bi 723]

Setembro é o pior mês do ano

A cada um o seu gosto. A mim Setembro enerva-me um bocado, não é carne nem peixe. Está calor mas já usamos as roupas de Verão há três meses e fartámo-nos delas. As montras estão cheias de casacos e roupas de Outono que podemos comprar mas não usar. Depois da praia temos de hidratar e exfoliar para não descascar tipo cobra a mudar de pele. E o regresso à rotina. Lembro-me que nos tempos de escola ficava sempre muito entusiasmada pelo regresso às aulas, comprar livros e cadernos novos. Depois as aulas começavam e aquilo passava logo no primeiro dia. Agora é um bocado igual, mas nem sequer se compram cadernos novos.

E assim, porque sim, e para desanuviar do choque do regresso ao trabalho: uma wishlist...  de Natal. Com muitos livros e um brinquedo da Guerra das Estrelas.

#1 iPhone


O meu iPhone é um 3GS comprado em Dezembro de 2009, ou seja, em anos de telemóvel data do período jurássico. Honestamente não percebo as pessoas que trocam de telemóvel de dois em dois anos. Comigo, enquanto funcionar usa-se. Até porque configurar um smartphone novo não é terefa fácil. Dito isto, nos últimos seis meses o meu começou finalmente a dar sinais de idade. A bateria já não era grande coisa, mas o primeiro grande susto foi uma avaria na antena interna que me deixava o telemóvel sem rede. Valeram-me os senhores da iLoja (em Lisboa na Av. Visconde Valmor) que mo arranjaram em cinco minutos sem levar nada, porque felizmente era só mau contacto.

Já a progressiva lentidão no processador não tem remédio e é o principal motivo que me leva a trocá-lo, começa a ter muitas falhas de carregamento e funcionamento das aplicações. E last but not least, como já não actualiza para lá do IOS 6.1.6, verifico a impossibilidade de instalar muitas apps mais recentes que não são compatíveis com os IOS mais antigos. De qualquer modo, acho que seis anos são uma boa vida digital. Vou actualizar para o iPhone 6S. Em ouro rosa se conseguir, mas a cor não é essencial, porque eu não dispenso a capinha protectora...

#2 Livro Grace: Thirty Years of Fashion at Vogue


A primeira edição deste livro foi uma tiragem limitada há uns bons anos, que rapidamente esgotou. Quando Grace Coddington se tornou uma estrela após o documentário The September Issue, cheguei a ver exemplares antigos à venda por mil euros! Foi com surpresa e agrado que soube que não só vai ser reeditado, como seguido de um novo volume dedicado ao trabalho mais recente de Grace.

#3 Livro Face Paint: The Story of Makeup


Estrela da internet e directora criativa da Lancôme, Lisa Eldridge é uma ávida coleccionadora de maquilhagem antiga e escreveu um livro sobre a história da maquilhagem desde a antiguidade aos tempos modernos. Estou muito curiosa!

#4 Livro Korean Beauty Secrets: A Practical Guide to Cutting-Edge Skincare & Makeup


Kerry Thompson e Coco Park são autoras, respectivamente, dos blogues Skin & Tonics e The Beauty Wolf, duas referências obrigatórias para quem se aventura nos meandros da cosmética coreana. Elas fazem testes, listam ingredientes, identificam ingredientes bons e maus, partilham rotinas de cuidados, e o rombo assim criado nos nossos orçamentos só não é maior porque as "coreanices" podem ser difíceis de encontrar mas são ridiculamente baratas comparadas com as marcas europeias. Mas navegar neste gigantesco mercado pode ser confuso, visto que os coreanos conseguem mesmo ser hardcore no que toca a cuidados de pele e chegam a fazer rotinas com sete ou oito ingredientes. Em que ordem se colocam? Qual a diferença entre uma essência e um sérum? As respostas a estas e outras perguntas poderão ser encontradas neste livro que Kerry e Coco escreveram em conjunto, reunindo anos de conhecimento e pesquisas.

#5 Star Wars BB-8 Sphero



This is the droid you're looking for. 

É com este slogan francamente brilhante que a poderosa máquina de merchandising Disney / Star Wars anuncia um objecto que é um brinquedo, sim, mas o brinquedo mais incrível de todos os tempos, capaz de transformar adultos em miúdos deslumbrados num piscar de olhos. Sim, custa 150 dólares nos EUA e 170 euros na Europa. E por esse dinheiro trazem para casa uma coisinha tão avançada que parece milagre, como se uma personagem tivesse saltado do ecrã para a nossa sala. Com um conjunto de sensores e uns pozinhos de programação básica, o brinquedo BB-8 é literalmente uma bolinha encantadora que com umas luzinhas e uns apitos cria um efeito tão realista que projectamos nele todos os nossos sonhos de inteligência artificial e queremos acreditar que ele é tão esperto como no filme.

Podeis dizer que é tão adorável quanto inútil, mas estão a voar das prateleiras que nem pão quente e a fã empedernida de Star Wars que há em mim acha-o absolutamente amoroso!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...