sobre os novos Rouge Dior


Primeiro, uma reflexão, ou duas. Quando comecei este blog quase não olhava para os expositores da Dior. A marca tinha qualquer coisa de empoeirado, de anos 90. Os primeiros produtos que me recordo de comprar foram duas paletas de sombras que não me impressionaram, à altura, minimamente, e alguns anos depois um Rouge Dolce Vita comprado num dia em que me apetecia, absolutamente, um vermelho original - e ainda hoje é um dos meus vermelhos favoritos.

Eram os tempos antes do maquilhador Peter Philips ter tomado conta da direcção criativa da marca, e parecem a anos-luz de distância. A Dior veio a tornar-se uma das minhas marcas favoritas - destronando, confesso, as minhas velhas paixões Chanel e YSL - com sucessivos lançamentos de produtos e cores maravilhosos, originais e de qualidade indiscutível.

Mas também o mundo da maquilhagem mudou. Parece que foi ontem, que toda a blogosfera andava alucinada em ter o Heroine da MAC. Foi há um ou dois anos, parece impossível, mas isto foi antes do Snapchat e do Instagram se terem tornado os grandes meio de divulgação das novas tendências. E hoje, as fronteiras entre segmentos de mercado diluem-se, e toda a gente tem um batom roxo, e a Dior tem um batom roxo, e um batom preto-azul, e um batom cinza, e tudo isto é normalíssimo e ainda bem.


Só é chato que cada novo lançamento seja um pretexto para subir ligeiramente preços, porque os Rouge Dior já vão em € 37,50 e bolas!, um batom é um produto de primeira necessidade! Eu ainda sou do tempo em que o preço médio de um batom das marcas de perfumaria era € 20, caramba. Não obstante, a gama mate dos Rouge Dior é um pequeno universo de maravilhas com cores para todos os gostos, ao qual é difícil resistir.

Foi um caso em que esperar me serviu bem. Fui adiando a compra do vermelho #999 original, e às tantas gostei mais da nova versão mate que saiu nesta colecção. Se gostar da performance, já tenho mais duas cores debaixo de olho!

6 comentários :

  1. Já andei com o meu por casa e não é beeeeem um mate: é naquela linha dos Chanel, novos Ultra Mate da UD ou mesmo os mate da MAC. Mas são lindos e há ali umas quatro cores que faria minhas com alegria. :) (Adoro o 999, é "o" vermelho.)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É o que eu chamo o "novo mate" que tem sempre qualquer coisa de luminoso. Eu adoro. Estou a estrear o 999 hoje :D As cores que tenho debaixo de olho são o Poison Matte (um beringela super escuro) e o Mysterious Matte (assim um rosa-malva-lilás)

      Eliminar
  2. Concordo tanto contigo no que toca ao ar empoeirado da Dior, assim bem como da Lancôme ( que tem estado a melhorar devagarinho!) tenho muita pouca coisa deles por causa disso mesmo!
    Mas quero muito esse 999 matte! Já olhava pra ele na fórmula original mas nunca tive coragem de o comprar porque tinha medo que saísse dos lábios e fosse parar à minha testa num piscar d'olhos! ahaha

    Beijinho!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olha que a fórmula original da Dior ainda assim é muito boa; eu tenho uns dois e mesmo sem delineador aguentam-se muito bem!

      Curiosamente eu ando num percurso inverso quanto à Lancôme. Adoro a Lisa Eldridge mas a marca não me impressiona de todo nos últimos dois, três anos...

      Eliminar
    2. Sim, ela ainda não conseguiu mudar aquilo tudo... em termos de maquilhagem não consigo gostar e a única coisa que tenho da lancôme é cuidados de rosto comprado no último ano... De resto.. meh! :p

      Quanto aos batons da Dior vi-os hoje em exposição e gostei! :D

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...