sobre os novos Rouge Dior


Primeiro, uma reflexão, ou duas. Quando comecei este blog quase não olhava para os expositores da Dior. A marca tinha qualquer coisa de empoeirado, de anos 90. Os primeiros produtos que me recordo de comprar foram duas paletas de sombras que não me impressionaram, à altura, minimamente, e alguns anos depois um Rouge Dolce Vita comprado num dia em que me apetecia, absolutamente, um vermelho original - e ainda hoje é um dos meus vermelhos favoritos.

Eram os tempos antes do maquilhador Peter Philips ter tomado conta da direcção criativa da marca, e parecem a anos-luz de distância. A Dior veio a tornar-se uma das minhas marcas favoritas - destronando, confesso, as minhas velhas paixões Chanel e YSL - com sucessivos lançamentos de produtos e cores maravilhosos, originais e de qualidade indiscutível.

Mas também o mundo da maquilhagem mudou. Parece que foi ontem, que toda a blogosfera andava alucinada em ter o Heroine da MAC. Foi há um ou dois anos, parece impossível, mas isto foi antes do Snapchat e do Instagram se terem tornado os grandes meio de divulgação das novas tendências. E hoje, as fronteiras entre segmentos de mercado diluem-se, e toda a gente tem um batom roxo, e a Dior tem um batom roxo, e um batom preto-azul, e um batom cinza, e tudo isto é normalíssimo e ainda bem.


Só é chato que cada novo lançamento seja um pretexto para subir ligeiramente preços, porque os Rouge Dior já vão em € 37,50 e bolas!, um batom é um produto de primeira necessidade! Eu ainda sou do tempo em que o preço médio de um batom das marcas de perfumaria era € 20, caramba. Não obstante, a gama mate dos Rouge Dior é um pequeno universo de maravilhas com cores para todos os gostos, ao qual é difícil resistir.

Foi um caso em que esperar me serviu bem. Fui adiando a compra do vermelho #999 original, e às tantas gostei mais da nova versão mate que saiu nesta colecção. Se gostar da performance, já tenho mais duas cores debaixo de olho!

CTRL+ALT+DEL calor!!!

Ah, Setembro. Creio que já partilhei aqui uma vez ou duas como me desgosta Setembro. O choque pós-férias, a Vogue americana a deslocar-nos um ombro com as suas 700 páginas (problema resolvido este ano: deixei de comprar, já não me revejo em nada naquela revista), lojas e editoriais repletos de apetecíveis peças de Outono/Inverno quando o calor ainda aperta. Muito, muito pior este ano, em que o dia mais quente de 2016 se registou na passada terça-feira dia 6 e eu estou há uma semana embrenhada no dilema "ligo o ventilador à noite e arrisco uma constipação, não ligo o ventilador à noite e sufoco". Confesso que quase chorei de alegria quando cheguei a casa ontem à noite e encontrei o quarto fresquinho depois da baixa de temperatura de ontem!

Embora o tempo de Verão ainda esteja para durar, não resisti a investir já nalgumas peças das novas colecções, a começar por estas sandálias da Zilian que me apaixonaram mal as vi no email promocional da nova estação. De tal modo que as encomendei online (o que é raro, prefiro experimentar os sapatos antes de comprar) receando que esgotassem antes de voltar a Lisboa! Felizmente assentam que nem uma luva, são lindas e muito confortáveis.

Sandálias Zilian € 89,90
Outra peça que me chamou a atenção foi esta carteira da H&M, e que chegou também via encomenda online graças a um vale de 15% mais portes grátis que a marca me enviou! Levantei-a hoje nos CTT e ainda não tive oportunidade de fotografá-la, mas ficou aprovada no exame inicial: os acabamentos são perfeitos e a cor corresponde à imagem da loja.

Mala H&M € 44,99
Em standby fica este casaco de veludo verde-escuro da Mango, outro amor à primeira vista mal surgiu nos anúncios da nova colecção. Já está disponível online, mas quero mesmo experimentá-lo em loja: como tanto sou o XS como o S como o M (é o que dá ter medidas estreitas mas peito generoso), prefiro aguardar a arriscar e encomendar o número errado...

Casaco veludo Mango € 79,99

Heliocare Ultra Gel SPF 90 (oh yeah, I'm back from the dead)


E quando tudo fazia crer que o estaminé estava votado ao abandono e que a minha pessoa havia executado um #blexit eis que os leitores descobrem que afinal não se livraram de mim! A ver se isto agora arrebita (tivesse eu um euro por cada vez que escrevi isto no blog).

Aqui há uns tempos mostrei no Instagram as minhas compras na parafarmácia espanhola dermofarma.es e estando a época balnear a chegar ao fim, tenho de partilhar a minha opinião sobre este Heliocare Ultra Gel SPF 90. É que eu já ando há uns bons anos nisto, mas digo sem hesitar que é dos melhores protectores solares de rosto que já usei! A textura é muito agradável, não peganhenta nem esbranquiçada; não faz partículas brancas nem é oclusivo, e protege maravilhosamente dos efeitos do sol. Nem irritação nem vermelhidão depois de uma semana de praia intensa.

Apesar da designação de gel, é um creme de cor bege que se espalha muito bem na pele e deixa um efeito refrescante. Não é waterproof, mas eu sempre preferi reaplicar os protectores depois do banho pelo que isso não é problema.

A cereja no topo do bolo: o kit que vêem na imagem custa € 20,40 na supracitada dermofarma.es e além do protector full size, inclui um tamanho de 15ml do creme Endocare Gelcream, um dos meus produtos de confiança, e ainda 7 ampolas Endocare-C, ou seja, um conjunto completo para a protecção e regeneração da pele no durante e pós-praia. Nas parafarmácias portuguesas, o protector sozinho custa cerca de € 30...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...